Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

LISTAS - Retrospectiva 2015: os 6 melhores CD's do ano do Blog Jota de Jeane

2015 acabando e é chegado o momento para os melhores álbuns do ano do Blog Jota de Jeane. Os que foram (ou não foram) analisados aqui no meu blog merecem entrar nesta lista!

1- A PEDRA PRECIOSA
"Eu e Minha Filha", Rildo Hora e Patrícia Hora
(Independente)

Para matar a saudade do Rildo Hora cantor. E o que é melhor: em companhia da filhota Patrícia (Linda) Hora. O CD mais aguardado daqui do blog traz composições de Rildo em parceria com grandes nomes como Fausto Nilo, Ronaldo Bastos, Martinho da Vila, Dona Ivone Lara e o saudoso Luiz Carlos da Vila, interpretadas por ele em duo com a filha. Infelizmente não é em todo o lugar que se encontra este CD. Aqui em Santa Catarina, então, nem em sonhos. (snif, snif!...) Mas eu tive o privilégio de receber de presente do próprio Rildo Hora :) ♥

"Rildo Hora e Patrícia Hora - 'Eu e Minha Filha' "
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/12/rildo-hora-e-patricia-hora-eu-e-minha.html

2- O TERREIRO FINO
"Antes do Mundo Acabar" -  Zélia Duncan
(Biscoito Fino)


Eu ouvi este CD pelo Spotify no computador. A cantora, compositora, corredora e agora também colunista do Jornal O Globo que participou no CD "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora caiu no samba com este álbum elogiadíssimo. Para os fãs de samba de qualidade, como eu. Vale a pena!


3- A PRATA VALIOSA
"25" - Adele
(XL Recordings / Sony Music)

Único álbum internacional da lista. A queridinha da música inglesa nos impressiona com mais um CD cheio de músicas emociantes e bem produzidas de sua discografia. God save the queen.

"Eu ouvi: '25' de Adele é tão bom quanto '21'"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/11/eu-ouvi-25-de-adele-e-tao-bom-quanto-21.html

4- ABENÇOADO
"Deus no Esconderijo do Verso" - Pe. Fábio de Melo
(Sony Music)



Dez músicas de sua autoria e quatro regravações da MPB, todas que transmitem mensagem. Assim é o CD "Deus no Esconderijo do Verso", do Pe. Fábio de Melo. O álbum também se destaca pelas participações de grandes nomes da música brasileira, como Elba Ramalho, Fagner, Ninah Jo, Alcione, Fafá de Belém e Nana Caymmi.

"Padre Fábio de Melo e Zeca Pagodinho: os melhores álbuns de MPB de 2015 que eu ouvi até agora"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/07/padre-fabio-de-melo-e-zeca-pagodinho-os.html

5- O MAIS HUMANO
"Ser Humano" - Zeca Pagodinho
(Universal Music)



Num ano cheio de desumanidades e tragédias como 2015, Zeca Pagodinho lançou este CD no momento certo. O álbum tem a mesma beleza e criatividade que a dos outros da discografia do sambista desde que Rildo Hora assumiu a produção há 20 anos. "Quero ver sempre no teu rosto essa felicidade / O teu sorriso iluminado que me faz tão bem". Pois é. É disso que o mundo precisa.

"Padre Fábio de Melo e Zeca Pagodinho: os melhores álbuns de MPB de 2015 que eu ouvi até agora"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/07/padre-fabio-de-melo-e-zeca-pagodinho-os.html


6- E O ESTRATOSFÉRICO
"Estratosférica" - Gal Costa
(Sony Music)


Outro CD que foi um sucesso de crítica. Gal Costa pop/roqueira/eletrônica empolgou demais! 

"Gal Costa - 'Estratosférica' (2015)"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/09/gal-costa-estratosferica-2015.html

domingo, 27 de dezembro de 2015

Gilson Peranzzetta e Amoy Ribas homenageiam Rildo Hora com "Fator RH"



Foi postado no YouTube pelo próprio pianista Gilson Peranzzetta a regravação de "Fator RH" (autoria de Gilson Peranzzetta) para o CD "Repercutindo" (Fina Flor, 2015), trabalho dele em parceria com o percussionista Amoy Ribas lançado este ano. O baião instrumental é um tributo ao músico pernambucano Rildo Hora e o arranjo realmente faz jus à origem do homenageado, como também à forma de como este produz as músicas. A gravação original foi feita em 1993 para o álbum "Vera Cruz" (Visom) em dupla com o saxofonista Mauro Senise. Ouça que é bem bacana! 👍

sábado, 26 de dezembro de 2015

Até logo, Pe. Edvaldo Nogueira!


Eu e o Pe. Edvaldo, maio de 2015.

Depois de 3 anos administrando o Parque Dom Bosco de Itajaí, Santa Catarina, Pe. Edvaldo Nogueira da Silva, SDB (Salesiano de Dom Bosco), se despede da nossa comunidade. É que ele assumiu neste fim de ano a Paróquia Dom Bosco de Guarapuava, cidade paranaense que fica a 252 quilômetros da capital, Curitiba, para substituir o Pe. Renato dos Santos que será o novo diretor do principal Jornal da Igreja e do Vaticano,  "L'Osservatore Romano", e da impressão dos demais documentos oficiais do Papa e da Santa Sé.
Pe. Edvaldo, sdb nasceu no dia 29 de agosto de 1983 em Massaranduba, Santa Catarina. Cursou o 1º e 2º anos do Ensino Médio no Aspirantado Salesiano (colégio interno) em Ascurra (SC) em 1999 e 2000 e concluiu o 3º ano no Aspirantado São Domingos Sávio em Curitiba (PR). Logo após o período de Noviciado, fez curso de Filosofia em Viamão (RS) e exerceu a etapa formativa do Tirocínio no Colégio Salesiano Dom Bosco, em Santa Rosa (RS). Sua Profissão Perpétua foi emitida no dia 26 de dezembro de 2009 na comunidade Nossa Senhora Auxiliadora, em sua cidade natal, retornando a São Paulo para prosseguir seu curso de Teologia no Instituto Pio XI que ele havia começado um ano antes. Em 12 de fevereiro de 2011 foi ordenado diácono da Igreja pela imposição das mãos de Dom Hilário Moser, sdb, bispo de Tubarão (SC). Pelo mesmo bispo, recebeu a ordenação sacerdotal no dia 11 de dezembro do mesmo ano, em Massaranduba.
Com toda certeza, "ele vai deixar saudades pelo trabalho com crianças, adolescentes e jovens, além de celebrar missas, casamentos e participar de momentos na sociedade, como também pelo seu carisma e carinho com todos, além do dom da palavra,a bênção de Deus" (Jornal Família Paroquial, Bittencourt Editora, dezembro de 2015).
O que temos pra hoje é saudade. Te agradecemos por tudo, Pe. Edvaldo! Você é um dos verdadeiros devotos de São João Bosco. E que Deus guie você nessa nova caminhada.

Fonte:
Paróquia Santa Teresinha
Jornal Paroquial
Padre Edvaldo em seu aniversário no Parque Dom Bosco em Itajaí (SC) (foto: Facebook PDB)


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Rildo Hora e Patrícia Hora - "Eu e Minha Filha"

Capa do CD "Eu e Minha Filha" (pintura de Lusinete da Hora)

Quem acompanhou, viu que o lançamento do CD "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora foi o mais falado aqui no meu blog durante um mês ou pouco mais. Pois bem: exatos 11 dias antes do Natal (manhã de segunda-feira, 14 de dezembro de 2015), Papai Noel chegou mais cedo à minha casa. Explicando melhor, recebi pelo correio o CD mandado pelo próprio músico Rildo Hora de lá do Rio de Janeiro. \o/ De brinde, autografo dele e da filha Patrícia Hora. \o/ \o/ Abri o encarte de manhã, mas só pude escutar com tranquilidade à noite (com salgadinho Doritos que eu amo). Ao ouvir, me senti no show de lançamento de "Eu e Minha Filha" que houve no dia 11 de novembro no Teatro Maison de France, no centro do Rio de Janeiro (eu nunca fui ao Rio, tampouco pra fora do Sul do Brasil). É a primeira vez em 35 anos que o gaitista, arranjador e produtor musical grava um disco cantando (eu ainda não tive a oportunidade de ouvir o álbum "Rildo Hora e Sérgio Cabral" lançado pela RCA Victor, atual Sony Music, em 1980). Os das décadas seguintes foram trabalhos instrumentais. Talento como cantor ele também tem, quem o ouviu cantando, sabe muito bem. Não foi à toa que Rildo Hora entrou pra minha lista das vozes preferidas da música em uma postagem de 2012 (clique aqui). O mais recente CD também marca como o primeiro da carreira da filha Patrícia Hora, que canta desde os 14 anos. Porém, engana-se quem acha que é a primeira vez que a lindinha sola em um disco. No álbum "Poeta da Cidade" de Martinho da Vila, a voz feminina da faixa "Três Apitos" é dela. Como também é o primeiro CD que eu tenho do meu músico pernambucano preferido aqui em casa em Itajaí, Santa Catarina! Como se vê, a família Hora está unida neste disco maravilhoso: Lusinete da Hora, esposa do Rildo, fez a pintura para capa do CD. Misael da Hora, o filho do Rildo e Lusinete, toca piano e teclado em algumas faixas. E Ziraldo, o caçula, é o empresário do pai e da irmã.

O papai maestro e a filha gata: Rildo Hora e Patrícia Hora na noite de autógrafos do lançamento do álbum "Eu e Minha Filha" (foto de Cristina Granato / Reprodução Facebook)

Algumas músicas do CD eu já tinha ouvido ou conhecido em versões originais. Uma das primeiras músicas que ouvi da autoria da dupla Rildo Hora e Sérgio Cabral pai foi "Visgo de Jaca", originalmente na voz de Martinho da Vila através do álbum "Canta, Canta, Minha Gente" (RCA, atual Sony Music, 1974). Em 2009, este samba-bossa foi gravado pela cantora Céu. "Anda, Sai Dessa Cama" foi lançado primeiramente nas vozes do grupo MPB-4 para o projeto infantil "Você Não Me Pega" (clique aqui). "O Beijo Que Te Dei" (ou)vi através de um vídeo caseiro com o Rildo tocando violão e a Patrícia cantando publicado no YouTube que, infelizmente, foi excluído, mas, por sorte, eu copiei pro meu pen-drive.  Foi a primeira vez que vi a gata solando! ♡♡♡. A letra desta música, conforme a Patrícia havia me dito em uma rede social usando a conta do pai, serviu de inspiração para a pintura da capa do CD feita pela esposa do Rildo, Lusinete da Hora. Se fosse aposta, eu acertaria, pois foi o que eu imaginei desde o começo. "Perfume e Flor" eu escutei quando eu fiz uma loucura de ir ao computador da sala na madrugada de sábado de aleluia para domingo de Páscoa de 2011 pela internet (eu nem sonhava em ter um smartphone) para ouvir uma reprise de um programa da Rádio Nacional AM lá do RJ não lembro qual era o nome, mas que passava originalmente aos sábados ao meio-dia e reprisava à meia-noite. Naquele sábado de feriadão,  Rildo Hora e Patrícia Hora eram os convidados principais desse programa e, do repertório, cantaram "Perfume e Flor" em dueto na canção, apenas em suas vozes e violão. Não deu para ouvir o programa inteiro à tarde, porque eu tinha que almoçar e lavar a louça, mas de madrugada eu o ouvi todinho, na maior tranquilidade. E é claro, "Meninos da Mangueira" que eu já conhecia com Ataulpho Alves Jr.
Agora falando de algumas outras músicas do CD. Fã de poemas, Rildo Hora musicou "Verdade", poesia de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Esta versão melódica abre o disco e imagino que também abre o show graças à construção bem criativa do arranjo. Já pensou que bacana?
O curioso está em "Canção de Amor Dos Beatles" (de Rildo Hora e Ronaldo Bastos). O arranjo tem um clima daquela fase mais madura e eclética do quarteto britânico e a letra faz lembrar os versos de "In My Life" (de John Lennon e Paul McCartney). Mezzo-soprano, Patrícia Hora encerra a canção em grande estilo: ela faz um vocalize e finaliza atingindo a nota Si 5!
Ainda falando na Patrícia: chega o momento do CD em que os holofotes são apontados para ela. Além de "O Beijo Que Te Dei", a cantora sola "A Mulher Madura" (de Rildo Hora e Affonso Romano de Sant'Anna).
Inspirações nordestinas, a origem do músico, não faltam neste disco. Provas disso são as faixas "Gotas de Sal" (por que não?) da autoria de Rildo Hora e Zélia Duncan, com a brilhante participação desta, a já citada "Perfume e Flor" (de Rildo Hora e Luciana Cardoso), "Belinha" (de Rildo e Humberto Teixeira) que tem uma abertura "jobiniana" e "Vida Disparada" (de Rildo e Fausto Nilo).
É logico que samba e choro não poderiam ficar de fora. Além dos citados no começo do texto, estão "Coração Apaixonado" (de Rildo Hora e Dona Yvonne Lara), "Chorinho Reluzente" (de Rildo e o saudoso Luiz Carlos da Vila), a lindíssima "Quando" (de Rildo e Nelson Sargento) e o sambão "Quem Me Ensinou" (de Rildo Hora e Nei Lopes).
O CD "Eu e Minha Filha" é lançado de forma independente e não é em qualquer lugar que se encontra (snif, snif...). Inclusive houve um visitante que me perguntou nos comentários em um dos posts daqui do blog onde se encontrava o CD. Na Livraria da Travessa e Livraria Cultura (nenhuma das duas existe aqui em Santa Catarina). A distribuição está sendo feita pela empresa cultural Sonora. - Tel: (21) 2524-9846. E-mail: contato@sonoramusica.com.br
Já está disponível no Spotify e na Rdio o CD "Eu e Minha Filha" em streaming. É só se cadastrar usando a sua conta no Facebook (Pelo computador, ambos os sites são gratuitos. Pelo aplicativo no celular tem que desembolsar uma graninha pra ouvir à sua escolha).

E não para por aí: conforme eu li no Jornal O Dia, ainda haverá mais 2 CD's da série "Eu E Minha Filha"!

Anna  (do filme de animação "Frozen" da Disney )

Para descontrair um pouco... fiz este meme  abaixo como prova de o quanto eu gostei do CD!
(por coincidência esta foto foi da cena em que o personagem Chaves se apaixonou à primeira vista pela xará da filha do Rildo Hora. Adoro esse episódio!)


E viva a cultura carioca do qual eu sou fã, especialmente pelo samba! Valeu, Rildo e Patrícia! Valeu, Rio de Janeiro, aquele abraço! Me encantei pacas por vocês!!! ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


"Eu e Minha Filha"
Rildo Hora e Patrícia Hora
(P) 2015 Independente

1- "Verdade"
Música de Rildo Hora
poema de Carlos Drummond de Andrade
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Copyright Carlos Drummond de Andrade
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano e teclados: Misael da Hora
Baixo acústico: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Flautas, clarinete e saxs (naipe): Dirceu Leite

2- "Visgo de Jaca"
escrita por Rildo Hora e Sérgio Cabral
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora Universal Music Publishing MGB Brasil Ltda.
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Teclado: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Cuíca e tamborim: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos
Flautas e saxs (naipe): Dirceu Leite

3- "Anda, Sai Dessa Cama"
escrita por Rildo Hora e Martinho da Vila
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa)/ Universal Publishing
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Cuíca e pandeiro: Pretinho da Serrinha
Flauta, flautim e clarinete: Dirceu Leite

4- "Coração Apaixonado"
escrita por Rildo Hora e Yvonne Lara
vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Warner Chappell
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Flauta: Dirceu Leite

5- "Gotas de Sal"
escrita por Rildo Hora e Zélia Duncan
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
Participação especial de Zélia Duncan, gentilmente cedida pela Duncan Discos
editora RH Música (Nowa) / Duncan Edições Musicais (DC Consultoria)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Vocais: Patrícia Hora
Teclados, órgão e efeitos eletrônicos: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano

6- "Canção de Amor dos Beatles"
escrita por Rildo Hora e Ronaldo Bastos
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / 3 Pontas (Dubas)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Teclados e cama: Misael da Hora
Baixo acústico: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Vocal e vocalise: Patrícia Hora
Trompete em Ré e flugel: Nelson Oliveira

7- "Perfume e Flor"
escrita por Rildo Hora e Luciana Cardoso
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano e teclados: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Violão de aço: Zé Carlos
Vocal: Rildo e Patrícia Hora

8- "O Beijo Que Te Dei"
escrita por Rildo Hora e Lysias Enio
Vozes: Patrícia Hora (solo) e Rildo Hora
editora RH Música (Nowa) / Nowa
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Teclado (cama): Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano

9- "A Mulher Madura"
escrita por Rildo Hora e Affonso Romano de Sant'Anna
Voz: Patrícia Hora (solo)
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Marlino
Teclado (cama): Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos

10- "Belinha"
escrita por Rildo Hora e Humberto Teixeira
Vozes: Rildo Hora (solo) e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Piano: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Sanfona: Kiko Horta
Vocal: Patrícia Hora

11- "Chorinho Reluzente"
escrita por Rildo Hora e Luiz Carlos da Vila
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Cavaquinho: Henrique Cazes
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Tamborim: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos
Flugel: Nelson Oliveira (solo)

12- "Quando"
escrita por Rildo Hora e Nelson Sargento
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Violão solo (intro): Rildo Hora
Violão de 7 cordas: Carlinhos 7 Cordas
Cavaquinho: Henrique Cazes
Caixinha: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos

13- "Quem Me Ensinou"
escrita por Rildo Hora e Nei Lopes
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Fina Flor (Universal Music Publishing)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Cavaquinho: Henrique Cazes
Piano: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Pandeiro e xique-xique: Pretinho da Serrinha
Flautas, flautim, clarinete e sax tenor: Dirceu Leite

14- "Vida Disparada"
escrita por Rildo Hora e Fausto Nilo
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Sony/ATV
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Teclado: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Sanfona: Kiko Horta
Vocal: Patrícia Hora e Rildo Hora

15- "Os Meninos da Mangueira"
escrita por Rildo Hora e Sérgio Cabral
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora Universal Music Publishing MGB Brasil Ltda.
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Misael da Hora
Cavaquinho: Zé Carlos
Surdo, pandeiro, tamborim, caixinha e cuíca: Pretinho da Serrinha

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Há 20 anos:Meu primeiro CD do Roberto Carlos


Há 20 anos, o movimento Jovem Guarda havia completado 30 anos. Eu, pré-adolescente de 13 anos, gostava um pouco de década de 1960 (ah, por causa da moda, das músicas, etc.) e comecei a me interessar pela carreira de Roberto Carlos devido à comemoração do trigésimo aniversário do primeiro movimento juvenil brasileiro. Nessa mesma época, na primeira semana de outubro de 1995, assisti a 3 filmes antigos protagonizados pelo cantor exibidos pelo canal CNT e foi com "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" que comecei a virar fã pra valer do Roberto. É que eu ainda não conhecia aquela sua imagem de roqueiro lindinho e vital. Quem tinha a minha idade curtia Raimundos, Mamonas Assassinas, Skank, pagode... e eu também tava nessa onda e com muito prazer. E me tornei numa garotinha  precoce ao curtir um cantor que não é da minha geração. Esquisito, mas me deixei levar. Foi aí que o Roberto Carlos virou ídolo da minha pré-adolescência. No dia 18 de dezembro de 1995, eu e minha família fomos a Lojas Americanas no Shopping Newmarkt em um dos raros passeios em Blumenau e meu pai comprou pra mim o CD do Roberto Carlos que havia acabado de ser lançado.
O disco abre com a boa "Amigo Não Chore Por Ela". "Na letra, um sujeito constrangido, tenta abrir os olhos do amigo que sofre por conta de uma mulher que fez com ele o mesmo que [princesa] Diana fez com o príncipe Charles", ironizava a Revista Veja (edição 1421, de 6 de dezembro de 1995). Em seguida, as politicamente corretas "O Charme dos Seus Óculos" que valoriza as mulheres míopes e "O Coração Não Tem Idade". A religiosa "Quando Eu Quero Falar com Deus", segundo a mesma edição da Veja, seria uma resposta à canção "Se Eu Quiser Falar com Deus" (1981) do Gilberto Gil, já que este tentou oferecer a música ao Roberto. O cantor agradeceu, mas nunca a gravou.
A sexta faixa do álbum, "Romântico", tem uma introdução memorável que eu adoro, bem digna da abertura de "Detalhes". E "Quase  Fui Lhe Procurar" pela qual me apaixonei e só três anos mais tarde que descobri que era uma regravação de uma das músicas do álbum do jovem Roberto Carlos "O Inimitável" (Discos CBS, atual Sony Music, 1968).


foto da contracapa do LP/CD: Roberto Carlos ignora seu transtorno obsessivo compulsivo com o boné preto.

"Roberto Carlos"
Roberto Carlos
(P) 1995 Amigo Records/  Columbia Records / Sony Music Entertainment Brasil

1- Amigo Não Chore por Ela
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

2- O Charme dos Seus Óculos
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

3- O Coração Não Tem Idade
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

4- Pra Ficar Com Você
escrita por Mauro Motta e Carlos Colla
Editora Almo Music / BMG Arabella
Arranjo: Eduardo Lages

5- Quando Eu Quero Falar com Deus
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

6- Romântico
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Charlie Calello / Eduardo Lages

7- Nunca te Esqueci
escrita por Paulo Sergio Valle e Eduardo Lages
Editora EMI
Arranjo: Eduardo Lages

8- Quase Fui Lhe Procurar
escrita por Getúlio Côrtes
Editora EMI
Arranjo: Tutuca Borba

9- Sonho de Amor
escrita por Fernando de Souza, Mário Avellar e Edilson Campos
Editora Sony Music
Arranjo: Fernando de Souza

Produzido por Mauro Motta


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Rildo Hora e Patrícia Hora - "Canção de Amor dos Beatles"



Publicado no YouTube pelo próprio Ronaldo Bastos a sexta faixa do álbum "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora: "Canção de Amor dos Beatles", da autoria de Ronaldo e de Rildo Hora.
♫"Fez o meu coração bater mais forte e só não foi capaz de não me acordar..."♫ :) ♥




https://www.youtube.com/watch?v=7xzJ40Vorus

Um beijo, Risqué!





Eu e o disco de vinil da Risqué nas unhas :)

Em agosto, a Risqué lançou sua coleção primavera/verão 2016: é a série Risqué Colecionistas com seis novas cores inspiradas no universo dos colecionadores. Dentre essas cores, está o DISCO DE VINIL! "Um furta-cor metalizado com reflexos dourados que lembram aqueles LP’s que se tornaram relíquias", diz o anúncio no site da Risqué. É óbvio que eu que sou fã de vinil comprei.


Outras cinco cores são "Meus Souvenirs" (que é um pink bem bonitinho e chamativo, adoro), "Grandiosas Miniaturas" (um laranja-coral, aquele mais suave), "Viagens em Postais" (um azul esverdeado), "Livros Inesquecíveis" (um azul escuro que também adoro) e "Fotos que Adoro" (um nude, cor de pele).
Um beijão a você, Risqué, por se lembrar de nós, os amantes do bolachão! ♥




Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil