Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

terça-feira, 12 de fevereiro de 2013

LISTAS - Eles também são portelenses!

Hoje a escola de samba Portela que eu amo fará 91 anos de fundação!! E para comemorar, vamos citar quem são os famosos torcedores e personalidades de uma das escolas mais queridas do Rio de Janeiro.



 Agepê (in memorian), cantor e compositor



Beki Klabin (in memorian), empresária e socialite


 Candeia (in memorian), cantor e compositor


 Carla Vilhena, jornalista


 Clara Nunes (in memorian), cantora


 Diogo Nogueira, cantor e compositor


 Dodô da Portela (Maria das Dores Rodrigues), a ex-porta-bandeira da Portela.


 Dorina, cantora




Eduardo Paes, prefeito do Rio de Janeiro.


 Gilberto Gil, cantor e compositor


 Glória Pires, atriz


 Ivan Lins, cantor e compositor


 Joanna, cantora


 João Nogueira (in memorian), cantor e compositor


Juliana Diniz, cantora e atriz


 Rildo Hora, compositor, produtor musical e gaitista.


 Roberto Canázio, radialista da Rádio Globo do Rio de Janeiro.


 Noca da Portela, cantor e compositor


 Paulinho da Viola, cantor e compositor


 Paulo da Portela (in memorian), compositor e fundador da Portela



Petkovic, ex-futebolista sérvio e treinador do Atlético Paranaense.


 Monarco, cantor, compositor e membro da Velha Guarda da Portela.


 Natal da Portela (in memorian), um dos fundadores da Portela.


 Nilze Carvalho, cantora e bandolinista



Marisa Monte, cantora e compositora


 Marquinhos Diniz, cantor e compositor



Mauro Diniz, cantor, compositor e cavaquinista.


 Leo Russo, cantor e compositor.


Luiz Ayrão, cantor e compositor


Lan, cartunista


Serginho Procópio, cantor, compositor, cavaquinista, membro da Velha Guarda da Portela e presidente da escola.


 Sheron Menezzes, atriz


 Teresa Cristina, cantora


 Thalita Rebouças, jornalista e escritora



Tia Doca  (in memorian), membro da Velha Guarda da Portela



 Vanessa da Mata, cantora



Zeca Pagodinho, cantor e compositor


Zé Keti (in memorian), compositor

 Tia Surica, cantora e membro da Velha Guarda da Portela



FONTES

Fanpage oficial Joanna - https://www.facebook.com/joannaoficial/photos/a.362841213753809.74366.246651992039399/641889655848962/?type=1&relevant_count=1

Blog Mais Memória - http://blog.maismemoria.net/?p=3681

Blog da Thalita Rebouças (Veja Rio) - http://vejario.abril.com.br/blog/thalita-reboucas/tags/portela

Portal Terra - http://diversao.terra.com.br/carnaval/rio-de-janeiro/sheron-menezzes-sonha-em-voltar-a-desfilar-pela-portela,a905ef714e7a4410VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html

Lan Esculturas (fanpage do Facebook) - https://www.facebook.com/lanesculturas/photos/a.280789625301572.69661.277516192295582/658682927512238/?type=1&relevant_count=1

Blog Compositores da Portela - http://compositoresdaportela.blogspot.com.br

segunda-feira, 11 de fevereiro de 2013

Apesar do estouro do tempo, Estácio de Sá fez um belo desfile

 Foto:Jornal do Brasil (clique na imagem para ampliar)



Foto: O Dia


A Estácio de Sá levou à Sapucaí na primeira noite do desfile das escolas de samba carioca do Grupo A, exibida pela TV Globo exclusivamente para o Rio de Janeiro, a vida e a obra do músico e gaitista Rildo Hora. A Estácio, no começo, entrou na avenida sob gritos de "é campeão" do público, mas, no final do desfile, a escola precisou correr no setor final da avenida e não conseguiu terminar no tempo regulamentar de 55 minutos, estourando em um minuto a sua apresentação, o que motiva a perda de um décimo na apuração. O problema do tripé na comissão de frente, no meio do desfile, foi o que provocou o atraso, segundo Marcão, um dos diretores de carnaval da Estácio. Como se não bastasse, a escola está comprometida também nos quesitos evolução, conjunto e harmonia devido à pressa dos componentes no encerramento. Mas, apesar dos deslizes, a Estácio de Sá não corre o risco de rebaixamento.
Deixando as tempestades de lado, a Estácio de Sá promoveu um "desfile com nível de grupo especial", como define o blogueiro Cadu Zugliani, do site SRZD, com carros culturais e luxuosos, fantasias de bom gosto e, é claro, uma homenagem emocionante ao Rildo Hora. A comissão de frente que recebeu o nome de "O Cordel Mamulengo do Menino Sonhador", uma das partes que eu mais gostei no desfile, era um show com bonecos de marionetes, o que fez o público da arquibancada aplaudir. E a fantasia na cor preta simbolizava a tinta que desenhava e dava a vida aos personagens de cordel, referindo-se à origem nordestina e à infância do artista nascido em 1939. A trajetória do Rildo foi contada no desfile desde Caruaru, sua cidade natal, até os Grammy's Latinos de melhores álbuns de samba, representados no último carro onde estava o Rildo Hora acompanhado da esposa, Luzinete, dos filhos Misael da Hora, Patrícia Hora e Ziraldo e de colegas de trabalho, como Analimar Ventapane (cantora e filha de Martinho da Vila) e Leo Russo. "É uma felicidade total. Vi minha vida muito bem contada na avenida. Acompanhei o enredo desde o início e foi tudo muito bonito, desde a sinopse do enredo feita em literatura de cordel.", disse o gaitista, feliz com a homenagem. Isso tudo sem falar que adorei aqueles bonequinhos nordestinos de barro, as baianas representando a mãe do Rildo que era professora de piano, a ala da bateria com o cabelo black power que o músico aderia até a década de 1990... Foi muito bom, amei! Parece até que a Estácio acertou em agradar não só aos fãs do Rildo Hora, como também a quem assistiu ao desfile.


Video: Rildo Hora momentos antes do desfile da Estácio de Sá



Video: http://youtu.be/3evO-mX3umE

Pra quem é de fora do Rio de Janeiro e quer ver o desfile na íntegra, clique no link seguinte:

http://www.youtube.com/watch?v=aEBs97ZBK-0



Rildo Hora no último carro do desfile da Estácio de Sá (Foto: site O Repórter)


Um velhinho serelepe

Rildo Hora esbanjou simpatia em cima do último carro, demonstrou fôlego de sobra depois de quase uma hora de desfile e não se cansou em nenhum minuto. "O pessoal foi muito competente. Estou muito feliz. Estou com o coração batendo normalmente. Não me cansei", afirmou o gaitista de 73 anos. "Eu pretendo ficar um velhinho serelepe. Andando em Copacabana, treinando meu fôlego para tocar minha gaita... Não pretendo 'entregar a rapadura' tão cedo", completou. O mais importante de tudo é que emoções ele viveu. E o público também.


Fontes:
* Expresso MT
http://www.expressomt.com.br/nacional-internacional/primeiro-dia-de-desfiles-da-serie-a-e--50781.html

* O Repórter
http://www.oreporter.com/Estacio-de-Sa-faz-bela-homenagem-a-Rildo-Hora-mas-detalhes-podem-tirar-a-escola-da-briga-pelo-titulo,9455998970.htm

http://www.oreporter.com/Homenageado-da-Estacio-de-Sa-Rildo-Hora-demonstra-folego-de-sobra-pretendo-ficar-um-velhinho-serelepe,9455898970.htm

"Nossa Escola de Samba" (1965)

 
Cena do documentário de Manuel Horácio Gimenez


Eu vi esse documentário nesta sexta-feira de carnaval (8/02) na TV Justiça e achei bem interessante o desfile da escola de samba de antigamente no Rio de Janeiro: a simplicidade dos carros e o ritmo lento dos sambas, bem diferente de hoje em dia que é acelerado.

"Solo de pandeiro no meio da avenida não tem mais não malandro, nos carnavais atuais!!!"
Ciclo Natural, na descrição do video no YouTube


"Nossa Escola de Samba" é um média-metragem de 1965 que mostra a escola de samba Unidos de Vila Isabel naquele ano quando, ainda no Grupo 2, foi vice-campeã com o enredo "Epopéia do Teatro Municipal". O documentário faz parte da compilação "Brasil Verdade" de 4 médias realizados entre 1964 e 1965 e lançados em forma de longa de episódios em 1968, que se tornou um dos clássicos do documentário brasileiro. A produção geral dos filmes foi de Thomas Farkas (Thomaz Jorge Farkas, Budapeste, 17 de outubro de 1924 - São Paulo, 25 de março de 2011).

Com roteiro e direção de Manuel Horácio Gimenez, "Nossa Escola de Samba" é um documentário social sobre o bairro carioca onde surgiu a Escola de Samba Unidos de Vila Isabel: o cotidiano do morro, as transformações que ocorrem todo ano quando se aproxima o Carnaval, os preparativos, os ensaios e finalmente o desfile na avenida. O média venceu Prêmio Dziga Vertov no Festival Internacional do Filme no Rio de Janeiro em 1967 e a Menção Especial no VIII Festival de Cinema dos Povos Florença na Itália, também em 1967.



"Nossa Escola de Samba" (de Manuel Horácio Gimenez)
 



Video: http://www.youtube.com/watch?v=WZrr2vse7EY


domingo, 10 de fevereiro de 2013

O meu coração se deixou levar...pela Portela.



No ano em que a escola comemora seu nonagésimo aniversário, a Portela homenageia os 400 anos de seu bairro natal, Madureira, conhecido por ser o Berço do Samba e reduto de grandes sambistas. Isso sem falar na homenagem estendida ao cantor e compositor Paulinho da Viola, que recentemente completou 70 anos.
Em quase oito anos de meu amor pela Portela, finalmente surgiu um samba-enredo mais contagiante e mais animador, da introdução ao encerramento da música! Tanto que "Madureira... Onde o Meu Coração Se Deixou Levar", o samba-enredo da Portela, foi eleito o melhor do Grupo Especial para o Carnaval 2013 na enquete Sidney Rezende (site: SRZD). Portela será a última escola a desfilar no primeiro dia dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro no Grupo Especial que acontecerá a partir de hoje à noite (10/02)


Video:Gravação do samba da Portela (Universal Music / YouTube)



http://youtu.be/sd1H6u1ZInM


Enredo: "Madureira... onde o meu coração se deixou levar"
Compositores: Wanderley Monteiro, Luiz Carlos Máximo, Toninho Nascimento e André do Posto 7
Intérprete: Gilsinho
(P) 2012 Universal Music Brasil

E lá vou eu cantando com a minha viola
O amor tem seus mistérios
Por onde me deixo levar
Iaiá
Nossa história começa por lá
No engenho da fazenda
Dos cantos de "canaviá"

Bate o sino da capela
Oi ... que é dia de santo, sinhá
Tem mironga de jongueiro
O tambor me chamou pra dançar

Tempo rodou na roda do trem e veio
A inspiração do partideiro
Que versou no Mercadão
Foi nesse chão
Que a estrela brilhou no tablado
O "Madura" pisou no gramado
O malandro charmoso dançou
No pagode com outro gingado
Quando o bloco chegou
Agitou o suingue do black
E a nega baiana girou

Cai na folia, sem grilo, meu bem vem na fé
Na ilusão da fantasia
Vai como pode quem quer

Surgiu a Serrinha imperial
Em outros caminhos para o mesmo ritual
Portela, meu orgulho suburbano
Traz os poetas soberanos nesse trem para cantar
Que Madureira é muito mais do que um lugar
É a capital de um sonho que me faz sambar

Abre a roda, chegou Madureira
A poeira já vai levantar
O batuque ginga ioiô
Ginga iaiá


Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil