Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

segunda-feira, 23 de dezembro de 2013

Simone lamenta a rejeição do público à música "Então É Natal"



A cantora Simone, que foi uma dos artistas convidados do programa global "Altas Horas" deste sábado (21/12/2013), passou por uma saia justa. Ao ser questionada por um dos integrantes da plateia sobre o excesso de críticas severas nas redes sociais para a extinção da canção "Então É Natal" (adaptação em português de Cláudio Rabello para "Happy Xmas, War Is Over" de John Lennon e Yoko Ono), a cantora mostrou decepção e defendeu:
“Lamento que se pratique esse ato violento em relação a uma música que o povo brasileiro ama e adora. Acho violento. Só lamento. A gente vive em um país que deveria ser democrático, mas não está sendo. É uma lástima. A gravação é bonita, a letra é bonita. E que a gravadora tome providencias cabíveis e necessárias. Não cabe a mim. A mim, cabe cantar”.
Ao encerrar a gravação no programa, Simone cantou a música natalina ao lado de Luan Santana, outro convidado do "Altas Horas". 



http://www.youtube.com/watch?v=DekPIp9C0XE

P.S.: Te adoro, Simone! ♥

terça-feira, 3 de dezembro de 2013

Veja o Novo Clipe do Grupo Fundo de Quintal






O Grupo Fundo de Quintal com o produtor Rildo Hora



Foi liberado na última sexta-feira de novembro (29/11/2013) o vídeo do making of de "Catundê", a nova música do Grupo Fundo de Quintal que também marca a volta do integrante Mário Sérgio. O clipe mostra os bastidores da gravação da música no estúdio Companhia dos Técnicos em Copacabana, Rio de Janeiro. A autoria é de Claudemir e Carlos Caetano e a produção é de Rildo Hora. Confira!




http://youtu.be/VQAXYi14VIM

segunda-feira, 2 de dezembro de 2013

Um Sonho de Consumo para os Fãs de Retrô

clique na imagem para ampliar


OLHA O QUE EU VI NO FOLHETO DE OFERTAS DO SUPERMERCADO ANGELONI (uma das grandes redes de supermercados de Santa Catarina): Audio retrô R&B Gramaphone Texas. Sim, o toca-discos está voltando aos pouquinhos! (êêêê!!!) Ele toca LP, CD e reproduz MP3 graças à inclusão das entradas USB e cartão de memória (SD Card), além é claro de sintonizar as rádios AM e FM!!! Não acredita??? >>>> http://www.angeloni.com.br/eletro/produto?grupo=11076&idProduto=3457831


Vitrola moderna


destaque para as entradas USB e cartão de memória.

domingo, 17 de novembro de 2013

O Sorriso Efêmero da Irmã Sorriso


♫"Dominique, nique, nique,
sempre alegre esperando
alguém a quem possa amar.
O seu príncipe encantado,
seu eterno namorado.
Que não cansa de esperar."♫

Lembram dessa música que foi o maior sucesso na década de 1960? Na verdade, é uma adaptação de uma música francesa gravada pela freira cantora Soeur Sourire, ou Irmã Sorriso como aqui no Brasil é conhecida. Jeanine Deckers (17 de outubro de 1933 – 29 de março de 1985) ou Jeanne-Paule-Marie Deckers, seu nome de batismo, era cantora belga. Entre 1959 e 1966 foi freira dominicana no convento de Fichermont em Waterloo.No convento, ela compunha e cantava suas próprias músicas, como também era bem recebida pelas suas irmãs seguidoras e visitantes. Atingiu a fama com o nome artístico de Irmã Sorriso (Soeur Sourire). Jeanine também foi apelidada carinhosamente de "Freira Cantora".
Em 1961 seu primeiro álbum foi gravado em Bruxelas pela Philips (hoje Universal Music). O compacto simples "Dominique", um folk católico gravado originalmente em francês e, posteriormente, numa versão mais comercial em inglês, se tornou um sucesso internacional e, em 1962, seu disco vendeu aproximadamente 2 milhões de cópias, chegando a desbancar Elvis Presley e Beatles, duas sensações juvenis da época, no US Billboard Top 10 em 1963, ficando em 1º lugar. "Dominique" foi a primeira música belga a conquistar o topo das paradas de sucesso nos Estados Unidos.

"Dominique"
escrita e interpretada por Jeanine Deckers (Irmã Sorriso)
(P) 1963 Philips Records (hoje Universal Music Group)



http://www.youtube.com/watch?v=j67CRvHEVvs


Depois da fama, as graves dificuldades

A Freira Cantora também era conhecida pelas suas polêmicas. Ela considerava a Igreja Católica muito conservadora, além de defender o uso de pílulas anticoncepcionais e de concordar com a declaração de John Lennon de que os Beatles seriam mais famosos que Jesus Cristo. Jeanine não ganhou muito com o sucesso de "Dominique", e seu segundo álbum, "Her Joys, Her Songs" foi um fracasso. Ao largar o hábito, em 1966, pretendia continuar com sua carreira musical sob o pseudônimo de Luc Dominique. Não deu certo. Mas o pior estava por vir: "o Fisco belgo a intimou para que ela pagasse seus impostos atrasados referentes às vendas de seu disco (3 milhões de cópias), no entanto tudo o que fora arrecadado foi destinado ao respectivo convento que habitava (respeitando seu voto de pobreza) mas não houve recibos de doações, o que levou a um exaustivo processo que não chegou a ser concluído antes de sua morte" (Wikipedia). "Em 1983, Jeannine tentou fundar uma instituição de amparo a deficientes. Outra falta de sorte. No momento em que, por falta de verbas, ela decidiu fechar a instituição, passando-a a outro grupo assistencial, a verba oficial que solicitara acabou sendo liberada - mas já era tarde demais. Sobrevivendo com aulas de violão e algumas exposições de pintura, Jeannine entrou então em profunda depressão. Já em outubro de 1984 ela começou a falar em suicídio." (O Explorador). Com inúmeros problemas financeiros e dificuldades em sua vida, levando um padrão de vida de extrema pobreza, Jeanine suicidou-se por ingestão de álcool e remédios, que também levou sua companheira Annie Pécher, com quem supostamente teve uma relação homoafetiva, pois tinham um pacto de morte. Deckers e Pécher foram enterradas juntas. Na descrição do túmulo, lê-se, em tradução livre: "eu vejo sua alma atravessando as nuvens", um verso de uma das músicas de Jeanine Deckers, "Sister Smile Is Dead" ("Irmã Sorriso Morreu").



Edição original e edição brasileira da capa do LP da Irmã Sorriso (fotos: YouTube / Mercado Livre)


Irmã Sorriso em filmes

A cinebiografia "Soeur Sourire" ("Irmã Sorriso", de 2009) protagonizada pela atriz belga Cécile de France (do filme "Além da Vida", com Matt Damon) é um retrato de sua história marcada por altos e baixos. Muito antes deste filme dirigido por Stijn Coninx, a vida de Irmã Sorriso já havia sido filmado em 1965, intitulado "The Singing Nun" (no Brasil, "Dominique") estrelado por Debbie Reynolds no papel principal. Jeanine supostamente rejeitou a obra, considerando-a como "ficção". Na época, não havia um pingo de garantia de que a Freira Cantora teria um destino trágico.

"Irmã Sorriso" (2009) (trailer 1)



http://www.youtube.com/watch?v=80iEeBRo-oY


"Irmã Sorriso" (2009) (trailer 2)



http://www.youtube.com/watch?v=nlwQ2ao9iUI


"Dominique" no Brasil

Em 1964, a cantora brasileira com o nome semelhante ao da cantora original, Giane (Georgina Morozini dos Santos, 1936), paulista de Bebedouro, gravou, em uma versão portuguesa, a música "Dominique". Giane tem duas filhas e seis netos, e uma das suas últimas aparições na mídia foi no programa de TV "Rei Majestade" do SBT em 2008.



http://youtu.be/j67CRvHEVvs




terça-feira, 12 de novembro de 2013

12 de Novembro. Dia de Aniversário e Falecimento no Samba

Dia 12 de novembro de 2013 está dividido entre a felicidade e a tristeza no mundo do samba. Simplificando:é marcado tanto pelo aniversário de dois grandes nomes do samba _dois portelenses_ quanto pelo falecimento de um compositor do gênero.



Hoje é aniversário de Paulinho da Viola. Paulo César Batista de Faria, seu nome de batismo, é filho de César Faria, um dos integrantes do conjunto de choro Época de Ouro. O cantor e compositor, que faz 71 anos, cresceu no Rio de Janeiro ouvindo em casa canjas de músicos como Pixinguinha e Jacob do Bandolim, e mais tarde aprendeu a tocar violão e cavaquinho.

Video: Paulinho da Viola e Velha Guarda da Portela cantando "Foi Um Rio Que Passou Em Minha Vida" no Som Brasil (Rede Globo)



http://youtu.be/LAEXGgWXphs



Se estivesse vivo, hoje João Nogueira (m. 2000) faria 72 anos. Seu pai, João Batista Nogueira, era advogado e músico e chegou a tocar com Noel Rosa! Em 2012, através de uma iniciativa da Prefeitura do Rio de Janeiro e por meio da sua Secretaria de Cultura, um centro cultural carioca que, depois de um longo tempo fechado, foi reinaugurado como Centro Cultural João Nogueira que, além de ser um espaço completamente dedicado à arte em suas diversas vertentes, preserva a memória do sambista. João Nogueira foi o primeiro a ser homenageado no projeto "Samba Book" em 2011, no qual vários artistas da MPB fazem reeleituras de músicas de sua autoria.



http://youtu.be/Jrao-YDdFDs




Do outro lado, o compositor Délcio Carvalho faleceu hoje às 7 horas. Desde o dia 18 de outubro ele lutava contra o câncer gástrico, o que causou sua morte. Délcio, que tinha 74 anos, teve seus grandes sucessos, como "Acreditar", "Sonho Meu" e "Candeeiro de Vovó", todos estes em parceria com Dona Ivone Lara. Neste video a seguir, Délcio Carvalho no programa Sr. Brasil apresentado por Rolando Boldrin.



http://youtu.be/naQ8cPDj76E

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Janis Joplin ganha estrela póstuma na Calçada da Fama






Laura e Michael Joplin representaram a irmã famosa na homenagem.


Nesta segunda-feira (04/11/2013), Janis Joplin foi homenageada com uma estrela póstuma na Calçada da Fama na Hollywood Boulevard, em Los Angeles. Para representar a cantora, morta de overdose de heroína aos 27 anos em 1970, a cerimônia contou com a presença dos irmãos Michael e Laura Joplin. "É uma figura lendária e seus fãs em todo o mundo vão lembrar para sempre de suas canções", declarou a responsável pela Calçada da Fama, Ana Martinez, sobre a "Rainha do Rock and Roll" que completaria 70 anos em 2013.Quem também esteve lá foi o cantor e compositor que manteve com Janis parceria profissional e relacionamento pessoal, Kris Kristofferson, que cantou "Me And Bobby McGee", música da autoria dele e de Fred Foster que deslanchou mundialmente na voz da homenageada logo depois de seu falecimento. 

sábado, 2 de novembro de 2013

Censo inédito revela que Rio tem quase 5,6 mil moradores de rua






Me vi obrigada a postar essa reportagem do Bom Dia Brasil que foi exibida nesta sexta-feira (01/11/2013), porque eu e mamãe vimos essa matéria e eu chorei muito com os moradores de ruas do Rio de Janeiro que, no passado, tinham tudo pra dar certo e terminaram na extrema decadência e sem dignidade. Os repórteres encontraram nas ruas até mesmo um ex-professor de informática que fala inglês. Eu tive essa mesma reação de coração apertado quando vi uma matéria no Conexão Repórter do SBT com Edson Café, o ex-integrante da Banda Raça Negra que era mendigo e agora está em casa de recuperação. Para assistir à reportagem, clique no link do site do telejornal matinal da Rede Globo:

http://g1.globo.com/bom-dia-brasil/noticia/2013/11/censo-inedito-revela-que-rio-tem-quase-56-mil-moradores-de-rua.html



quarta-feira, 30 de outubro de 2013

Saiu do forno o (esperado) clipe do Leo Russo!

Foto: fanpage Leo Russo (Facebook)

Saiu nesta manhã de quarta-feira (30/10/2013) o esperado clipe da música "Meu Defeito" de Leo Russo. No vídeo, o cantor está muito bem acompanhado de vários artistas de peso. "Gravamos com a presença de grandes amigos, músicos e ídolos meus. Confesso que foi um dos dias mais felizes da minha vida", diz o sambista no Facebook. Na mesma publicação, Leo completa que houve uma surpresa durante as gravações: a presença de Zeca Pagodinho, um dos seus ídolos." Quando já estava nota 1000, apareceu meu ídolo Zeca Pagodinho e falou 'Leo, tamo aí, boa sorte!' ". Confira!




http://www.youtube.com/watch?v=9XPVpxJfnjs

sábado, 26 de outubro de 2013

Um Motivo Para Amar o CD do Leo Russo



Capa do CD "Leo Russo".


"Quer saber? Este CD é um amor!". Foi com este trocadilho que eu fiz nos comentários com o título de uma das faixas do primeiro CD de carreira de Leo Russo ["Quer Saber (É o Amor)", de Fred Camacho] que fui sorteada pela promoção feita pela fanpage oficial do sambista no Facebook e recebi como prêmio o CD autografado pelo próprio jovem e talentoso cantor e compositor de 24 anos. Meu coração deu pulinhos de alegria, porque, finalmente, o CD vem à Santa Catarina, e o que é melhor: à minha casa em Itajaí!
E não é que é um amor de CD? Recebi pelo correio nesta sexta-feira (25/10/2013) e, em menos de um dia, o escutei três vezes. TRÊS VEZES!!! (a última vez que eu fiz essa loucura foi quando comprei o CD "Nosso Samba Tá na Rua"da Beth Carvalho).
O "segredo" está na levada e no clima empolgantes de músicas como "Amor Eu Tenho Pra Dar" (de Dudu Nobre, Magarça e Claudemir), na criatividade rica nas letras (impossível citar só uma ou algumas faixas) e nas rimas (como mostra em "Acordei Diferente" e "Vida na Avenida", ambos de Leo Russo), na ficha técnica e encarte, ambos de cair o queixo, e nas participações especiais de grandes nomes do samba, como Diogo Nogueira, Beth Carvalho, Dudu Nobre, Velha Guarda da Portela, o eterno jogador futebolista Junior (no pandeiro na faixa "Maria Rita") e um artista que está presente na maior parte do CD e de quem sou fã de carteirinha: Rildo Hora, que, além de produzir, fez arranjo de algumas músicas e teve seus filhos Misael (teclado) e Patrícia Hora (coro) como músicos participantes. Isso sem falar nas boas escolhas para releituras de grandes sambas, como "Mutirão de Amor" (de Zeca Pagodinho, Jorge Aragão e Sombrinha), "Maria Rita" (de Luiz Grande) e "Só Pra Chatear" (Príncipe Pretinho) e no encerramento do CD com chave de ouro com "O Mar e a Sereia" (de Leo Russo e Rildo Hora). Cada detalhe deste CD é de tirar o folêgo.
Quem é fã de samba de raiz, conhece algumas músicas de Leo Russo e gostou delas, um "Conselho Meu" (que não foi regravado para o CD, mas é um dos sucessos de seu EP produzido em 2009): você não vai se contentar apenas com os videos dele no YouTube, vai? Compre o CD que cada faixa vale a pena!

Para saber sobre cada faixa, é so clicar no link seguinte (com video):
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2013/09/faixa-faixa-do-cd-do-leo-russo-por-ele.html



 Eu com o CD autografado do Leo (primeira foto acima) e o detalhe do CD.



quinta-feira, 24 de outubro de 2013

Roberto Carlos comemora os 40 anos na Globo em noite de gala



Roberto Carlos está na Globo há 40 anos e vai comemorar a data em grande estilo, bem digno de uma noite do Oscar. Segundo as informações da colunista Gisele Vitória, da revista IstoÉ, para esta celebração de gala será convocada grande parte do elenco da Globo. A gravação do especial, que será dirigido por Jayme Monjardim, acontecerá no dia 23 de novembro na grande sala da Fundação Cidade das Artes, na Zona Oeste do Rio de Janeiro.
O especial de Roberto Carlos na Globo teve sua estreia no dia 24 de dezembro de 1974. O programa, na época, obteve um enorme índice de audiência, tanto que, a partir daquele ano, o programa seria veiculado anualmente, sempre na semana do Natal e na mesma época em que seus discos anuais costumavam ser lançados.

terça-feira, 22 de outubro de 2013

O dia de Beth

Não foi à toa que, no dia 16/10/2013 (quarta-feira) foi dia de Beth Carvalho, pois houve duas aparições da sambista na TV neste dia:

Programa Sem Censura (TV Brasil) (Sky, canal 166)  
às 16:00

Foto: fanpage Sem Censura - Facebook


O "Sem Censura" apresentado pela Leda Nagle homenageou a sambista vencedora do Grammy Latino de 2012 pelo álbum "Nosso Samba Tá Na Rua" (Andança/EMI). Com a participação de convidados ilustres, como a cantora Lu Carvalho, sobrinha da Beth, o cantor Almir Guineto, o músico Bira Presidente (do Grupo Fundo de Quintal) e o produtor Rildo Hora. Assista ao programa na íntegra neste video abaixo postado pela própria TV Brasil no YouTube.



http://youtu.be/EGSZvWJ15Ek


Programa do Jô (Rede Globo)
na madrugada do dia 16 para 17/10

Foto: fanpage Lu Carvalho - Facebook


O apresentador e humorista Jô Soares entrevistou a Beth Carvalho que, curada de um problema na coluna vertebral, entrou no cenário com a cadeira motorizada batizada por ela de "Bethmóvel". "Eu estou andando, mas esse carrinho é mais confortável", diz a sambista, que, no programa, fala sobre seu período de um ano e um mês de internação. Veja a entrevista clicando no link do Programa do Jô.

http://tvg.globo.com/programas/programa-do-jo/O-Programa/noticia/2013/10/beth-carvalho-comenta-que-festa-em-hospital-fiz-feijoada-no-meu-aniversario.html


quinta-feira, 17 de outubro de 2013

A Roda da Vida Privada


Uma paródia muito bacana de "Roda Viva" de Chico Buarque feita pelo Bruno Costta (e é com dois "tês") em tributo ao Marco Feliciano, o atual presidente da Comissão de Direitos Humanos. E com direito a narradora imitando a apresentadora Sônia Ribeiro do Festival da Record de 1967 na introdução. Aplausos!!


Bruno Costta - A Roda do Feliciano ''Melô da Cura Gay'' (Paródia Roda Viva)



http://www.youtube.com/watch?v=BJJ0GY3HFmM





sábado, 12 de outubro de 2013

Feliz dia das crianças!!!!

 Olha só como meus artistas preferidos eram quando pequenos!



Chico Buarque, cantor e compositor. Dá pra perceber que ele continua com esse rosto tímido e de galã.


Maysa. Diferentemente daquela imagem melancólica, a saudosa cantora provou que era uma criança feliz (foto: http://www.fotolog.com.br/maysa_monjardim/ )


Esse bebezinho fofo nem imaginava que iria ser considerado o Rei da Música Brasileira: o Roberto Carlos


O cantor Leo Russo mostrou que nasceu mesmo para o samba! Olha que fofura! (foto: https://www.facebook.com/leorussosamba )


 Ela nasceu na música, cresceu na música e vem vivendo na música. Patrícia Hora, cantora e filha do músico Rildo Hora, passou de menina fofa para a moça linda.

João Nogueira, saudoso e brilhante sambista aos seis aninhos de idade.


Falando no João, olha o filho dele, o também cantor Diogo Nogueira! Sempre com essa boquinha linda. (foto: https://www.facebook.com/DIOGO.NOGUEIRA.FA.CLUBE )


Olha o Zeca Pagodinho em seu primeiro ano de vida! (foto: https://www.facebook.com/ZecaPagodinhoOficial )

sábado, 5 de outubro de 2013

Rildo Hora e Leo Russo no Samba na Gamboa NA ÍNTEGRA





Rildo Hora, Diogo Nogueira e Leo Russo em um dos melhores episódios do Samba na Gamboa da TV Brasil.


Para se assistir mais e mais vezes: Samba na Gamboa com Rildo Hora e Leo Russo na íntegra! Aqui você conhece um pouco de como os dois se interessaram pela carreira musical e, de brinde, ouve as músicas do sambista-revelação e o melhor: mata a saudade do Rildo Hora cantor interpretando "Meninos da Mangueira", da autoria dele e do Sérgio Cabral Pai. Aumente o volume e sinta-se no local da gravação.




http://www.youtube.com/watch?v=vqitmk58j-Q



segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Rildo Hora e Leo Russo no Samba na Gamboa



Nesta terça-feira (24/09/2013), Rildo Hora e Léo Russo conversam com Diogo Nogueira sobre a fórmula certa para se obter o bom e velho samba, com direito ao maestro Hora explicando como se produz um disco de sucesso. No repertório, músicas como "Samba Pras Moças", "Meninos da Mangueira" e "Maria Rita".

Às 22:00 na TV Brasil.




Video: TV Brasil - YouTube(  http://www.youtube.com/watch?v=elvDVCJHvG4 )

Foto: Fanpage Leo Russo Samba - Facebook (https://www.facebook.com/leorussooficial )
Texto: TV Brasil

sexta-feira, 13 de setembro de 2013

Faixa a Faixa do CD do Leo Russo, por ele mesmo



Neste video publicado nesta terça-feira (10/09), o sambista Leo Russo conta histórias e curiosidades sobre cada canção do seu primeiro CD que será lançado no próximo dia 8 de outubro no Teatro Rival do Rio de Janeiro. Produzido por ninguém menos que Rildo Hora, o CD tem as participações especiais de Diogo Nogueira e do ex-jogador de futebol Junior no pandeiro,ambos na faixa "Maria Rita" de Luiz Grande, sucesso na voz de João Nogueira, Beth Carvalho em "Tudo Isso e Muito Mais", Dudu Nobre em "Quando Parei o Sinal" e a Velha Guarda da Portela em "Só Pra Chatear". Para qualquer amante de samba de raiz ficar com água na boca de tanta curiosidade, a seguir, com o video, uma ficha técnica de tirar o fôlego. E eu na torcida de que várias cópias desse CD cheguem ao Sul do Brasil (em especial aqui no litoral catarinense, rs rs). E viva o samba carioca!

 (clique nos nomes das músicas em destaque para conferir os videos).

1- Mutirão de amor (Zeca Pagodinho/Jorge Aragão/Sombrinha)
2- Amor eu tenho pra te dar (Dudu Nobre/Magarça/Claudemir)
3- Acordei diferente (Leo Russo)
4- Maria Rita (Luiz Grande) - com Diogo Nogueira e Maestro Júnior no pandeiro
5- Pão que alimenta (Edson Cortes/Wantuir/Binho Sá)
6- Quer saber (é o amor) (Fred Camacho)
7- Tudo isso e muito mais (Pablo Amaral/Edu Tardin) - com Beth Carvalho
8- Meu defeito (Leo Russo)
9- Quando parei no sinal (Arlindo Cruz/Franco) - com Dudu Nobre
10- Só pra chatear (Principe Pretinho) - com Velha Guarda da Portela
11- Vida na avenida (Leo Russo)
12- As nuvens (Leo Russo/Alex Ribeiro/Fernando Magalhães)
13- Falou que falou (Leo Russo/Alceu Maia/Ronaldo Jr)
14- O mar e a sereia (Rildo Hora/Leo Russo)




http://youtu.be/BZzACECOUCs


domingo, 8 de setembro de 2013

Ela voltou!

Foto: Uol

O Dia da Independência do ano de 2013 marcou a volta de Beth Carvalho aos palcos. Após um ano internada por problemas na coluna, a cantora fez seu primeiro show de retorno no Vivo Rio, no Rio de Janeiro. "Vocês nem imaginam a saudade que eu estava disso aqui", disse a sambista, emocionada depois de cantar "Minha Festa" de Nelson Cavaquinho e Guilherme de Brito. Após interpretar, em seguida, "Sentimento do Povo",  de Otacílio da Mangueira e Décio Carvalho, Beth fez um breve desabafo: "O pagode anda meio deturpado, mas eu sou pagodeira com muito orgulho e vou cantar a música que considero hino do pagode". O hino era a canção "Coisa de Pele", de Jorge Aragão e Acyr Marques.
A madrinha do samba encerrou sua apresentação com chave de ouro (ver video abaixo). Com a filha Luana Carvalho, a sobrinha cantora Lu Carvalho e os amigos da música Mariene de Castro, Dudu Nobre e Rildo Hora, Beth Carvalho cantou as inesquecíveis "Coisinha do Pai" de Jorge Aragão, Luiz Carlos e Almir Guineto e "Vou Festejar" de Jorge Aragão, Dida e Neoci Dias.




Video: http://youtu.be/jd5PJLAxW34


sábado, 31 de agosto de 2013

Eu Me Rendo!

Janis Joplin era boa e eu não sabia!



Janis Joplin em Copacabana, Rio de Janeiro, fevereiro de 1970.


Eu confesso que nunca fui de gostar de rock e blues psicodélicos, mas sempre me interessei em músicas autobiográficas, como as de Lupicínio Rodrigues, Roberto Carlos, Maysa, Renato Russo, Cazuza e das cantoras britânicas Amy Winehouse e Adele. E aí, no último dezembro, fui comprar a revista Rolling Stone Brasil com a intérprete de "Someone Like You" na capa. Ao ler esta matéria, que foi o objetivo de eu ter comprado a revista além da reportagem sobre o rei do baião Luiz Gonzaga, havia nela uma lista de cinco discos "que abriram o caminho para a explosão da Adele", entre eles, "Back To Black" (Universal Music, 2006) da Amy Winehouse e... Pearl (Discos CBS, hoje  Sony Music, 1971), da aloprada Janis Joplin (Janis Lyn Joplin, Port Arthur, Texas, 19 de Janeiro de 1943 — Los Angeles, 4 de Outubro de 1970), apesar de que apenas duas faixas são de sua autoria: "Move Over" e "Mercedes Benz" , esta em parceria com Bob Neuwirth e Michael McClure. Algumas faixas do último e considerado melhor álbum da carreira de Janis, segundo a Rolling Stone brasileira, revelam sua alma profunda e sofrida, como o clássico "Cry Baby" e a profética "Get It While You Can". Só recentemente, neste mês de agosto de 2013, ouvi no YouTube o álbum completo (incluindo as faixas bônus incluídas no CD relançado) de "Pearl" e, adivinhe: achei bacana! Antes disso eu, amante de biografias de cantores famosos, já tinha visto o documentário no YouTube "As Últimas Horas de Janis Joplin" exibida originalmente pela GNT. Um documentário que, como diz a roqueira e fã Pitty que foi a narradora, traz a gente pra dentro da cena e faz a gente se sentir como uma mosquinha. É uma pena que a perdemos tragicamente para as drogas,o mesmo problema que Amy, Whitney Houston e Elis Regina tiveram e que, assim como a Janis, eram as divas de talento indescritível.



Sua longa extensão vocal, sua presença de palco extravagante, os temas de dor e perda e a sua gargalhada contagiante eram suas marcas registradas e serão lembrados para sempre. Antes de Janis Joplin, as cantoras brancas americanas eram meiguinhas e comportadas, até que, no Festival Internacional de Música Pop de Monterey em 1967, ao interpretar "Ball and Chain" da blueswoman Big Mama Thornton, Janis, influenciada por outras grandes divas da black music como Etta James, Aretha Franklin e Billie Holiday, quebrou o tabu de que mulheres brancas não cantavam blues de músicos negros e arrepiou a platéia usando seus agudos impressionantes e sua interpretação frenética e desinibida. Repare no 3:28 do video abaixo a reação do público com a tal novidade. E, a partir daí, a apresentação fez com que Janis, em parceria com a banda Big Brother & The Holding Company, se tornasse uma estrela, sendo também considerada a rainha do rock and roll.






 http://youtu.be/X1zFnyEe3nE


A vida conturbada de Janis Joplin


Janis Joplin ainda menina com a mãe (primeira foto acima) e como adolescente comportada e bem vestida (segunda foto acima).


Tudo indica que Janis Joplin tinha uma infância feliz e tranquila. Sua mãe queria que ela fosse uma garota popular, elegante e vaidosa e trabalhasse como professora, mas, na adolescência, seu corpo deixava de se desenvolver e sua pele apresentava problemas de acne, fazendo com que seus colegas a rejeitassem e que Janis ficasse arrasada. A exclusão fez com que Janis se rebelasse mais ainda:ela passou a se vestir de preto e xingar palavrões. Quanto mais ela se rebelava, mais os colegas a isolavam. Mas Janis conseguiu refúgio na companhia de outros poucos excluídos que eram contra o status quo, o sistema e as regras que prevaleciam na época.
Rebeldes, Janis e o restante da turma atravessavam ilicitamente a fronteira com o estado de Louisiana onde, entre outras aventuras, encontravam o fruto proibido: a black music. Na época, a discriminação racial nos Estados Unidos estava no auge. Janis era da turma a que mais curtia jazz e blues em casas noturnas. Em uma dessas noites, os colegas e a futura cantora foram detidos por baterem o carro.
Em 1962, a jovem deixou a cidade natal e foi cursar artes na universidade de Texas, na cidade de Austin. Lá, ela encontrou pessoas da contracultura como ela, em especial, músicos, e começou a cantar blues e folk com amigos. Do Texas, Janis mudou-se para San Fancisco e trabalhou como cantora folk em cafés e bares. A jovem intensificou o uso de drogas, começou a usar heroína e bebia muito. Apesar de gostar da carreira musical, Janis achava que usar drogas era mais importante do que cantar. Ela teve que voltar a Port Arthur para se recuperar.
Ao retornar a San Francisco, em 1966, Janis, influenciada no blues, conhece Big Brother & The Holding Company, a banda que a levaria ao sucesso. No final de 1968, ao sair da Big Brother por desentendimentos, Janis Joplin, já no auge da carreira e do sucesso, queria incluir instrumentos de sopros em suas músicas e formou o grupo Kozmic Blues Band que a acompanhou no histórico festival Woodstock em 1969 e gravou o álbum "I Got Dem Ol' Kozmic Blues Again Mama!" (Discos CBS, hoje Sony Music, 1969). Apesar de ser premiado como disco de ouro, dos arranjos sofisticados e das reeleituras dos clássicos "To Love Somebody" dos Bee Gees e "Little Girl Blue" da dupla Lorenz Hart e Richard Rodgers, o álbum não teve o mesmo sucesso que os dois anteriores da cantora com a Big Brother & The Holding Company. A levada soul da nova banda não agradava aos críticos e nem tampouco aos fãs. A partir daí, Janis, que até então era a queridinha da mídia, recebia severas críticas da imprensa e isso a fez com que ela lamentavelmente se deprimisse e se afundasse ainda mais nas drogas. A cantora desmanchou a banda Kozmic Blues.
Em 1970, para tentar se livrar do vício da heroína, Janis quis se tratar num lugar bem distante: Rio de Janeiro, Brasil. Mas, em vez disso, durante sua estada, Janis bebeu muito, fez topless na praia de Copacabana, cantou em um bordel, foi expulsa do hotel Copacabana Palace por nadar nua na piscina, teve um breve caso com o roqueiro carioca Serguei (este que, até hoje, orgulhoso, usa camisetas estampadas com a frase "eu comi a Janis Joplin") e, por pouco, não foi presa pelas suas atitudes na praia, consideradas "fora do comum". Como era época de carnaval, Janis tentou participar do desfile da escola de samba Estação Primeira de Mangueira, mas teve acesso negado por um segurança que desconfiou de seu traje hippie.
A volta por cima aconteceu com sua aliança à nova banda Full Tilt Boogie. Com ela, Janis resolveu parar de se drogar, conseguiu ótimos músicos, uma nova familia e uma forma de voltar à mídia e a ser admirada pelo público e gravou o último álbum de sua vida, "Pearl". No dia 3 de outubro de 1970, Janis visitou o estúdio Sunset Sound Recorders em Los Angeles, Califórnia, para ouvir o arranjo pronto da música profeticamente titulada "Buried Alive in the Blues" (Enterrada Viva no Blues), escrita por Nick Gravenites. Empolgada com o instrumental da canção, Janis colocaria a voz nela no dia seguinte. À noite, a cantora foi para o hotel e, no dia das gravações (4 de outubro), o empresário da banda John Cooke estranhou a ausência da cantora no estúdio e foi ao hotel onde a encontrou morta, vítima de overdose de heroína possívelmente combinada com efeitos do alcool. "Buried Alive in the Blues", mesmo sem a voz da Janis, foi incluída no álbum "Pearl" como faixa instrumental, já que a própria cantora adorou o arranjo da música. "Pearl" foi lançado meses depois de sua morte, tornando-se o álbum mais vendido e aclamado de Janis Joplin.
Em 1979 foi lançado o filme "A Rosa" ("The Rose", 20th Century Fox), baseado em sua vida e estrelado por Bette Midler. Em breve, será gravado a cinebiografia de Janis Joplin com a atriz Amy Adams no papel da cantora.

terça-feira, 27 de agosto de 2013

Eu sou uma moça velha...



Se você cantarolava a música da pipoca com guaraná, tinha um daqueles bichinhos de pelúcia da Parmalat e lembra que seu pai depositava seu dinheiro no Banco Bamerindus, significa que você está ficando velho (a)! Olha que bacana o video de alguns dos melhores jingles da propaganda brasileira feito pelo canal Ahsefordeu (www.youtube.com/ahsefordeu)


  http://youtu.be/N207gEd0fE8

sábado, 17 de agosto de 2013

Os 80 anos de Monarco

Feliz aniversário, Monarco!
clique na imagem para ampliar


Felicidades ao Hildemar Diniz, nome de batismo de um dos membros da Velha Guarda da Portela!!Muitas bênçãos e muito sucesso pela frente!!!

E vamos brindar com uma de suas músicas que ele considera o mais importante de sua carreira: "Tudo, Menos Amor" (em parceria com Walter Rosa), que foi gravado primeiramente pelo Martinho da Vila no início da década de 1970.




Video: http://youtu.be/CUwqUPLPWrA



Monarco 80 anos - o sambista conta a história da sua vida na Portela



Video: Samba de Raiz (fanpage do Facebook) - https://www.facebook.com/sambaeraiz
http://youtu.be/s1Q4YH8BcCU

quarta-feira, 14 de agosto de 2013

TV Brasil de luto: morreu Luiz Carlos Pires


Faleceu na madrugada desta terça-feira (13/08) no Rio de Janeiro o profissional de televisão e produtor de cinema Luiz Carlos Pires Fernandes (1941-2013). Ele era diretor do programa "Musicograma", existente desde 2001 e exibido aos sábados na TV Brasil (que, aqui em Santa Catarina, é um canal transmitido somente através da antena parabólica). A cada episódio, "Musicograma" mostra dois grandes nomes da música brasileira e seus depoimentos, curiosidades e apresentações musicais registradas no acervo da emissora carioca da Empresa Brasil de Comunicação (EBC). Pires teve complicações depois de uma cirurgia para corrigir problemas circulatórios.
"Luiz Carlos começou sua carreira na TV Tupi em 1964, onde ficou até 1966. A partir de 1966, produziu alguns dos mais importantes filmes do cinema brasileiro, como 'A Hora e a Vez de Augusto Matraga' (1966), com direção de Roberto Santos, 'Todas as Mulheres do Mundo' (1967), com direção de Domingos de Oliveira, 'Garota de Ipanema' (1967), com direção de Leon Hirszman, e 'Bang Bang' (1971), com direção de Andrea Tonacci." (O Tempo)
Além da TV Tupi, Luiz Carlos Pires trabalhou na Rede Globo e na TV Educativa do Rio e participou da criação da TV Minas no final da década de 1980.
O corpo do produtor televisivo será enterrado em Belo Horizonte, Minas Gerais, sua terra natal.
Eu não o conheci pessoalmente, mas, como telespectadora da TV Brasil e do "Musicograma", eu tive o privilégio de eu ter sido adicionada por ele na sua lista de amigos de seu Facebook e de ter sido avisada por ele nas vezes em que o "Musicograma" eram sobre alguns dos meus artistas preferidos, como Rildo Hora e Monarco. Sua última atualização na rede social foi na quinta-feira passada (08/08) em que ele dizia que estaria ausente por alguns dias para se submeter a uma cirurgia de "recanalização fêmoro poplítea". Ninguém imaginava que esta seria uma mensagem de despedida.
No dia da sua morte, a equipe do "Musicograma" postou uma mensagem através da sua página do Facebook:

Hoje, foi habitar nos céus o nosso querido criador e diretor do programa Musicograma: Luiz Carlos Pires Fernandes.
Um homem que tinha profundo entendimento do que era Cultura, Música e Arte. Tinha mais de 50 anos de carreira e realizou muitos trabalhos jornalísticos, no cinema, na televisão etc. Nesta última área, dedicou a sua vida aos musicais!
Muita história, muitos anos dela, dedicados à antiga TVE e atual TV Brasil. Aonde ele foi o Diretor dos principais musicais da casa: 'A Vida é um Show', do 'Conversa Afinada' e 'Bossa Sempre Nova' e 'Cena Musical'.

Foi muita história e nós não poderíamos deixar de prestar uma singela homenagem a este que nos ensinou tanto.

Sentiremos muito a sua falta Luiz Carlos!

De toda equipe Musicograma.



O "Musicograma" deste sábado (17/08) será em homenagem aos 80 anos do cantor e compositor Monarco, da Velha Guarda da Portela.

Luiz Carlos Pires Fernandes durante a edição do "Musicograma" da TV Brasil.



Videos do telejornal Repórter Brasil (TV Brasil) noticiando a morte do produtor de TV.

Morre o cineasta Luiz Carlos Pires (reportagem)



http://youtu.be/222lhp_b0uE

 Morre o cineasta Luiz Carlos Pires  (homenagem)



http://youtu.be/91yX1eC2PO4


Video gravado em 2012 com Luiz Carlos Pires falando sobre sua direção do especial com Clara Nunes em 1979 na TVE (hoje TV Brasil)



http://youtu.be/9ckh1LOc1RQ


Descanse em paz, Luiz Carlos Pires, e que Deus te ponha em bom lugar.


domingo, 11 de agosto de 2013

O Perfil do Músico Rildo Hora

"Gaita de boca, olho de gato, música que sopra do coração. Assim é Rildo Hora."


Durante a sua estada no Rio Grande do Norte devido à sua participação no show do lançamento do CD da cantora potiguar Valéria Oliveira, o álbum do qual é o diretor, Rildo Hora deu uma breve entrevista a repórter Margot Ferreira no telejornal regional RJTV 1ª Edição da Inter TV Cabugi (afiliada da Rede Globo em Rio Grande do Norte). Se você admira este músico talentoso como eu, recomendo que veja, pois a entrevista é amável, animada e "da hora".



Link do Video:
http://g1.globo.com/rn/rio-grande-do-norte/rntv-1edicao/videos/t/edicoes/v/quadro-cores-e-nomes-desta-semana-traz-o-perfil-do-maestro-rildo-hora/2749327/




http://youtu.be/w73-QUzSuiw

sábado, 10 de agosto de 2013

Curada!

Depois de um ano no hospital, Beth Carvalho festeja sua alta



Fãs de samba de raiz começaram a semana com uma boa notícia: aos 67 anos, Beth Carvalho recebeu alta depois de um pouco mais de um ano internada no hospital Pró-Cardíaco, no Rio de Janeiro, por conta de complicações de uma cirurgia na coluna. Os problemas de saúde da Madrinha do Samba tiveram seu começo em 2006, quando ela passou a sentir fortes dores nas costas "causadas por uma artrose no fêmur só descoberta três anos depois. Beth foi operada em 2010 para colocar pinos provisórios no sacro, o osso base da coluna, e na bacia. A artista ficou sete meses sem poder sair da cama. Em junho do ano passado, foi forçada a voltar ao hospital devido a uma inflamação no local. Somente deixou o hospital na semana passada" (Jornal Zero Hora,Clic RBS , 04/08/2013). Ainda este ano, Beth foi homenageada no carnaval paulista pela escola de samba  Acadêmicos do Tatuapé, mas, devido à sua enfermidade, teve que se ausentar do desfile na avenida e foi substituída pela sua sobrinha, Lu Carvalho, também cantora.
Ao ser questionada pelo jornalista, repórter e fã assíduo de samba Chico Pinheiro numa matéria ao  "Fantástico" da Rede Globo sobre seu estado de espírito durante a internação, disse:
"Claro, claro que tem a tristeza junto porque eu sou humana, né? Mas muita certeza de que ia ficar tudo bem. Muitas orações, as pessoas... Quero agradecer muitíssimo a todos que rezaram por mim, que me deram essa alegria no hospital.  Como eu sou apaixonada pela vida, as pessoas ficavam impressionadas com o meu humor. Não sei se é porque eu tava cercada de gente competente, muitas técnicas, enfermeiras, médicos, todos muito bons, eu fiz aquilo ali minha casa. Fui levando mesa, fui levando baralho, fui levando vídeo. Porque a coisa não ia embora, não ia embora".
Além de ter recebido visitas de seus inúmeros amigos como Zeca Pagodinho e Arlindo Cruz, para que a Beth marcasse presença no CD de estréia da Lu Carvalho, foi até montado um estúdio móvel no quarto do hospital.
No dia 31 de julho, Beth comemorou a sua recuperação com festa em sua casa em São Conrado, na Zona Sul do Rio de Janeiro (ver no site Ego) com seus amigos sambistas como Almir Guineto e Martinho da Vila e sua sobrinha Lu Carvalho que estava de aniversário no dia.
Com mais de 45 anos de carreira, Beth está ansiosa pra voltar aos palcos e planeja gravar mais um DVD ao vivo. Um motivo de ela dizer um verso de uma das músicas de seu último CD "Nosso Samba Tá na Rua": "tô feliz demais, sinto tanta paz, desta vez felicidade exagerou comigo."

Beth Carvalho e a sobrinha cantora Lu Carvalho, a aniversariante do dia, na comemoração da alta com roda de samba no dia 31 de julho (foto: Ego)

quinta-feira, 8 de agosto de 2013

Sim, ela existe!



Fotos: imagens encontradas no site de busca Google Imagens



Lembram daquela música que os personagens Seu Madruga e Professor Girafales cantaram, respectivamente, para o Chaves e para o Quico ao lhe ensinarem a tocar violão? Ela existe, sim e chama-se "Quiero Ver (Otra Vez)" que ficou famosa no Brasil pelo verso em português "Quero ver outra vez seus olhinhos de noite serena..." graças a um dos episódios do seriado mexicano exibido no SBT. A canção foi escrita e interpretada pelo Tata Nacho (Ignacio Fernández Esperón, Cidade de Oaxaca, 14 de fevereiro de 1894 - Cidade do México, 5 de junho de 1968), um dos cantores e compositores mais populares do seu país de origem.


Tata Nacho, o autor de "Quiero ver otra vez..."

No video a seguir, a versão completa da música




http://youtu.be/e7rJSu0k24I

Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil