Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

LISTAS - Muito mais que uma música: as melhores (re)gravações de Maria Creuza

Maria Creuza nos anos 70 (acima) e agora.


Como podem ver a seguir, só selecionei as que eu conheço  até agora e espero conhecer mais de Maria Creuza. Escolher apenas 11 músicas de quem completa 50 anos de carreira é bem pouco, eu entendo. Em pleno dia do aniversário da cantora baiana de Esplanada (26/01) que hoje reside em Buenos Aires, Argentina e que, no ano passado, já esteve aqui em Santa Catarina na companhia de Toquinho para a turnê em tributo ao Vinícius de Morais por quem foi apadrinhada, escolhi aqui as 11 melhores (re)gravações de Maria Creuza. Ou seria 11 razões para amá-la? (clique nos nomes das músicas para ouvi-las no YouTube)

1. Onde Anda Você? (do LP "Meia-Noite", RCA Victor, atual Sony Music, 1977)
escrita por Vinícius de Morais e Hermano Silva
A voz suave e a interpretação sensual de Maria Creuza são algumas das razões que a tornam especial e esta música é uma prova disso. De deixar qualquer um louco de prazer.

2. Amora (do LP "Pecado",  RCA Victor, atual Sony Music, 1979)
escrita por Renato Teixeira
Sinto vir água nos olhos toda vez que eu a ouço. Sério. É linda esta música.

3. Trocando em Miúdos (do LP "Doce Veneno", RCA Victor, atual Sony Music, 1978)
escrita por Chico Buarque e Francis Hime
Maria Creuza foi mais uma a engrossar a extensa lista de grandes intérpretes desta joia da dupla Chico Buarque e Francis Hime.

4. Você Abusou (do LP "Você Abusou", RGE, 1972)
escrita por Antônio Carlos e Jocafi
Em 1965, Maria Creuza conheceu o cantor e compositor Antonio Carlos Pinto, da dupla Antonio Carlos & Jocafi, com quem se casaria três anos mais tarde. "Você Abusou" se tornou um dos clássicos mais indispensáveis da MPB, tanto que eu brinco que é um "(I Can't Get No) Satisfaction" ou uma "Conceição" dos autores/cantores.

5. Folhetim (do LP "Pecado",  RCA Victor, atual Sony Music, 1979)
escrita por Chico Buarque
Mais ousadia com esta regravação de um dos temas do musical "A Ópera do Malandro" de Chico Buarque.

capa do LP "Pecado", Maria Creuza.

6. Pot-Pourri: Obsessão (Mirabeau / Milton de Oliveira)
Não Me Diga Adeus (escrita por Paquito, Luis Soberano e João Correia da Silva)
Pois É (escrita por Ataulfo Alves)
A Flor e o Espinho (escrita por Nelson Cavaquinho, Alcides Caminha e Guilherme de Brito)
(do LP "Eu Disse Adeus", RCA Victor, atual Sony Music, 1973)
Um ótimo pot-pourri sambista que fez parte da trilha sonora do filme "Sabor da Paixão" ("Woman On Top", Fox Searchlight Pictures, 2000) estrelado por Penélope Cruz.

7. Algemas (do LP "Doce Veneno", RCA Victor, atual Sony Music, 1978)
escrita por Antônio Carlos e Jocafi
Umas das melhores músicas interpretadas por Maria Creuza para sentar e fechar os olhos.

8. Maria Vai Com As Outras (do LP "Yo... Maria Creuza", Trova/RGE, 1971)
escrita por Toquinho e Vinícius de Morais
Marcha-rancho do Poetinha em parceria com Toquinho que conta os dois lados de uma personagem da história:"Maria era uma boa moça pra turma lá do Gantois / era Maria vai com as outras / Maria de coser, Maria de casar / Porém o que niguém sabia é que tinha um particular / Além de coser, além de rezar / Também era Maria de pecar"

9. Medo de Amar N° 2 (do LP "Pecado",  RCA Victor, atual Sony Music, 1979)
escrita por Tite de Lemos e Sueli Costa
Depois de eu ter ouvido "Je T'aime... Moi Non Plus" com Jane Birkin (em dueto com Serge Gainsbourg) e "Justify My Love" com Madonna, "Medo de Amar Nº2" na versão da Creuzinha foi mais uma canção com a qual eu fiquei surpreendida graças ao seu incrível contexto erótico. Com a introdução em piano hipnótico e os primeiros versos quase declamados em sussurros cheios de libido, essa releitura merecia ir para a lista das músicas mais sensuais de todos os tempos.

10. Graças a Deus (do LP "Pecado",  RCA Victor, atual Sony Music, 1979)
escrita por Fernando César Pereira
Este samba-canção primeiramente gravado por Dóris Monteiro em 1956 ganhou uma interpretação mais sensual de Maria Creuza. Destaque para solo de gaita de Rildo Hora.

11. Ossain (do LP "Você Abusou", RGE, 1972)
escrita por Antônio Carlos, Jocafi e Tavares
Muitos podem acreditar que era a Clara Nunes que cantava. Uma das representações mais empolgantes de Maria Creuza.

FAIXA BÔNUS:
"Patota de Ipanema" (da trilha sonora da novela "O Bem Amado", Som Livre, 1973)
escrita por Toquinho e Vinícius de Morais
"Patota de Ipanema" era uma das 11 canções que a dupla Toquinho e Vinícius compuseram exclusivamente para a novela da TV Globo. Uma bossa-nova deliciosa com um arranjo impecável e, é claro, a bela voz da Creuzinha!


segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

Karinah Ao Vivo no Estúdio - "Pérola Negra" (com Luiz Melodia e Rildo Hora)



Novidades da Karinah? Sim, senhor! A começar pela grafia de seu nome que antes era simplesmente "Karina", como vista em meus posts anteriores sobre ela, e agora é "Karinah" (com"H" no final). Logo após o lançamento do hit "Não Mete Essa, Não" (de Claudemir) no final do ano passado que estará em seu próximo CD, ela já está com o novo projeto especial nas redes sociais, "Karinah Ao Vivo no Estúdio" que é uma série de videos em que ela canta clássicos da MPB como "Retalhos de Cetim" (de Benito di Paula), "Desde que o Samba É Samba" (de Caetano Veloso) e "A Paz" (de Gilberto Gil e João Donato), todos gravados no Estúdio Corredor 5 localizado no bairro Leblon, zona sul do Rio de Janeiro. E agora no início deste mês a catarinense de coração como ela se considera lança mais um vídeo da série, a regravação de "Pérola Negra" (de Luiz Melodia) com o cantor e compositor Luiz Melodia e a participação dos músicos Ricardo Silveira na guitarra e... Rildo Hora na gaita!

Rildo Hora, Ricardo Silveira, Luiz Melodia e Karinah (foto: reprodução Facebook)

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Valeu, Portela!

Portela foi uma das preferidas da segunda noite dos desfiles das escolas de samba do Rio de Janeiro.




Portela, que foi a quarta escola a desfilar na segunda-feira de carnaval (8/02/2016), arrasou na Sapucaí graças ao Paulo Barros, o carnavalesco conhecido pela ousadia. "O voo da Águia da Portela, em 2016, nos conduzirá a lugares distantes, uma viagem sem fim que atravessa a história da humanidade", dizia o site oficial da Portela sobre o enredo deste ano.

Imagem aérea do desfile (foto: facebook Portela / Divulgação)

O desfile teve o Poseidon flutuante com prancha e jatos d'água, Moisés abrindo o Mar Vermelho (minha parte preferida), o boneco do ator Jack Black representando o Gigante Gulliver sendo escalado por componentes da escola (o ponto alto do desfile. Parabéns ao escultor, porque a cara do ator ficou igualzinha!), destaques sendo "engolidas" por dinossauros no carro que representa a série dos anos 70 "O Elo Perdido", o carro da série "Perdidos no Espaço" da década de 1960, a ala das baianas relembrando a outra série sessentista "Túnel do Tempo"... tudo de parabéns! Me deu até vontade de desfilar entre eles.



Mestre-sala Alex Marcelino e a porta-bandeira Daniele Nascimento (foto: UOL)



Cláudio Mattos encarnando Moisés sobre a Águia (foto: G1)

O boneco do ator Jack Black representando o Gigante Gulliver: o ponto alto do desfile. (foto: G1)

VÍDEO: "No vôo da Águia, uma viagem sem fim"
Autores: Samir Trindade, Wanderley Monteiro, Elson Ramires, Lopita 77, Dimenor e Edmar Jr.
Intérpretes: Wantuir Oliveira e Gilsinho
(P) 2015 Gravadora Escolas de Samba / Universal Music Brasil

Voar nas asas da poesia
Rasgar o céu da mitologia
E nessa Odisseia viajar
Meus olhos vão te guiar, na travessia
E no meu destino sem fim
Cruzar o azul que é tudo pra mim
Enfrentar tormentas e continuar, a navegar

Oh leva eu me leva, aonde o vento soprar eu vou
Oh leva eu me leva, sou livre aonde sonhar eu vou

Quisera ir ao infinito
Sentir lugares tão bonitos
Em terras mais distantes me aventurar
Sem saber se um dia vou voltar

E mais além, no elo perdido cheguei
No vai e vem, a chave da vida encontrei

Vou pedir passagem em
Busca do ouro
O seu brilho me fascina
Quero esse mapa da mina, pra achar tesouros
Abre a janela, pro mundo que Paulo criou
Do outro lado, alguém pode ver esse amor
Meus filhos vem me adorar
O Samba reverenciar
Abram alas, vou me apresentar

Eu sou a Águia, fale de mim quem quiser
Mas é melhor respeitar, sou a Portela
Nessa viagem, mais uma estrela
Que vai brilhar no pavilhão de Madureira



P.S.: Fiz este post durante a apuração do desfile das escolas de samba do Rio de Janeiro, mas ficamos com a medalha de bronze: conquistamos o terceiro lugar. Quem venceu foi a Mangueira com o enredo sobre a cantora Maria Bethânia que este ano comemora seus 50 anos de carreira. Parabéns à escola pela vitória! A seguir, o videoclipe do enredo da campeã, "Maria Bethânia, a Menina Dos Olhos de Oyá" (autoria de Alemão do Cavaco, Almyr, Cadu, Lacyr D Mangueira, Paulinho Bandolim e Renan Brandão).


Maria Bethânia em um dos carros alegóricos no desfile da Mangueira, a campeã do carnaval 2016 do Rio (foto: UOL)

VÍDEO:"Maria Bethânia, a Menina dos Olhos de Oyá"
Autores: Alemão do Cavaco, Almyr, Cadu, Lacyr D Mangueira, Paulinho Bandolim e Renan Brandão
Intérpretes: Ciganerey e Maria Bethânia (introdução)
(P) 2015 Gravadora Escolas de Samba / Universal Music Brasil

Raiou... Senhora mãe da tempestade
A sua força me invade, o vento sopra e anuncia
Oyá... Entrego a ti a minha fé
O abebé reluz axé
Fiz um pedido pro Bonfim abençoar
Oxalá, Xeu Êpa Babá!
Oh, Minha Santa, me proteja, me alumia
Trago no peito o Rosário de Maria
Sinto o perfume... Mel, pitanga e dendê
No embalo do xirê, começou a cantoria

Vou no toque do tambor... ô ô
Deixo o samba me levar... Saravá!
É no dengo da baiana, meu sinhô
Que a Mangueira vai passar

Voa, carcará! Leva meu dom ao Teatro Opinião
Faz da minha voz um retrato desse chão
Sonhei que nessa noite de magia
Em cena, encarno toda poesia
Sou abelha rainha, fera ferida, bordadeira da canção
De pé descalço, puxo o verso e abro a roda
Firmo na palma, no pandeiro e na viola
Sou trapezista num céu de lona verde e rosa
Que hoje brinca de viver a emoção Explode coração
Quem me chamou... Mangueira
Chegou a hora, não dá mais pra segurar

Quem me chamou... Chamou pra sambar
Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá
Não mexe comigo, eu sou a menina de Oyá



Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil