Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

segunda-feira, 29 de janeiro de 2018

JORNAL NACIONAL - Inspiração, acaso, mistério ou segredo:como surge um bom refrão de um samba-enredo?



Capa do LP "Sambas de Enredo das Escolas de Samba do Grupo 1A" (Top Tape, 1981) do Carnaval de 1982 com destaques para os clássicos "É Hoje" (de Adolfo de Carvalho Baeta Neves "Didi" e Mestrinho) da União da Ilha do Governador e a campeã do ano "Bum Bum Praticumbum Prugurundum" (de Aluísio Machado e Beto Sem Braço) da Império Serrano


Existem sambas de enredo que a gente lembra, mesmo depois de muitas décadas. Mas qual seria o segredo de que um samba seja eterno na memória? Na reportagem do Jornal Nacional, as respostas são varias, mas muitos apontam especificamente ao refrão, de preferência, simples. Veja esta reportagem exibida no Jornal Nacional deste sábado, 27 de janeiro, na qual estão Neguinho da Beija-Flor  e Rildo Hora.


Rildo Hora

Site G1:
http://g1.globo.com/jornal-nacional/noticia/2018/01/inspiracao-acaso-misterio-ou-segredo-como-surge-um-bom-refrao.html

Ou veja no YouTube:
https://www.youtube.com/watch?v=_alQoBKeCY0

"Fala Sério, Mãe" - O filme


Ingrid Guimarães e Larissa Manoela: mãe neurótica, filha nervosa.

No dia 21 de janeiro, domingo à tarde, eu e mamãe fomos assistir ao filme "Fala Sério, Mãe" (Downtown Filmes / Paris Filmes, 2017) no cinema (Arcoplex Cinemas) do Itajaí Shopping. A mamãe queria ver por curiosidade, já que ela viu várias propagandas com o divertido trailer do filme em programas da TV Globo feitas pelas próprias atrizes principais Ingrid Guimarães (a mãe gostou do trabalho dela na novela das seis "Novo Mundo" de 2017)  e Larissa Manoela, que, embora seja contratada pelo SBT, apareceu nos programas da concorrente, afinal o filme foi co-produzido pela Globo Filmes. E eu meio que juntei a fome com a vontade de comer, já que eu gosto da Larissa Manoela. 
Inspirado no livro homônimo da Thalita Rebouças, "Fala Sério, Mãe" conta a história de uma mãe (Ingrid) superprotetora e sua filha adolescente (Larissa) oprimida pelos cuidados excessivos, muitas vezes caricatos, de sua genitora. Foi lançado no dia 28 de dezembro de 2017 e, na terceira semana, o filme superou 2 milhões de espectadores. No longa-metragem está o ator e cantor João Guilherme Ávila, filho do sertanejo Leonardo e ex-namorado da Larissa Manoela que faz o papel... do namorado da personagem da ex! E também conta com as participações de Fábio Júnior, de quem a personagem de Ingrid Guimarães é fã, Paulo Gustavo (a Dona Hermínia de "Minha Mãe É Uma Peça") e da própria escritora Thalita Rebouças. 



Sinopse (Adoro Cinema)

Ângela Cristina (Ingrid Guimarães), mãe da adolescente Maria de Lourdes (Larissa Manoela), está tendo a experiência de guiar sua filha durante uma das fases mais complicadas da vida. Ela vive uma montanha-russa de emoções, com medos, frustrações e um caminhão de queixas para descarregar. Por outro lado, Malu, como prefere ser chamada, também tem suas insatisfações. Teimosa, sofre com os cuidados excessivos e com o jeito conservador da mãe.

Visite o site do filme:

Trailer Oficial


Propaganda exclusiva da Rede Cinemark Cinemas: Trailer de segurança 


Clipe da música "Fala Sério, Mãe" (escrita por Daniel Lopes e Thalita Rebouças) cantada por Ingrid Guimarães e Larissa Manoela (Gravadora Deckdisc)



Ingrid Guimarães e Larissa Manoela cantando a música-tema no programa "Conversa com Bial" da Rede Globo


sábado, 27 de janeiro de 2018

"De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá..." - Portela 2018



Portela tenta conquistar o 23° título com o enredo "De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá..." com o desfile assinado pela carnavalesca Rosa Magalhães. Uma das inspirações para o enredo foi o livro "Caminhos Cruzados:A Vitoriosa Saga dos Judeus do Recife no Século XVII, da Expulsão da Espanha a Fundação de Nova York" (Editora Autografia) de Paulo Caneiro. O samba trata-se de uma mensagem contra xenofobia, perseguição religiosa ou qualquer outra discriminação. A escola foi campeã no ano passado. Ou melhor, um mês depois da apuração, por decisão polêmica da Liga Independente das Escolas de Samba, a Liesa, Portela teve que dividir o primeiro lugar com a Mocidade, a genuinamente campeã, devido a um equívoco cometido pela própria associação organizadora do carnaval do Rio (clique aqui), uma gafe que sucedeu à da noite do Oscar do mesmo ano em anunciar o vencedor de melhor filme.

"De Repente de Lá Pra Cá e Dirrepente de Cá Pra Lá..." - Portela 
Escrita por Samir Trindade, Elson Ramires, Neyzinho do Cavaco, Paulo Lopita 77, Beto Rocha, J. Salles e Girão
Interpretes por Gilsinho
(P) 2017 Gravadora Escola de Samba / Universal Music Brasil


Vamos simbora povo vencedor
Contar a mesma história
Sou nordestino, estrangeiro, versador
Eh eh eh viola…
Vem do arrecife oio azul cabra da peste
No doce do meu agreste, querendo se lambuzar
Oi o mar maré de saudade, oi o mar
Pedindo paz a Javé, perseguido na fé
O imigrante veio trabaiá
Oh saudade que vai na maré
Passa o tempo e não passa a dor
E um dia Pernambuco o português reconquistou
Luar do sertão, ilumina…
Pra quem deixou esse chão, triste sina
Ô cumpadi em seu peito leva um dó
Cada um em seu destino e a tristeza dá um nó (BIS)

Vixi Maria lá no meio do caminho
Tem pirata no navio
O pagamento não foi ouro nem foi prata
Essa gente aperriada foi seguindo
Ô gira ciranda, vai a chuva, vem o sol, deixa cirandar

Chega criança, homi, muié
No abraço dessa terra só não fica quem não quer (BIS)

É legado, é união, é presente, igualdade
É “Noviórque” pedestal da liberdade
A minha águia em poesia de cordel
22 vezes minha estrela lá no céu (BIS)

Lá vem Portela é melhor se segurar
Coração aberto quem quiser pode chegar (BIS)
Vem irmanar a vida inteira
Na campeã das campeãs em Madureira


sábado, 20 de janeiro de 2018

Dolores O'Riordan (1971-2018)



Morreu nesta segunda-feira, 15 de janeiro, aos 46 anos Dolores O'Riordan, cantora e vocalista da banda irlandesa The Cranberries, uma das bandas cujas músicas eu apreciava na minha adolescência. A causa da morte súbita ainda não foi revelada e o laudo só sairá depois de abril. O corpo de Dolores foi encontrado no hotel Park Lane em Londres, Inglaterra, às 9h05, onde estava hospedada para uma breve sessão de gravação para o sétimo álbum da banda. Entre 2003 e 2012 a banda havia dado uma pausa, fazendo com que a vocalista seguisse a a carreira solo. Dolores era mãe de três filhos.
The Cranberries é uma banda de rock formada na cidade de Limerick, Irlanda, em 1989. A formação original do grupo consistia na vocalista Dolores O'Riordan, o baterista Fergal Lawler e os irmãos, o guitarrista Noel Hogan e o baixista Mike Hogan. Seu álbum de estreia, "Everybody Else Is Doing It, So Why Can't We?" (Island Recirds/ Universal Music, 1993), tornou-se um grande sucesso nos Estados Unidos e logo depois no Reino Unido. Entre os principais sucessos do disco são "Linger", esta que fez parte da trilha sonora da novela "A Viagem" (Rede Globo, 1994) e "Dreams", ambos da autoria de Dolores O' Riordan e Noel Hogan. A artista foi técnica do programa de TV "The Voice" da Irlanda entre os anos de 2013 e 2014.
Dolores Mary Eileen O'Riordan nasceu no dia 6 de setembro de 1971 na cidade de Limerick, província de Munster, na Irlanda. Segundo a própria cantora em uma entrevista para um programa de TV espanhola em 2007, existem várias versões sobre a origem de seu nome, uma delas, que sua mãe, católica praticante, lhe batizou com o nome inspirado em Nossa Senhora das Dores (em inglês, Our Lady of Sorrows), um dos nomes pelos quais Virgem Maria é venerada em memória das sete dores de Maria de Nazaré sofridas pelo amor ao seu filho Jesus Cristo ("dolores" é um termo em espanhol que significa "dores" em português e "sorrows" em inglês).


As dores de Dolores

Dolores O'Riordan teve sua vida de ascensão graças ao The Cranberries e de depressão na vida pessoal. Em 2013, a cantora contou  à revista LIFE que foi abusada dos 8 aos 12 anos de idade por uma pessoa "de confiança" da família, fato que inspirou a música "Fee Fi Fo" lançado em 1999 (o título da música refere-se a um som que precede o aparecimento do vilão da história de "João e o Pé de Feijão" conhecido por despertar medo nas crianças). Durante um bom tempo, ela mantinha o ocorrido em segredo e se culpava por tê-lo deixado acontecer. No ano seguinte revelou o motivo ao jornal Belfast Telegraph: "Eu era só uma menina. Isso é o que acontece. Você acredita que é culpa sua. Enterrei o que aconteceu. É o que se costuma fazer - você enterra porque tem vergonha". E completou: "Você pensa: 'Oh, Deus, como sou horrível e repugnante. Você cria um ódio contra si mesma que é terrível. E, com 18 anos, quando fiquei famosa e minha carreira deslanchou, foi ainda pior. Aí, desenvolvi uma anorexia". Por anos, junto à anorexia, vieram crises nervosas, abusos de álcool, pensamentos de morte e tentativas de suicídio. Ainda na mesma entrevista, Dolores lembrava do horror que sentia ao reencontrar seu abusador depois de anos no velório de seu pai, o que piorava ainda mais sua depressão. Sem falar que, em 2014, Dolores havia sido detida por agressão física a uma assistente de bordo durante o voo por ter se recusado a voltar ao seu lugar quando o avião estava a 20 minutos de aterrizar. Dois anos mais tarde, ela teve que pagar cerca de US$ 7.000 (R$ 22,5 mil) a uma organização de caridade por ter agredido um policial. Documentos apresentados durante as investigações sobre o incidente chegaram à conclusão de que o transtorno de bipolaridade da cantora foi a causa de surtos de agressividade.
No meio de tanta escuridão, Dolores encontrava luz em seus três filhos que teve com Don Burton, empresário da banda Duran Duran e de quem se separou em 2014, após 20 anos de casamento.
Quanto a problemas de saúde física, Dolores O'Riordan sofria de dores na coluna, o que fez com que a banda cancelasse vários shows em maio de 2017, pouco depois de uma turnê na Europa.
"O problema nas costas de Dolores está na parte média e alta da sua coluna. A respiração e os movimentos diafragmáticos associados ao canto colocam pressão nos músculos e nervos dessa área, exacerbando a dor", escreveu o grupo em sua conta no Facebook, após pedidos do público para que mantivesse as apresentações e que a cantora se apresentasse sentada.

O legado

The Cranberries teve como sua marca registrada a voz suave de Dolores O'Riordan que é considerada na Irlanda como a maior cantora de toda a história do país.



Fontes:
Wikipédia
BBC Brasil

Linger
escrita por Dolores Mary Eileen O'Riordan e Noel Anthony Hogan
interpretada por The Cranberries
(P) 1993 Island Records / PolyGram International (hoje Universal Musi Group)



If you, if you could return
Se você, se você pudesse voltar
Don't let it burn
Não o deixe queimar
Don't let it fade
Não o deixe apagar
I'm sure I'm not being rude
Estou certa de que eu não estou sendo grossa
But it's just your attitude
Mas é só a sua atitude
It's tearing me apart
Que está acabando comigo
It's ruining every day
Que está estragando tudo

I swore
Eu jurei
I swore I would be true
Eu jurei que eu seria sincera
And fellow, so did you
E, querido, você também jurou
So why were you holding her hand?
Então, por que você está segurando na mão dela?
Is that the way we stand?
É assim que estamos?
Were you lying all the time?
Você estava mentindo o tempo todo?
Was it just a game to you?
Foi só um jogo pra você?

But I'm in so deep
Mas eu estou tão envolvida
You know I'm such a fool for you
Você sabe que eu sou tão louca por você
You've got me wrapped around your finger
Você me tem em suas mãos
Do you have to let it linger?
Você tem que deixar isso prolongar?
Do you have to, do you have to, do have to let it linger?
Você tem que, você tem que, você tem mesmo que deixar isso prolongar?

Oh, I thought the world of you
Ah, eu esperava tanto de você
I thought nothing could go wrong
Eu achei que nada poderia dar errado
But I was wrong, I was wrong
Mas eu me enganei, eu me enganei

If you, if you could get by
Se você, se você pudesse
Trying not to lie
Tentar não mentir
Things wouldn't be so confused
As coisas não seriam tão confusas
And I wouldn't feel so used
E eu não me sentiria tão usada
But you always really knew
Mas você sempre sabia
I just want to be with you
Que eu só queria ficar com você

But I'm in so deep
Mas eu estou tão envolvida
You know I'm such a fool for you
Você sabe que eu sou tão louca por você
You've got me wrapped around your finger
Você me tem em suas mãos
Do you have to let it linger?
Você tem que deixar isso prolongar?
Do you have to, do you have to, do have to let it linger?
Você tem que, você tem que, você tem mesmo que deixar isso prolongar?


Ode To My Family 
(Ode à Minha Família)
escrita por Dolores Mary Eileen O'Riordan e Noel Anthony Hogan
interpretada por The Cranberries
(P) 1994 Island Records / PolyGram International (hoje Universal Musi Group)



Understand the things I say
Entenda as coisas que eu digo
Don't turn away from me
Não dê as costas pra mim
'Cause I spent half my life out there
Porque eu passei a metade da minha vida lá fora
You wouldn't disagree
Você não faria diferente

D'you see me, d'you see
Você me vê? Você vê?
Do you like me, do you like me standing there
Você gosta de mim? Você gosta de mim estando lá?
D'you notice, d'you know
Você percebe? Você sabe?
Do you see me, do you see me
Você me vê? Você me vê?
Does anyone care?
Alguém se importa?

Unhappiness, where's when I was young
Havia infelicidade quando eu era jovem
And we didn't give a damn
E nós não dávamos a mínima
'Cause we were raised
Porque nós fomos educados
To see life as a fun and take it if we can
Para ver a vida como uma diversão e lidá-la bem se pudermos
My mother, my mother she'd hold me
Minha mãe, minha mãe me abraçava
Did she hold me, when I was out there
Ela me abraçava quando eu estava lá fora
My father, my father, he liked me
Meu pai, meu pai, ele gostava de mim
Oh he liked me, does anyone care?
Ele gostava de mim. Alguém se importa?

Understand what I've become
Entenda no que eu me tornei
It wasn't my design
Isso não foi o meu projeto
And people everywhere think
E em qualquer lugar as pessoas pensam que eu poderia ser
Something better than I am
Alguém melhor do que eu já sou
But I miss you, I miss
Mas eu sinto sua falta, eu sinto saudades
'Cause I liked it, 'cause I liked it
Porque eu gostava disso, eu gostava disso
When I was out there
Quando eu estava lá fora
D'you know this, d'you know
Você sabia disso? Você sabia que
You did not find me, you did not find
Você não me encontrou, que você não me encontrou?
Does anyone care?
Alguém se importa?

Unhappiness, where's when I was young
Havia infelicidade quando eu era jovem
And we didn't give a damn
E nós não dávamos a mínima
'Cause we were raised
Porque nós fomos educados
To see life as a fun and take it if we can
Para ver a vida como uma diversão e lidá-la bem se pudermos
My mother, my mother she'd hold me
Minha mãe, minha mãe me abraçava
Did she hold me, when I was out there
Ela me abraçava quando eu estava lá fora
My father, my father, he liked me
Meu pai, meu pai, ele gostava de mim
Oh he liked me, does anyone care?
Ele gostava de mim. Alguém se importa?

Does anyone care?
Alguém se importa?
Does anyone care?
Alguém se importa?
Does anyone care?
Alguém se importa?
Does anyone care?
Alguém se importa?

quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

O primeiro "Xou da Xuxa" (Som Livre, 1986)

Mesmo sem saber cantar, a Rainha dos Baixinhos conseguiu bater o Rei Roberto Carlos na venda de discos.



Eu tinha 4 anos na época. Eu havia ganhado de presente da minha madrinha uma fita cassete do primeiro Xou da Xuxa que estava em lançamento. A fita não era original e sim gravada não para o comércio e e sim exclusivamente pra mim. Já no ano de 2000, a fita não rodava mais e fui ao sebo comprar o disco da Xuxa, mas lamentei porque não tinha o encarte com a ficha técnica completa dentro. As únicas informações que eu tenho neste disco são os compositores de cada faixa e que foi produzido pelo renomado Guto Graça Melo. Certamente o antigo dono deu fim no encarte. Agora em tempos de internet tentei procurar por fotos do encarte pelo site do Mercado Livre, mas nenhuma delas saíram legíveis para conferir quem foram os músicos participantes ou o que estava impresso naquela página do desenho da Xuxa sentada de costas sobre a sua famigerada nave no ar. O suficiente que eu consegui foi no Wikipédia no qual estão apenas os nomes do lado técnico da gravação (engenheiro e assistente de gravação, de mixagem, etc.), fotógrafos e cartunista. Outra simples informação que eu consegui foi através do vídeo do pessoal do Vinilteca no YouTube de que quem fez o famoso solo de guitarra na introdução de "Doce Mel (Bom Estar Com Você)" foi Robson Jorge (1954-1993), antigo parceiro do Lincoln Olivetti (1954-2015)

O disco

A modelo e apresentadora Maria da Graça Meneghel, a Xuxa, comandava o programa Clube da Criança na extinta TV Manchete entre 1983 e 1985. Sua carreira musical se iniciou em 1984 com o disco que leva o nome do programa lançado pela RCA Victor (hoje Sony Music) no qual Xuxa cantava somente 3 das 14 músicas. No ano seguinte, foi lançado o primeiro álbum da apresentadora, "Xuxa e Seus Amigos" (PolyGram/ Universal Music, 1985) em que ela fazia dueto com artistas convidados, como Caetano Veloso, Zizi Possi e Erasmo Carlos. Em 1986, a Rede Globo pagou uma fortuna para tirar a Xuxa da TV Manchete e apresentar o programa Xou da Xuxa que estreou no dia 30 de junho de 1986, liderou a audiência nas manhãs da TV brasileira e consagrou a apresentadora como a Rainha dos Baixinhos.
Com esse sucesso, a Rede Globo, decidiu continuar investindo na carreira musical de Xuxa e Guto Graça Melo foi contratado para produzir o disco. A ideia não era lançar o disco da Xuxa e sim o disco do programa Xou da Xuxa e a tal ideia se estendeu até o "Quarto Xou da Xuxa" (Som Livre, 1989). Assim que conheceu a apresentadora, Guto percebeu que ela não tinha talento como cantora e não conseguia dar uma única nota. Sem saber o que fazer, Guto recorreu ao presidente da Som Livre João Araújo (1935-2013), que lhe respondeu com um simples "se vira" para fazer com que ela cantasse de um jeito ou de outro. Xuxa vivia constantemente aborrecida no estúdio por não ser cantora e não tinha intenção de ser. Além disso, em uma entrevista ao Jornal Extra feita em 2011 em memória dos 25 anos do programa, ela revelou que esse disco não era para existir. "Eu ia cantar apenas duas músicas para o programa. Em cima da hora decidiram fazer um álbum inteiro, mas tudo foi na correria...", completou. Recentemente, em sua conta no Facebook, a cantora Patrícia Marx, hoje aos 43 anos, confirmou o boato de que havia gravado uma voz guia para a Xuxa neste álbum, além de ter participado nele como solista na canção "Miragem Viagem", versão de "Black Orchid" (de Stevie Wonder, 1979). Ou seja, em tempos em que não existia o auto-tune para afinar a voz gravada, Xuxa cantava em cima da voz da então integrante do grupo infantil Trem da Alegria para obter um resultado aceitável. Cada faixa do disco foi gravada inúmeras vezes até chegar ao resultado satisfatório. A canção "Garoto Problema" na qual Xuxa cantava com Evandro Mesquita teve uma versão alternativa e desconhecida na primeira tiragem que soou como mal feita, o que fez com que a Som Livre optasse pelo recall das cópias da primeira edição para distribuir a segunda com a música já reformada pela regravação, a que seria a versão mais popular.
Desacreditados com o talento de Xuxa como cantora, os compositores se recusavam a dar música a ela, mas isso mudou a partir do álbum seguinte, o "Xegundo Xou da Xuxa" (Som Livre, 1987), chegando a formar fila deles devido ao sucesso fonográfico da apresentadora que superou as vendagens do grupo fenômeno RPM e até do rei Roberto Carlos, ambos da CBS/Sony Music. Enquanto tais compositores não cediam em escrever músicas para Xuxa, Guto revelou que pretendia "colocar compositores que não eram exatamente infantis". A proposta era que o álbum tivesse letras para crianças com arranjos feitos por músicos do rock nacional, isso explica a presença de composições de Rita Lee, Joe Euthanázia (1955-1989) e os integrantes do grupo Barão Vermelho Frejat e Guto Goffi, além da participação de Evandro Mesquita.
O disco vendeu cerca de 100 mil cópias na primeira semana, sendo assim certificado como disco de ouro. Vendeu 250 mil cópias na segunda semana e assim o número de cópias foi aumentando a cada semana (!). Ao alcançar a marca 2,5 milhões de cópias vendidas, João Araújo, presidente da Som Livre, teve que parar a fabricação de discos dizendo "Ou a gente faz disco para vender ou disco-prêmio [certificado]". O produtor Guto lhe respondeu: "Inventa um disco de diamante. Faça um disco como se fosse de platina, bota um diamantezinho e dá para sua artista.". "O João botou um plástico bem vagabundo e foi a primeira vez que teve esse negócio de disco de diamante", disse o produtor para uma matéria do Portal Uol no dia 29 de junho de 2016 em ocasião dos 30 anos do disco. Ainda nesta mesma matéria, ao ser questionado sobre a suposta mensagem satânica ouvida no refrão final de "Meu Cãozinho Xuxo" executado ao contrário ("meu anjo é o diabo e o mundo tem que ter esse seu amor que recebo"), Guto Graça Melo respondeu: "Isso é viagem. Fui eu que gravei essa música. Não tem nada disso. Algum maluco deve ter tocado a faixa ao contrário e ouviu algum som estranho. É normal provocar isso. Mas nada a ver". E concluiu a resposta, rindo.
Em 1995 o primeiro Xou da Xuxa foi relançado em CD trazendo duas faixas bônus "Parabéns da Xuxa" (de Michael Sullivan e Paulo Massadas) e "Papai Noel Dos Baixinhos" (de Xuxa e Irany de Oliveira) que foram lançadas originalmente em 1987 no LP "Karaokê da Xuxa" pela Globo Discos, uma gravadora efêmera da Rede Globo que só durou poucos meses. E para que as músicas de "Karaokê da Xuxa" não ficassem sem relançar em CD, colocaram 2 faixas como bônus no álbum "Xou da Xuxa" (1986) e outras 2 [a linda "Estrela Guia (Natal)" de Michael Sullivan e Paulo Massadas e "Beijinho Beijinho" de Xuxa e Kiko Zambianchi] no álbum "Xegundo Xou da Xuxa" (1987).
   

Capa, contracapa e encarte

Na época, a capa gerou polêmica por mostrar a apresentadora com uma blusa rosa transparente deixando seus seios discretamente à mostra em disco destinado ao público infantil. Mas pra tudo tem uma explicação: a foto da capa na verdade não foi pensada como capa de um disco. A própria Xuxa esclareceu que o trabalho para o álbum foi tão corrido que não houve  produção para fazer uma sessão de fotos para a capa. "Muita gente acha que essa foto foi feita especialmente para o álbum 'Xou da Xuxa', mas não foi, tive que pegar uma que já existia". A foto (assinada por Joseph Kienny e James Redá) pertencia a um dos books que a Xuxa havia feito para a agência americana Ford Models com a qual ela tinha contrato como modelo desde 1984. Na contracapa, as fotos das gravações do programa são moldadas por um grande "xis" que ocupava todo o espaço. O compositor, desenhista e diretor de arte Reinaldo Waisman (co-autor do sucesso "Turma da Xuxa" e intérprete do personagem Moderninho no Xou da Xuxa) foi o responsável pelas ilustrações que encenam o tema de cada música no encarte.
Em 2103, para ilustrar o box "Coleção Xou da Xuxa" (Xuxa Produções/Som Livre), a apresentadora refez a emblemática capa do primeiro álbum da coleção que reunia os sete CD's do Xou da Xuxa e pediu para que fãs mandassem fotos imitando a pose para contribuir com a arte do box .


A seguir, créditos e curiosidades faixa por faixa.

"Xou da Xuxa"
(P) 1986 Som Livre
Fabricado e distribuído por Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

Produzido por Guto Graça Melo

Engenheiro de gravação e engenheiro de mixagem (exceto na faixa "Miragem Viagem"): Jorge 'Gordo' Guimarães
Engenheiro de gravação e engenheiro de mixagem (nas faixas "Miragem Viagem" e "Meu Cãozinho Xuxo"): Luiz G. D' Orey
Assistentes de gravação: Jackson Paulino, Marcelo Serodio, Beto Vaz, Cezar, Sérgio Ricardo, Billy e Julinho
Assistentes de mixagem: Julinho e Marquinhos
Arregimentação: Jorginho Corrêa
Montagem: Ieddo Gouvêa
Assistentes de estúdio: Sérgio Rocha, Marco Aurélio, Marcos Caminha, Marcelo Seódio, Julio Carneiro, Ivan Carvalho, Chambinha e José Martins

CAPA E ENCARTE:
Foto: Joseph Kieny e James Radá
Criação de capa e ilustrações: Reinaldo Waisman 

01- "Doce Mel (Bom Estar com Você)"
escrita por Claudio Rabello e Renato Corrêa
interpretada por Xuxa

Claudio Rabello, um compositor de grandes sucessos da MPB, e Renato Corrêa, produtor musical, integrante do grupo Golden Boys e pai de Diego e Rodrigo que formavam o grupo infantil Os Abelhudos na mesma década de 1980, compuseram este histórico tema de abertura do Xou da Xuxa que é relembrado até hoje. O famoso solo de guitarra foi feito por ninguém menos que o músico Robson Jorge (1954-1993).




02- "Turma da Xuxa"
escrita por Reinaldo Waisman e Robson Stitancovch
interpretada por Xuxa

Uma música bem animada e com o coro infantil pegajoso, ela fala das situações mais engraçadas da turma formada por tais de Marcão, Betão, Juliana, Julieta, Zé, Mané, Paulinho e Rosinha  que no fim, fora da canção, só existiram no videoclipe exibido no "Fantástico" da TV Globo na época. A turma da Xuxa mesmo foram as Paquitas, Moderninho (inclusive este personagem foi interpretado pelo próprio compositor da música e desenhista do encarte do disco, Reinaldo Waisman), Dengue, Praga e Xuxo.



03- "Peter Pan"
escrita por Rita Lee e Roberto de Carvalho
interpretada por Xuxa

Dá pra acreditar que esta canção ingênua e bonitinha foi feita pela rainha do rock brasileiro para a rainha dos baixinhos? Os versos que a Xuxa cita no começo da canção ("Areia da grossa, areia da fina. Areia me faça ficar pequenina!") são as palavras mágicas em tradução livre pelo poeta e jornalista Bastos Tigre (1882-1957) da personagem Laura Jane da revistinha em quadrinhos "Laura Jane e Tiquinho" ("Mary Jane and Sniffles", Dell Comics) da autoria do cartunista americano Craig Chase (1910-2001) que Rita Lee apreciava durante a sua infância. Laura Jane jogava um punhado de areia em sua cabeça e recitava os versos para ficar tão pequeninha quanto o seu amigo camundongo Tiquinho para viver grandes aventuras. Mas o que a areia mágica da Laura Jane tem a ver com a história do Peter Pan? Quem sabe para a gente voltar a ser criança e viver as aventuras com o famoso personagem que nunca cresce através da música, não é? Boa ideia!
Um ano antes do lançamento do disco, houve projetos para que a Xuxa fizesse o papel de Peter Pan em uma peça infantil teatral dirigida por Maurício Sherman, mas o plano nunca saiu do papel. Será que esta música da autoria de Rita Lee e Roberto de Carvalho serviria de tema?

"Areia da grossa, areia da fina. Areia me faça ficar pequenina!" - Mary Jane (ou Laura Jane, no Brasil) fazendo um pedido para ficar tão pequena quanto o Sniffles (Tiquinho)




04- "Garoto Problema"
escrita por Roberto Frejat e Flávio Augusto "Guto" Goffi Marquesini
interpretada por Xuxa
participação especial de Evandro Mesquita

Esta música da autoria dos dois integrantes do grupo Barão Vermelho fala sobre um garoto que, não aguentando mais a pressão de seus pais, fugiu de casa, mas, com o tempo, reconheceu que a vida fora dela não seria fácil. A história por trás desta faixa que é o único dueto do disco me causou uma certa surpresa. Pela primeira e única vez uma música da Xuxa teve uma versão comercialmente alternativa. A versão de "Garoto Problema" presente nos relançamentos do Xou da Xuxa é diferente da versão presente na tiragem original do disco. Nesta gravação que soava estranha e possivelmente feita separada dos dois intérpretes, a entonação na voz de Xuxa e a conversa entre a apresentadora e Evandro Mesquita são diferentes. Também percebe-se a diferença no coro. Pelo fato de a gravação ter sido mal feita (há quem diga que foi pelo nível de interpretação da Xuxa nos diálogos da canção ou por ela não ter cantado um verso mesmo que seja junto ao coro ou ao vocalista da banda Blitz), a Som Livre fez um recall (recolhimento) desta primeira tiragem até hoje disputada por colecionadores de vinil e distribuiu às lojas de todo o Brasil a outra edição no lugar com a música já corrigida pela regravação. E nesta versão mais conhecida, Xuxa incluiu uma mensagem de alerta para o ouvinte no final da canção: "existem milhões de garotos iguais a esse, isso acontece nas melhores famílias. Cuidado, hein, você aí...". Para identificar qual é a edição de "Xou da Xuxa" com "Garoto Problema" defeituoso é só comparar a etiqueta do disco da primeira tiragem com a da segunda: na edição recolhida, não há tempo de duração de cada música e a pequena logo da gravadora CBS/hoje Sony Music (que fabricava e distribuía os discos lançados pela Som Livre entre os anos de 1986 e 1987) está na parte de baixo da etiqueta, na posição de seis horas do relógio, enquanto o logo da CBS na edição mais comercial (esta que eu tenho) está no lado esquerdo, na posição de nove horas.
Até agora eu só consegui encontrar pela internet a versão alternativa (boa oportunidade para os curiosos) postada pelo Xuper Blog no Soundcloud . Os videos-áudios da versão mais comercial foram excluídos ou bloqueados por violação de direitos autorais, mas você pode ouvi-la e comparar pelo Spotify (link do álbum "Xou da Xuxa" na íntegra com duas faixas bônus):
https://open.spotify.com/album/5DAm6XNePvpL9L6Duz71DG


Versão alternativa





05- "Meu Cãozinho Xuxo"
Escrita por Messias Corrêa e Rogério Enoé
interpretada por Xuxa

Momento de muita emoção nos estúdios. "Meu Cãozinho Xuxo" foi uma canção em tributo ao cachorro de Xuxa que se tornaria um dos personagens do Xou da Xuxa. O Xuxo na época já estava doente. Além de diabetes, o cãozinho contraiu filariose, o que motivou sua morte anos mais tarde. A própria apresentadora que tinha um enorme afeto pelo seu pet imaginou como ela se sentiria sem ele e, desde que o compositor Messias Corrêa lhe apresentou a obra, ficou tão emocionada com a melodia e letra que, quando foi gravar, ela chorou de soluçar e não conseguiu concluir a canção. Até o próprio homenageado teve o seu choro gravado na música.





06- "She-Ra"
Escrita por José Luís Athanázio de Almeida (Joe Euthanázia) e Luiz Octávio Paes de Oliveira (Tavinho Paes)
interpretada por Xuxa


Outra personagem infantil homenageada neste disco é a She-Ra, a irmã gêmea do He-Man. A música é da autoria de dois dos grandes nomes do rock nacional dos anos 1980: Joe Euthanázia (1955-1989), roqueiro conterrâneo da Xuxa muito popular, e Tavinho Paes, poeta, artista plástico e compositor de grandes hits da época. Os desenhos animados protagonizados por She-Ra e He-Man foram exibidos na Globo dentro do programa de sua fã ilustre. Foi a música que deu origem ao seu famoso bordão "beijinho, beijinho, tchau tchau!".



07- "Amiguinha Xuxa"
Escrita por Messias Corrêa e Rogério Enoé
interpretada por Xuxa

"Amiguinha Xuxa" foi o emblemático tema da descida da apresentadora da famosa nave ao abrir o programa. A criançada na espera dizia em coro:"amiguinha Xuxa é hora de brincar. Estamos esperando só você chegar. A felicidade se fantasiou de amor" e Xuxa, antes de descer da nave, cumprimentava em resposta:"bom dia, amiguinhos, já estou aqui. Tenho tantas coisas pra nos divertir..."



08- "Meu Cavalo Frankstein"
Escrita por Mário Lúcio de Freitas e Antônio Palladino "Tati"
interpretada por Xuxa

"Meu Cavalo Frankstein", da autoria da mesma dupla que fez as versões em português dos temas da série mexicana "Chaves" ("El Chavo del Ocho", Televisa) exibida no Brasil pelo SBT, fala de um cavalo com características curiosas muito estimado pela sua dona, uma fazendeira na primeira pessoa que era a Xuxa cantando com sotaque caipira neste country para baixinhos.




09- "Quem Qué Pão"
Escrita por Aretuza e João Correa
interpretada por Xuxa

O tema do cobiçado café da manhã oferecido pela apresentadora para a plateia infantil do Xou da Xuxa foi escrito pela Aretuza, assessora de imprensa da Som Livre, em parceria  com o João Correa. A Tuza, como foi creditada no disco, costumava cantarolar essa musiquinha para seus filhos cada vez que os chamava para uma refeição.





10- "Miragem Viagem" ("Black Orchid")
Escrita por Stevie Wonder
Adaptação para o português de Ronaldo Bastos
Interpretada por Patrícia Marx (Trem da Alegria), gentilmente cedida pela RCA Victor  (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

Embora todo o grupo Trem da Alegria, presença constante no programa Xou da Xuxa, fosse creditado no encarte como o intérprete, apenas a Patrícia Marques (na época seu sobrenome ainda não foi alterado artisticamente como "Marx"), uma das integrantes, canta.
A participação da garotinha de 12 anos cantando a música na íntegra relembra o objetivo do álbum "Xou da Xuxa" que não era criar o disco da própria Xuxa e sim o disco do programa Xou da Xuxa. "Miragem Viagem" é uma versão de uma música de Stevie Wonder que, anteriormente, já havia outra adaptação para o português na voz da Gal Costa que não foi incluída em nenhum álbum da cantora baiana. No encarte, a música é representada pelo desenho da cantora mirim toda alegre com braços e pernas ao ar sentada em uma boia sobre a onda de jardim com flores. Um suave sopro trêmulo que se ouve no começo e no final da música faz lembrar um motor da célebre nave da Xuxa acionado, prestes a se despedir da criançada ouvinte como se anunciasse que o disco estaria encerrando. Nave Xuxa se despedindo da Terra. Beijinho, beijinho, tchau, tchau!



Fontes:
Wikipédia
Jornal do Commercio
Blog Portal X
Xuper Blog
Uol (Coluna "Musica"), 29 de junho de 2016

domingo, 24 de dezembro de 2017

"Hallelujah" - Leonard Cohen (1984)



Em plena véspera de Natal, eu falarei sobre "Hallelujah", uma canção do cantor e compositor canadense de folk music Leonard Cohen (1934-2016) que cresceu em uma família judia e, já em 1994, aos 60 anos, havia se convertido ao budismo. "Hallelujah" foi lançado em 1984 através do disco do próprio Leonard Cohen, "Various Positions" (CBS/Sony Music). Uma década mais tarde, a canção se tornou popular na voz de Jeff Buckley (1966-1997) gravado para o primeiro e único álbum de estúdio do cantor, "Grace" (Sony Music, 1994). A versão original tem quatro estrofes e a de Buckley tem cinco. Juntas, as duas versões têm sete estrofes diferentes.
Muito executada em época de Natal, embora ela não seja uma canção natalina, eu diria que "Hallelujah" representa uma canção de confissão. Nela, o narrador na primeira pessoa é um homem virtuoso, mas se sucumbe na tentação, confessa seus pecados e no fim se arrepende e demonstra que, independentemente do que aconteça, se torna humilde diante da canção de Deus. Para construir brilhantemente a letra, embora com muita dificuldade, Cohen usou o pecado de adultério do Rei Davi com a Betsabé ao vê-la banhando-se e citou o episódio da perda de poder do Sansão por ter seus cabelos, a origem de sua força (oferecida pelo Espírito Santo de Deus, segundo a Bíblia), cortados por Dalila, por quem Sansão apaixonou-se ilicitamente como referências. Dois homens mais importantes da Bíblia, Davi e Sansão, que caíram em tentação. As estrofes acrescentadas que se ouvem na versão de Jeff Buckley parecem fugir um pouco do sentido das originais, mas mantém a temática da espiritualidade além de pôr sua fé em dúvida.
"Hallelujah" ("Aleluia") vem do termo hebraico "Halleluyah" que significa "louve a Deus Javé" ("hallelu"= louvar, "Yah"= Deus, Javé)
No Brasil a música ganhou algumas adaptações para português e o tom de confissão da letra original foi versionado para canção de ação de graças ou hino de louvor por cantores religiosos.
Que explica melhor a letra é o site Cultura Genial:
https://www.culturagenial.com/musica-hallelujah-leonard-cohen/

"Hallelujah"
escrita e interpretada por Leonard Cohen
(P) 1984 Columbia Records / CBS Records, Columbia Broadcasting System (hoje Sony Music Entertainment Group)

Ow, I've heard there was a secret chord
Então, eu soube que existe uma melodia secreta
That David played, and it pleased the Lord
Que Davi tocou, e isso agradou ao Senhor
But you don't really care for music, do you?
Mas você não se importa muito com música, não é?
It goes like this, the fourth, the fifth
E ela soa assim, a quarta, a quinta
The minor fall, the major lift
A menor cai e a maior se ascende
The baffled king composing hallelujah
O rei confuso compondo "Aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Your faith was strong but you needed proof
Sua fé era grande mas você precisava de prova
You saw her bathing on the roof
Você a viu banhando-se no terraço
Her beauty and the moonlight overthrew ya
Sua beleza e a luz da lua o conquistaram
She tied you to a kitchen chair
Ela te amarrou em uma cadeira de cozinha
She broke your throne, and she cut your hair
Ela quebrou seu trono, e cortou seu cabelo
And from your lips she drew the hallelujah
E dos seus lábios ela esboçou um "aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

You say I took the name in vain
Você disse que eu usei o nome em vão
I don't even know the name
Mas eu nem mesmo sei o nome
But if I did, well really, what's it to you?
Mas se eu disse, ora, o que isso significa mesmo para você?
There's a blaze of light in every word
Existe um raio de luz em cada palavra
It doesn't matter which you heard
E não importa qual dela você ouviu
The holy or the broken hallelujah
Uma "aleluia" sagrada ou a violada

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

I did my best, it wasn't much
Eu fiz meu melhor, mas não foi o suficiente
I couldn't feel, so I tried to touch
Eu não pude sentir, então tentei tocar
I've told the truth, I didn't come to fool you
Eu havia dito a verdade, eu não vim aqui para te enganar
And even though it all went wrong
E mesmo que tudo tenha dado errado
I'll stand before the lord of song
Eu vou me prostrar diante do Senhor da canção
With nothing on my tongue but hallelujah
Sem nada em minha língua além de "aleluia"

Hallelujah (18x)
Aleluia (18x)


VERSOS ACRESCENTADOS

But baby I've been here before
Mas, amor, eu já estive aqui antes
I've seen this room and I've walked this floor
Já vi esse quarto e já andei neste chão
You know, I used to live alone before I knew ya
Você sabe, eu costumava morar sozinho antes de você
And I've seen your flag on the Marble Arch
E eu vejo a sua bandeira no Marble Arch ("Arco de Mármore", um dos pontos turísticos de Londres)
And love is not a victory march
Mas o amor não é uma marcha da vitória
It's a cold and it's a broken Hallelujah
É uma aleluia fria e sofrida

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Well there was a time when you let me know
Então, existiu um tempo em que você me avisava
What's really going on below
O que realmente está acontecendo por dentro
But now you never show that to me do ya
Mas agora você nunca me mostra isso, não é?
But remember when I moved in you
Mas lembre-se de quando eu me mudei para você
And the holy dove was moving too
E o pomba sagrada estava se mudando também
And every breath we drew was Hallelujah
E toda a respiração que esboçávamos era "Aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Maybe there's a God above
Talvez exista um Deus no céu
But all I've ever learned from love
Mas tudo o que eu aprendi sobre o amor
Was how to shoot somebody who outdrew ya
Foi como atirar em alguém que destruiu você
And it's not a cry that you hear at night
E não é um choro que você escuta a noite
It's not somebody who's seen the light
Não é quando alguém que vê a luz
It's a cold and it's a broken Hallelujah
É uma aleluia fria e sofrida

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

VÍDEO: "Hallelujah" (versão original de Leonard Cohen)




VÍDEO: Hallelujah (com estrofes acrescentadas) na gravação de Rufus Wainwright para a trilha sonora do filme de animação "Shrek" (Dreamworks Pictures, 2001)


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Luiz Henrique Faria e Rildo Hora



Dois vídeos simples e ótimos com Luiz Henrique Faria (cavaco/violão) e Rildo Hora (gaita) tocando "Calango do Maria Zélia" e "Sampa"

"Calango do Maria Zélia" de Rildo Hora




"Sampa" de Caetano Veloso

"Anjo" - Rildo Hora (1962)


Do acervo do canal Luciano Hortencio no YouTube: "Anjo" de Rildo Hora e Alcino Diniz gravado em 1962 na voz do músico Rildo Hora.
Na foto do vídeo tirada em 1988: Rildo Hora com a esposa Lusinete, os filhos Patrícia Hora que é cantora e Ziraldo Hora e o rei do baião Luiz Gonzaga (1912-1989)

"Pretinho Básico" - Dorina




Do CD "Dorina canta Sambas de Aldir e Ouvir - ao vivo" em tributo ao Aldir Blanc, a cantora carioca interpreta "Pretinho Básico", a inédita do compositor em parceria com Moyseis Marques. O show foi gravado ao vivo em setembro de 2016 no Teatro Municipal Ziembinski no bairro Tijuca, cidade do Rio de Janeiro. Ouçam e vejam!

Pretinho Básico
(Moyseis Marques e Aldir Blanc)

É meu pretinho básico e
Eu tô quase que de quatro
Porque é muito amô!
Marrento, banca o sádico...
Não entro nesse barco, não sinhô!
Os olhos de menino
com um brilho de assassino
Ancoraram no meu peito
E o lindo trejeito moleque me fisgou!

Me faz cafuné, cafunga o meu pé,
me diz que vai durar pra sempre...
Meu coração ouve a razão:
"não vai, não!"
Então, tá! Sou mulhé
Pra guentá o tranco do Poeta:
"Infinito enquanto dure"
Pretendo curtir, morrendo de rir,
Até que o caso e a casa caiam
Quero viver, até o fim,
é bom pra mim, pra você,
Pra valer
O meu futuro a Deus pertence
e eu vivo no presente, Oxalá!
Meu destino entrego aos rios
do meu Orixá…
Deus me guia
e eu vivo no presente, Oxalá!
Meu destino entrego aos rios
do meu Orixá

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Zeca Pagodinho terá sua vida contada nos cinemas


Fiquei sabendo através do site Folhamax: Zeca Pagodinho será mais um artista a ter sua vida contada  nos cinemas. O projeto, inspirado no livro "Deixa o Samba Me Levar" (Editora Sonora, 2014) de Jane Barbosa e Leonardo Bruno já saiu do papel e será realizado no ano que vem. O longa-metragem que será lançado pela Paris Filmes deve estrear em fevereiro de 2019 em comemoração dos 60 anos do sambista.


Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil