"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Elsa (Frozen) ♥

domingo, 24 de dezembro de 2017

"Hallelujah" - Leonard Cohen (1984)



Em plena véspera de Natal, eu falarei sobre "Hallelujah", uma canção do cantor e compositor canadense de folk music Leonard Cohen (1934-2016) que cresceu em uma família judia e, já em 1994, aos 60 anos, havia se convertido ao budismo. "Hallelujah" foi lançado em 1984 através do disco do próprio Leonard Cohen, "Various Positions" (CBS/Sony Music). Uma década mais tarde, a canção se tornou popular na voz de Jeff Buckley (1966-1997) gravado para o primeiro e único álbum de estúdio do cantor, "Grace" (Sony Music, 1994). A versão original tem quatro estrofes e a de Buckley tem cinco. Juntas, as duas versões têm sete estrofes diferentes.
Muito executada em época de Natal, embora ela não seja uma canção natalina, eu diria que "Hallelujah" representa uma canção de confissão. Nela, o narrador na primeira pessoa é um homem virtuoso, mas se sucumbe na tentação, confessa seus pecados e no fim se arrepende e demonstra que, independentemente do que aconteça, se torna humilde diante da canção de Deus. Para construir brilhantemente a letra, embora com muita dificuldade, Cohen usou o pecado de adultério do Rei Davi com a Betsabé ao vê-la banhando-se e citou o episódio da perda de poder do Sansão por ter seus cabelos, a origem de sua força (oferecida pelo Espírito Santo de Deus, segundo a Bíblia), cortados por Dalila, por quem Sansão apaixonou-se ilicitamente como referências. Dois homens mais importantes da Bíblia, Davi e Sansão, que caíram em tentação. As estrofes acrescentadas que se ouvem na versão de Jeff Buckley parecem fugir um pouco do sentido das originais, mas mantém a temática da espiritualidade além de pôr sua fé em dúvida.
"Hallelujah" ("Aleluia") vem do termo hebraico "Halleluyah" que significa "louve a Deus Javé" ("hallelu"= louvar, "Yah"= Deus, Javé)
No Brasil a música ganhou algumas adaptações para português e o tom de confissão da letra original foi versionado para canção de ação de graças ou hino de louvor por cantores religiosos.
Que explica melhor a letra é o site Cultura Genial:
https://www.culturagenial.com/musica-hallelujah-leonard-cohen/

"Hallelujah"
escrita e interpretada por Leonard Cohen
(P) 1984 Columbia Records / CBS Records, Columbia Broadcasting System (hoje Sony Music Entertainment Group)

Ow, I've heard there was a secret chord
Então, eu soube que existe uma melodia secreta
That David played, and it pleased the Lord
Que Davi tocou, e isso agradou ao Senhor
But you don't really care for music, do you?
Mas você não se importa muito com música, não é?
It goes like this, the fourth, the fifth
E ela soa assim, a quarta, a quinta
The minor fall, the major lift
A menor cai e a maior se ascende
The baffled king composing hallelujah
O rei confuso compondo "Aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Your faith was strong but you needed proof
Sua fé era grande mas você precisava de prova
You saw her bathing on the roof
Você a viu banhando-se no terraço
Her beauty and the moonlight overthrew ya
Sua beleza e a luz da lua o conquistaram
She tied you to a kitchen chair
Ela te amarrou em uma cadeira de cozinha
She broke your throne, and she cut your hair
Ela quebrou seu trono, e cortou seu cabelo
And from your lips she drew the hallelujah
E dos seus lábios ela esboçou um "aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

You say I took the name in vain
Você disse que eu usei o nome em vão
I don't even know the name
Mas eu nem mesmo sei o nome
But if I did, well really, what's it to you?
Mas se eu disse, ora, o que isso significa mesmo para você?
There's a blaze of light in every word
Existe um raio de luz em cada palavra
It doesn't matter which you heard
E não importa qual dela você ouviu
The holy or the broken hallelujah
Uma "aleluia" sagrada ou a violada

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

I did my best, it wasn't much
Eu fiz meu melhor, mas não foi o suficiente
I couldn't feel, so I tried to touch
Eu não pude sentir, então tentei tocar
I've told the truth, I didn't come to fool you
Eu havia dito a verdade, eu não vim aqui para te enganar
And even though it all went wrong
E mesmo que tudo tenha dado errado
I'll stand before the lord of song
Eu vou me prostrar diante do Senhor da canção
With nothing on my tongue but hallelujah
Sem nada em minha língua além de "aleluia"

Hallelujah (18x)
Aleluia (18x)


VERSOS ACRESCENTADOS

But baby I've been here before
Mas, amor, eu já estive aqui antes
I've seen this room and I've walked this floor
Já vi esse quarto e já andei neste chão
You know, I used to live alone before I knew ya
Você sabe, eu costumava morar sozinho antes de você
And I've seen your flag on the Marble Arch
E eu vejo a sua bandeira no Marble Arch ("Arco de Mármore", um dos pontos turísticos de Londres)
And love is not a victory march
Mas o amor não é uma marcha da vitória
It's a cold and it's a broken Hallelujah
É uma aleluia fria e sofrida

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Well there was a time when you let me know
Então, existiu um tempo em que você me avisava
What's really going on below
O que realmente está acontecendo por dentro
But now you never show that to me do ya
Mas agora você nunca me mostra isso, não é?
But remember when I moved in you
Mas lembre-se de quando eu me mudei para você
And the holy dove was moving too
E o pomba sagrada estava se mudando também
And every breath we drew was Hallelujah
E toda a respiração que esboçávamos era "Aleluia"

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

Maybe there's a God above
Talvez exista um Deus no céu
But all I've ever learned from love
Mas tudo o que eu aprendi sobre o amor
Was how to shoot somebody who outdrew ya
Foi como atirar em alguém que destruiu você
And it's not a cry that you hear at night
E não é um choro que você escuta a noite
It's not somebody who's seen the light
Não é quando alguém que vê a luz
It's a cold and it's a broken Hallelujah
É uma aleluia fria e sofrida

Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia
Hallelujah
Aleluia

VÍDEO: "Hallelujah" (versão original de Leonard Cohen)




VÍDEO: Hallelujah (com estrofes acrescentadas) na gravação de Rufus Wainwright para a trilha sonora do filme de animação "Shrek" (Dreamworks Pictures, 2001)


terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Luiz Henrique Faria e Rildo Hora



Dois vídeos simples e ótimos com Luiz Henrique Faria (cavaco/violão) e Rildo Hora (gaita) tocando "Calango do Maria Zélia" e "Sampa"

"Calango do Maria Zélia" de Rildo Hora




"Sampa" de Caetano Veloso

"Anjo" - Rildo Hora (1962)


Do acervo do canal Luciano Hortencio no YouTube: "Anjo" de Rildo Hora e Alcino Diniz gravado em 1962 na voz do músico Rildo Hora.
Na foto do vídeo tirada em 1988: Rildo Hora com a esposa Lusinete, os filhos Patrícia Hora que é cantora e Ziraldo Hora e o rei do baião Luiz Gonzaga (1912-1989)

"Pretinho Básico" - Dorina




Do CD "Dorina canta Sambas de Aldir e Ouvir - ao vivo" em tributo ao Aldir Blanc, a cantora carioca interpreta "Pretinho Básico", a inédita do compositor em parceria com Moyseis Marques. O show foi gravado ao vivo em setembro de 2016 no Teatro Municipal Ziembinski no bairro Tijuca, cidade do Rio de Janeiro. Ouçam e vejam!

Pretinho Básico
(Moyseis Marques e Aldir Blanc)

É meu pretinho básico e
Eu tô quase que de quatro
Porque é muito amô!
Marrento, banca o sádico...
Não entro nesse barco, não sinhô!
Os olhos de menino
com um brilho de assassino
Ancoraram no meu peito
E o lindo trejeito moleque me fisgou!

Me faz cafuné, cafunga o meu pé,
me diz que vai durar pra sempre...
Meu coração ouve a razão:
"não vai, não!"
Então, tá! Sou mulhé
Pra guentá o tranco do Poeta:
"Infinito enquanto dure"
Pretendo curtir, morrendo de rir,
Até que o caso e a casa caiam
Quero viver, até o fim,
é bom pra mim, pra você,
Pra valer
O meu futuro a Deus pertence
e eu vivo no presente, Oxalá!
Meu destino entrego aos rios
do meu Orixá…
Deus me guia
e eu vivo no presente, Oxalá!
Meu destino entrego aos rios
do meu Orixá

segunda-feira, 18 de dezembro de 2017

Zeca Pagodinho terá sua vida contada nos cinemas


Fiquei sabendo através do site Folhamax: Zeca Pagodinho será mais um artista a ter sua vida contada  nos cinemas. O projeto, inspirado no livro "Deixa o Samba Me Levar" (Editora Sonora, 2014) de Jane Barbosa e Leonardo Bruno já saiu do papel e será realizado no ano que vem. O longa-metragem que será lançado pela Paris Filmes deve estrear em fevereiro de 2019 em comemoração dos 60 anos do sambista.


sábado, 16 de dezembro de 2017

Erasmo Carlos lança o single "Não Existe Saudade no Cosmos"


Ainda ontem (15 de dezembro), no mesmo dia em que seu amigo e parceiro musical Roberto Carlos lançou uma música inédita, Erasmo Carlos divulgou em single nas plataformas digitais a música "Não Existe Saudade no Cosmos", a primeira do disco homônimo a ser publicada. Na letra, escrita pelo baiano Teago Oliveira, vocalista da banda Maglore, Erasmo demonstra sua sensibilidade e defende as lágrimas de quem deseja fazer uma "fuga geográfica", ou seja, se mudar de um lugar para o outro no auge da tristeza para nunca mais voltar. O próprio Erasmo admitiu que se sentiu tocado com a canção. O 30º álbum do Tremendão lançado pela Som Livre só sairá em 2018.

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Roberto Carlos lança o single "Que Yo Te Vea"


Como prometido, na madrugada de ontem (14 de dezembro) para hoje (15 de dezembro) foi publicado nas plataformas digitais o single da música inédita de Roberto Carlos, a "lambadinha" à "Mulher Pequena" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1992) "Que Yo Te Vea". A música será incluída em um álbum em espanhol que o cantor gravou durante esse ano e que só sairá em 2018. O disco tem dez faixas, sendo que apenas três são inéditas, seis versões em espanhol de sucessos escritos e lançados por Roberto Carlos originalmente em português e a canção "Llegaste" (de Kany García, 2016), versão em espanhol de "Chegaste" gravada pelo rei em dueto com Jennifer Lopez.





"Non Ho L'età" - Gigliola Cinquetti (1964)

A cantora italiana Gigliola Cinquetti


Padre Zezinho citou a canção "Non Ho L'età" (de Mario Panzeri e Nicola Salerno, 1964) cantada por Gigliola Cinquetti em uma de suas postagens no Facebook (clique aqui)  e em seu livro de reflexões diárias "Catequese Ao Raiar do Dia" (Editora Ave-Maria, 2015) considerando-a como "uma das mais sólidas do catequese do catolicismo do século XX a respeito do namoro e do casamento". A música fala de uma jovem que reconhece que ainda é cedo para amar e que prefere viver um amor romântico e esperar o tempo certo para o casamento. Ou seja, a canção estimula aos jovens para que esperassem a hora certa para o beijo o sexo. Hoje em dia, o sexo na adolescência e a "era do agorismo" como diz o sacerdote passaram dos limites.
"Non Ho L'età" defendida pela cantora italiana Gigliola Cinquetti, na época aos 16 anos, venceu o Festival Eurovisão da Canção realizada em Compenhague, na Dinamarca, e o Festival San Remo na Itália, ambos em 1964 e desde então se transformou em um sucesso mundial. Em seguida, Cinquetti gravou "Non Ho L'età" em francês, inglês, espanhol, alemão e japonês.
Na década de 1960, Gigliola Cinquetti que completará 70 anos na quarta-feira que vem (20 de dezembro) tinha o sucesso digno da cantora americana Beyoncé nos dias de hoje: foi o maior destaque internacional e suas músicas estouravam nas rádios de todo mundo, inclusive o Brasil. Em meados dos anos 1970, Gigliola casou-se com o jornalista Luciano Teodori e havia se afastado da mídia para dedicar-se à família, porém, em 1981, ela voltou desta vez como jornalista e colunista semanal. No ano seguinte, apresentou com Enzo Tortora o programa "Portobello", cantando e dançando o twist. No mês passado, novembro, Gigliola veio ao Brasil mais uma vez em ocasião da sua turnê mundial "Una Storia D’Amore". A cantora se apresentou no Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba (Paraná) e Porto Alegre (Rio Grande do Sul).



Gigliola Cinquetti em novembro de 2017 durante uma entrevista ao programa "Domingo Espetacular" da TV record no Brasil. (clique aqui)


"Non Ho L'età"
Música de Nicola Salerno
Letra de Mario Panzeri
Orquestrador: Gianfranco Monaldi
Interpretada por Gigliola Cinquetti
(P) 1964 Compagnia Generale del Disco (CGD Records) / Warner Music Group

Non ho l'età, 
Eu não tenho idade,
Non ho l'età per amarti
Eu não tenho idade para amar você
Non ho l'età 
Eu não tenho idade
Per uscire sola con te
Para sair sozinha com você.
E non avrei, 
E eu não teria,
Non avrei nulla da dirti
Não teria nada a dizer-lhe,
Perchè tu sai 
Porque você sabe
molte più cose di me
Muito mais das coisas que eu.

Lascia ch'io viva un amore romantico
Deixe que eu viva um amor romântico
Nell'attesa 
Na esperança
che venga quel giorno, 
De que chegue esse dia,
Ma ora no!
mas agora não!

Non ho l'età, 
Eu não tenho idade
non ho l'età per amarti
Eu não tenho idade para amar você
Non ho l'età 
Eu não tenho idade
per uscire sola con te
Para sair sozinha com você
Se tu vorrai, 
Se quiser,
se tu vorrai aspettarmi
Se quiser esperar por mim,
Quel giorno avrai tutto il mio amore per te
Chegará o dia em que todo o meu amor será seu.

Lascia ch'io viva un amore romantico
Deixe que eu viva um amor romântico
Nell'attesa 
Na esperança
che venga quel giorno, 
De que chegue esse dia,
Ma ora no!
Mas agora não!

Non ho l'età, 
Eu não tenho idade
non ho l'età per amarti
Eu não tenho idade para amar você
Non ho l'età
Eu não tenho idade
per uscire sola con te
Para sair sozinha com você
Se tu vorrai, 
Se quiser
Se tu vorrai aspettarmi
Se quiser esperar por mim,
Quel giorno avrai tutto il mio amore per te
Chegará o dia em que todo o meu amor será seu.

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

"La Solitudine" - Laura Pausini (1993)



Enquanto eu fui fazer uma postagem sobre o álbum de compilação "TV Dance" (Paradoxx Music, 1995) (clique aqui), me lembrei da canção "La Solitudine" cantada pela Laura Pausini, já que, neste CD, também havia esta canção só que na "versão genérica" e foi por essa lembrança que resolvi fazer este post. Esta música que fala sobre uma jovem que sofre de depressão e tem problemas com o seu desempenho na escola após a partida do seu namorado por quem está profundamente apaixonada foi apresentada pela primeira vez ao famoso Festival San Remo na Itália em 1993 e fez com que Laura vencesse como artista revelação. Em seguida, ela assinou o contrato com a Warner Music e gravou seu primeiro disco que leva o seu nome e que inclui o sucesso. A jornalista Fabiana Steinmander da emissora de TV americana Univision descreveu tecnicamente "La solitudine" como "uma das canções com maior grau de dificuldade, por causa da grande quantidade de variação na voz e modulação que exige de seu intérprete". Pura verdade, já que melodia vai do mais grave (na voz da Laura nesta gravação, Ré 3) ao agudo (Mi bemol 5). Não é pra qualquer cantor!
O videoclipe de "La Solitudine" foi gravado em março de 1993 na cidade de Ostia, na Itália, sob a direção de Ambrogio Lo Giudice. O vídeo é simples, alterna entre Laura Pausini à beira da praia com três cachorros e cantando sozinha em um píer.
No ano seguinte, a canção ganhou uma adaptação para o espanhol do compositor Badia com o título de "La Soledad" e, em 1995, para o Reino Unido, através de um álbum destinado ao local, foi lançado uma versão em inglês chamada "La Solitudine (Loneliness)" feita pelo Tim Rice, o renomado letrista de peças musicais.
Renato Russo (1960-1996) gravou "La Solitudine" para o seu segundo CD solo, "Equilíbrio Distante" (EMI Music, hoje Universal Music, 1995) no qual ele regrava sucessos da música pop contemporânea italiana.

Fontes: Wikipédia
https://pt.wikipedia.org/wiki/La_solitudine#La_solitudine
https://pt.wikipedia.org/wiki/Laura_Pausini_(%C3%A1lbum_de_1993)

"La Solitudine"
música de Angelo Valsiglio e Pietro Cremonesi
letra de Federico Cavalli e Pietro Cremonesi
interpretada por Laura Pausini
(P) 1993 Compagnia Generale del Disco (CGD Records) / Warner Music Group

Marco se n'è andato e non ritorna più
Marco se foi e não volta mais
E il treno delle 7:30 senza lui
E o trem das 7:30 sem ele
È un cuore di metallo senza l'anima
É um coração de metal sem alma
Nel freddo del mattino grigio di città
No frio da manhã cinzenta da cidade
A scuola il banco è vuoto, Marco è dentro me
Na escola, a mesa está vazia, Marco está dentro de mim
È dolce il suo respiro fra i pensiere miei
É doce sua respiração entre meus pensamentos
Distanze enormi sembrano dividerci
Enormes distâncias parecem nos dividir
Ma il cuore batte forte dentro me
Mas o coração bate forte dentro de mim

Chissà se tu mi penserai
Quem sabe você pensa em mim
Se con i tuoi non parli mai
Se com os teus próprios pais você não fala mais
Se ti nascondi come me
Se você se esconde como eu
Sfuggi gli sguardi e te ne stai
Desvia os olhares e você está
Rinchiuso in camera e non vuoi mangiare,
Trancado no quarto e não quer comer,
Stringi forte a te il cuscino,
Abraça forte o travesseiro,
Piangi e non lo sai  
Chora e não sabe
quanto altro male ti farà la solitudine
o quanto pior lhe fará a solidão

Marco nel mio diario ho una fotografia
Marco, em meu diário tenho uma fotografia
Hai gli occhi di bambino un poco timido
Com os olhos de um menino um pouco tímido
La stringo forte al cuore e sento che ci sei
Eu seguro forte ao coração e sinto que você está
Fra i compiti d'inglese e matematica
Entre as lições de Inglês e Matemática
Tuo padre e i suoi consigli che monotonia!
Seu pai e seus conselhos que monotonia!
Lui con il suo lavoro ti ha portato via
Por causa do seu trabalho ele levou você
Di certo il tuo parere non l'ha chiesto mai
Certamente que ele nunca lhe pediu sua opinião
Ha detto "un giorno tu mi capirai"
E disse "um dia você vai me entender''

Chissà se tu mi penserai
Quem sabe você pensa em mim
Se con gli amici parlerai
Se for conversar com os amigos
Per non soffrire più per me
Para não sofrer mais por mim
Ma non è facile lo sai
Mas não é fácil, você sabe

A scuola non ne posso più
Não aguento mais a escola
E i pomeriggi senza te
E as tardes sem você
Studiare è inutile, tutte le idee si affollano su te
Estudar é inútil, pois todos os meus pensamentos se concentram em você

Non è possibile dividere
Não é possível dividir
la vita di noi due
 a vida de nós dois
Ti prego, aspettami, amore mio
Eu lhe imploro, espere por mim, meu amor
Ma illuderti non so!
Mas eu não sei iludir você!

La solitudine fra noi
A solidão entre nós
Questo silenzio dentro me
Este silêncio dentro de mim
È l'inquietudine di vivere 
É a inquietação de viver
la vita senza te
a vida sem você
Ti prego aspettami perché

Eu lhe imploro, espere por mim, porque
Non posso stare senza te
Eu não posso viver sem você
Non è possibile dividere 
Não é possível dividir
la storia di noi due
a história de nós

La solitudine fra noi
A solidão entre nós
Questo silenzio dentro me
Este silêncio dentro de mim
È l'inquietudine di vivere
É a inquietação de viver
la vita senza te
a vida sem você 
Ti prego aspettami perché
Eu lhe imploro, espere por mim, porque
Non posso stare senza te
Eu não posso viver sem você
Non è possibile dividere 
Não é possível dividir
la storia di noi due
a história de nós

La solitudine
A solidão


Versão em italiano  (clipe original)



Versão em espanhol

domingo, 10 de dezembro de 2017

"TV Dance" - Paradoxx Music (1995)


Rhyme to the rhythm, come on feel the rhythm!
There's a rhythm that rhymes that rock the whole time.

(trecho em rap da música "Santa Maria")

Esta semana dei de cara com um vídeo-áudio do CD completo do "TV Dance" (Paradoxx Music, 1995) no YouTube. Fiquei empolgada, porque eu, aos 13 anos, quando este álbum foi lançado, para a minha infelicidade, não cheguei a ter este CD, mas uma amiga que o tinha o havia emprestado pra mim. Bendita seja a internet, não é? E graças a ela, à internet, que afoguei essa minha frustração. Dizer que o CD é ótimo é pouco, porque, em plena febre da dance music europeia da década de 1990 no Brasil, o volume 1 do "TV Dance", assim como os outros CD's do mesmo gênero musical lançados pela Paradoxx Music, vendia feito água para milhões de jovens. Voltei ao amável ano de 1995, a época da minha saudável adolescência! ♥ 😁
"TV Dance" foi lançado nos formatos LP, K7 e CD pela Paradoxx Music, gravadora brasileira responsável por introduzir a Dance Music europeia no Brasil em meados dos anos 1990 e que encerrou suas atividades em 2005.



No mesmo ano em que a internet se tornou comercial (só que em lares mais privilegiados onde tinham um computador), "TV Dance" foi o primeiro CD a conter um videoclipe estilo CD-ROM, até então inédito no Brasil. Quem tinha este CD se desesperava, já que, se vacilasse e deixasse reproduzir a primeira faixa, a que é reproduzida apenas no computador, no aparelho de som, os ruídos que iriam ocorrer poderiam danificar as caixas acústicas, como alertava na contracapa do CD. Para o equipamento de áudio, bastava pular para a faixa 2, a música "Tell Me" do grupo italiano Tenessee. 
A faixa interativa em questão era o videoclipe de "Santa Maria" (Kirsti Johansen, Kjetil Røsnes, Michael Stock e Matt Aitken, 1995) da Tatjana Šimić (ou simplesmente Tatjana), a cantora e modelo croata-holandesa, hoje com 54 anos, que foi onipresente nas edições holandesas e alemãs das revistas Playboy nas décadas de 1980 e 1990 (leia a mini-biografia de Tatjana clicando aqui). A música foi inicialmente projetada para o mercado europeu, mas, graças à releitura da cantora e modelo inglesa Samantha Fox para o Reino Unido e Estados Unidos, "Santa Maria" se tornou popular, embora o extremo sucesso mundial aconteceu mesmo com a versão original da Tatjana. O formato áudio de "Santa Maria" está na terceira faixa do CD. 


Carlos Oliva Y Los Sobrinos resgatam uma música que seria um dos clássicos do pop hispanofônico: "Macarena", gravado originalmente pelo duo espanhol Los Del Río em 1992.  
 Logo depois de emplacar com "Saturday Night" (de Larry Pignagnoli e Davide Riva, 1993), a dinamarquesa Whigfield vem com "Sexy Eyes", outro mega sucesso mundial
O grupo Playahitty, liderado pela italiana Jenny B, nome artístico de Giovanna Bersola, e o mesmo de "The Summer Is Magic" (de Emanuele Asti e Stefano Carrara, 1994) marca presença em "TV Dance" com "1,2,3 (Train With Me)". Dizem os rumores que Jenny B foi a cantora produzida para emprestar sua voz à brasileira Olga Souza, líder do projeto eurodance Corona para dublá-la nos palcos o seu principal hit  "The Rhythm Of The Night"  (de Francesco Bontempi, Annerley Gordon, Giorgio Spagna, Peter Glenister e Mike Gaffey, 1994), da mesma forma de como foi feito o duo alemão Milli Vanilli, mas até agora isso não foi confirmado. A também italiana Emanuella Gubinelli, artisticamente conhecida como Taleesa vem ardente com "Burning Up", Serena com a viajante "Ridin' High" e Los Locos dando um show de humor com "El Tiburón" com direito a citações em espanhol de alguns chavões da música pop mundial, como "¡oh, ahí está!" que vem do "Whoomp! There it Is" (de Stephen Gibson e Cecil Glenn, 1993) sucesso do grupo Tag Team cujo bordão que leva o nome do rap foi decodificado no Brasil para "uh, tererê!".
Não faltam também as releituras italianas com nova roupagem como "Diana" (de Paul Anka, 1957) de Andrew Sixty, trio conhecido por regravar clássicos dos anos 1950 e 1960 na versão dance, "No More 'I Love You's'" da Annie Lennox em versão reggae, "Back For Good" da boy band  britânica Take That e "Zombie" do grupo The Cramberries, esta cuja aura sombria em um protesto contra a violência entre extremistas protestantes e católicos na Irlanda do Norte na época do conflito norte-irlandês se perdeu com o aspecto dançante, eletrizante e mais bubblegum (chiclete, grudento) do quarteto A.D.A.M com a participação da cantora Amy. Sem falar nas versões fake de "Dub I Dub" do duo dinamarquês Me & My formado pelas irmãs Susanne e Pernille Georgi e a única lenta do CD, "La Solitudine" da Laura Pausini, interpretadas por cantoras com nomes bem curiosos: Minie Mine e Lara P., respectivamente. Em seus álbuns de compilações era comum a Paradoxx produzir seus cantores para regravarem músicas de artistas estrangeiros contratados por gravadoras multinacionais e se identificarem com nomes parecidos com os dos intérpretes originais (neste caso, a dupla Me & My é da EMI/Universal Music e Laura Pausini, da Warner Music). Um erro nos créditos do CD assinala o compositor de "La Solitudine" com o nome da intérprete original (Laura Pausini) ao invés de Federico Cavalli, Angelo Valsiglio e Pietro Cremonesi que seriam os verdadeiros autores. 
No formato LP não contem as faixas "El Tiburón" e "La Solitudine" (talvez por um motivo óbvio: não coube), contudo, no formato CD, ambas foram incluídas como faixas bônus.

"TV Dance"
Vários Artistas
(P) 1995 Paradoxx Music
Ouça o CD na íntegra:

01- Tenessee - "Tell Me"
escrita por Giada Masoni e Riccardo Menichetti
(P) 1995 X-Energy Records, Itália
https://www.discogs.com/Tenessee-Tell-Me/release/250553

02- Tatjana Šimić -  "Santa Maria"
escrita por Kirsti Johansen, Kjetil Røsnes, Michael Stock e Matt Aitken
(P) 1995 Mega Records (hoje Edel Music), Dinamarca
https://en.wikipedia.org/wiki/Santa_Maria_(Tatjana_song)

03- Carlos Oliva & Los Sobrinos - "Macarena"
escrita por Rafael Ruiz Perdigones  e Antonio Romero Monge

04- Whigfield - "Sexy Eyes"
escrita por Annerley Gordon, Alfredo Larry Pignagnoli, Davide Riva, Paul Sears
(P) 1995 FLEX Records (Dinamarca) / Systematic Records - London Records (Inglaterra)

05- Minie Mine - "Dub-I-Dub"
escrita por Me & My (Susanne Georgi e Pernille Georgi)

06- Andrew Sixty - "Diana"
escrita por Paul Anka

07- Playahitty - "1-2-3 (Train With Me)"
escrita por Emanuele Asti, Francesco Pini e Stefano Carrara
(P) 1995 Zyx-Music (Alemanha) / Wicked & Wild Records, Supermelody (Itália)
https://www.discogs.com/Playahitty-1-2-3-Train-With-Me/release/213457

08- Betty Blue - "No More 'I Love You's'"
escrita por David Freeman e Joseph Hughes
(P) 1995 Mister Owl Recordings, Itália

09- East Side Beat feat. Max - "Back for Good"
escrita por Gary Barlow
(P) 1995 Team Records, Itália
https://www.discogs.com/East-Side-Beat-Feat-Max-Back-For-Good/release/5053771

10- A.D.A.M. feat. AMY - "Zombie"
escrita por Dolores O' Riordan
(P) 1995 Central Station Records, Austrália / Reflex Records (Itália)
https://www.discogs.com/ADAM-Featuring-Amy-Zombie/release/59692

11- Serena - "Riding High"
escrita por Mike Stock e Matt Aitken
(P) 1994 Love This Records, Inglaterra

12- Taleesa - "Burning Up"
escrita por Giordano Trivellato e Giuliano Sacchetto
(P) 1995 TIME (Itália)
https://www.discogs.com/Taleesa-Burning-Up/release/811260

FAIXAS BÔNUS

13- Los Locos - "El Tiburón"
escrita por John G. Wilson e Nelson Zapata
(P) 1995 ZYX Music, Alemanha
https://www.discogs.com/Los-Locos-El-Tiburon/release/1772245

16- Lara P. - "La Solitudine"
música de Angelo Valsiglio e Pietro Cremonesi
letra de Federico Cavalli e Pietro Cremonesi





quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Leo Russo no Sem Censura


Veja na íntegra a participação do cantor Leo Russo no programa Sem Censura que foi ao ar no dia 1 de dezembro, sexta-feira, na TV Brasil. O cantor de 28 anos esteve no programa para divulgar o seu segundo álbum, "Canto do Leo" e falar o quanto sente falta de samba-canção e seresta em pleno século 21. Você não está sozinho nessa, Leo. :)
Leo Russo aparece nos primeiros 13 minutos e a partir dos 53 minutos do vídeo abaixo cantando "Razão e Emoção" (de Vadinho e Renato Barros, 1988) gravado originalmente por Roberto Ribeiro (1940-1996), a inédita "Pôster" (de Evaldo Gouveia e Paulo César Pinheiro) e "Somos Iguais" (de Evaldo Gouveia e Jair Amorim, 1964) que foi eternizada na voz de Altemar Dutra (1940-1983).

Veja também: minha postagem sobre o CD "Canto do Leo"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2017/12/leo-russo-canto-do-leo.html




quarta-feira, 6 de dezembro de 2017

"Toca, Gilberto" - Rildo Hora e Sérgio Cabral


Finalmente! Vazou pelo Youtube o vídeo-áudio de uma das faixas do LP "Rildo Hora e Sérgio Cabral" do Rildo Hora lançado em 1980 que há anos estou curiosa para ouvir. O LP inteiro é só com músicas da autoria de Sérgio Cabral Pai e Rildo Hora interpretadas por este que, além de cantar, rege e  toca gaita (é claro) e violão . A qualidade do som não é muito boa, já que é um vídeo com imagem da vitrola reproduzindo apenas por aperitivo a canção "Toca, Gilberto" (de Rildo Hora e Sérgio Cabral Pai), mas só pelo fato de disponibilizar uma música do álbum, vale a pena. E a música e ótima.
O "Gilberto" da canção refere-se ao percussionista Gilberto D'Ávila que já havia tocado com grandes nomes da MPB e participa da gravação tocando surdo. Logo no final da música, o jornalista e compositor Sérgio Cabral entrevista o homenageado.

Eu ainda vou ouvir o resto do LP, rs rs.

"Toca, Gilberto"
Escrita por Rildo Hora e Sérgio Cabral
Interpretada por Rildo Hora
Participação especial: Sérgio Cabral Pai (repórter) e Gilberto D'Ávila (entrevistado)
(P) 1980 RCA VIctor (hoje Sony Music Entertainment Brasil)




Leo Russo - "Canto do Leo"



O álbum "Canto do Léo", o segundo do cantor carioca Leo Russo já está disponível desde o começo de outubro no Spotify. Apaixonado por samba-canção, valsinha e bolero, Leo infuenciou-se nestes estilos para este trabalho bem saudosista e nos surpreende com a mudança de imagem de sambista para seresteiro à moda antiga. Além dos resgates de duas faixas de seu EP lançado há 2 anos ("Leva o Jornal" e "Olhos Teus"), o CD, produzido por Cristóvão Bastos, também conta com cinco releituras de clássicos da música brasileira e mais cinco inéditas. 
Sem mais comentários. Vou aumentar o volume do meu computador  tocando "Canto do Leo", porque é tudo de bom. 🎶


Foto da contracapa do CD publicado hoje (06 de dezembro de 2017) no Facebook Leo Russo - Canto do Leo


"Canto do Leo"
Leo Russo
℗ 2017 Mins Música
Link do álbum no Spotify:
https://open.spotify.com/album/798PFH8bqCmeaYLbxKGPp7

1 - Manhã de Primavera (1975)
Christiano Fagundes

2 - Poster
Evaldo Gouveia e Paulo Cesar Pinheiro

3 - Razão e Emoção (1988)
Vadinho e Renato Barros

4 - Sim ou Não
Leo Russo

5 - Nada Mudou
Evaldo Gouveia e Fausto Nilo

6 - Somos Iguais (1964)
Evaldo Gouveia e Jair Amorim

7 - Olhos de mar
Leo Russo

8 - Leva o Jornal (2015)
Leo Russo e Gisa Nogueira

9 - Dois Bombons e uma Rosa (2005)
Aldir Blanc

10 - Meu Vício é Você (1955)
Adelino Moreira

11 - Preciso de Alguém
Evaldo Gouveia e Paulo Cesar Pinheiro

12 - Olhos Teus (Língua dos Olhos) (2015)
Leo Russo


terça-feira, 5 de dezembro de 2017

Como será o especial de Roberto Carlos de 2017?

Eu assisti a um vídeo do canal "Elmir Megavideo" do Elmir de Almeida, um fã sortudíssimo de Roberto Carlos e neste vídeo a seguir existem alguns detalhes do que vai acontecer no especial de Roberto Carlos, inclusive a divulgação da música inédita de um álbum em espanhol que será lançado no ano que vem, "Que Yo Te Vea". Neste mesmo álbum, terá a versão original de "Chegaste", intitulado "Llegaste" (de Kany García, 2016), música gravada pelo rei em parceria com Jennifer Lopez.
No programa chamado "Esse Cara - Roberto Carlos", o cantor fará duetos com Djavan em "As Curvas da Estrada de Santos" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1969) e "Pétala" (de Djavan, 1982), Tiago Iorc em "É Preciso Saber Viver" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos) e "Amei Te Ver" (de Tiago Iorc, 2015), Isis Valverde em "Emoções" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1981), as irmãs Simone & Simaria que sonharam com este "momento lindo" (elas mereciam, parabéns!) em "Quando o Mel É Bom" (de Simaria Mendes, Nivardo Paz e Ellen Nery, 2015) e "Eu Te Amo, Te Amo, Te Amo" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos, 1968), e, por fim, com a cantora e compositora panamense Erika Ender em "Despacito" (de Erika Ender, Luis Fonsi e Daddy Yankee, 2017)
O especial, segundo o site da TV Globo, será exibido no dia 22 de dezembro, sexta-feira.




Adriana Arydes agora é Universal Music!

A cantora Adriana Arydes (foto: Adriana Arydes Oficial

Depois de 14 anos na gravadora Paulinas-COMEP, a cantora católica Adriana Arydes assina seu contrato com a nova gravadora: a toda-poderosa Universal Music. "Novidade pra vcsssss... eis um novo tempo de muito trabalho, alegria e evangelização!!! Gratidão total a Deus e aos meus anjos que me acompanham sempre... Agora faço parte do casting de artistas da Universal Music Brasil mto felizzz!!!!!", disse a cantora em sua conta no Facebook no dia 1 de dezembro, sexta-feira.
"Uma voz inconfundível, um carisma singular, canções que têm levado milhares de pessoas em todo o Brasil a uma experiência pessoal com Cristo. Essa é a Adriana Arydes Oficial, uma das maiores vozes da música católica e nossa nova artista. Seja bem-vinda! 💕", cumprimenta a gravadora também em seu Facebook . E o seu oitavo álbum de inéditas e primeira na Universal vai sair logo-logo no ano que vem. 
Parabéns e felicidades, Dri!!

quarta-feira, 29 de novembro de 2017

Roberto Carlos em Joinville (SC) + especial de fim de ano


Um ano e três meses depois, Roberto Carlos volta à Santa Catarina, desta vez em Joinville. O rei da música popular brasileira estará na Arena Cau Hansen no dia 14 de dezembro, quinta-feira. Mas eu não vou. :(
Mais informações, acesse: https://www.robertocarlos.com/agenda/show-joinville-sc/

E quanto ao especial de fim de ano, nesta edição os convidados são Djavan, a dupla sertaneja Simone & Simaria ("coleguinhas" que eu adoro, confesso), Tiago Iorc, a atriz Isis Valverde e Erika Ender, cantora panamenha de ascendência brasileira que compôs o hit de 2017, "Despacito" junto aos intérpretes porto-riquenhos Luis Fonsi e o rapper Ramón Ayala, o Daddy Yankee. As gravações ocorreram ontem à noite (28/11) e a data em que vai ao ar ainda não foi confirmada.

segunda-feira, 27 de novembro de 2017

Sia - "Everyday Is Christmas" (2017)


Capa do CD "Everyday Is Christmas" da cantora Sia



A cantora e compositora Sia


Ainda esta semana eu ouvi pelo Spotify "Everyday Is Christmas", o CD natalino da cantora australiana Sia lançado neste mês, novembro, e simplesmente adorei. A cantora que é conhecida pela sua bela voz e por se apresentar na parte de trás do palco com o rosto coberto de franja da peruca chanel metade preta metade loira deixando apenas sua boca exposta enquanto atores e dançarinos que usam o mesmo modelo de peruca (só que unicolor e com o rosto de fora)  fazem performance em sua frente, assim como em outros álbuns, fez um ótimo trabalho!
Todo dia é Natal para ela! Em agosto desse ano, Sia havia anunciado que iria lançar seu primeiro álbum com músicas natalinas, todas originais de sua autoria (em parceria com o produtor musical Greg Kurstin), como também é o primeiro de sua carreira em sua nova gravadora a Atlantic Records / Warner Music logo após o sucesso de "1000 Forms of Fear" e "This Is Acting" (RCA Records / Sony Music, 2015 e 2016, respectivamente). Assim como todos os álbuns anteriores, "Everyday Is Christmas" está sendo lançado através do próprio selo criado pela Sia, Monkey Puzzle.
Depois dos créditos do álbum, o videoclipe oficial bem no estilo anos 1950 (amo!) de "Santa's Coming For Us" (em português, "Papai Noel vem para nós") com a atriz americana Kristen Bell.

🎄 ☃ 🎅 

"Everyday Is Christmas"
Sia
(P) 2017 Monkey Puzzle / Atlantic Records / Warner Music Group

Todas as faixas são da autoria de Sia Fuller e Greg Kurstin
Ouça o álbum na íntegra pelo Spotify (na versão gratuita, recomendado ouvir pelo computador ou notebook):

1."Santa's Coming for Us"
2."Candy Cane Lane"
3."Snowman"
4."Snowflake"
5."Ho Ho Ho"
6."Puppies Are Forever"
7."Sunshine"
8."Underneath the Mistletoe"
9."Everyday Is Christmas"
10."Underneath the Christmas Lights"

Edição japonesa
11. "My Old Santa Claus"


sábado, 4 de novembro de 2017

"Meus 15 Anos" - o filme (com Larissa Manoela)



Ao assistir a esse filme parece que voltei a ser adolescente e à minha época de adolescente, porque eu tinha um pouco (ou muito, pra ser honesta) da personagem principal Beatriz de Souza, a Bia.  Estou falando do filme "Meus 15 Anos" (Paris Filmes / SBT / Televisa / Paris Entretenimento, 2017) inspirado no livro homônimo de Luiza Trigo e estrelado por Larissa Manoela, estrela do público infanto-juvenil do SBT que ficou famosa depois do papel de Maria Joaquina na versão brasileira da novela "Carrossel" (SBT, 2012) (de repente virei fã dela através deste filme).

Larissa Manoela no papel da Bia.

Bia (Larissa Manoela) e o "ukulelê invisível"

Beatriz de Souza, a Bia (Larissa Manoela), é uma garota de 14 anos, órfã de mãe, humilde, ingênua, tímida e insegura que não é popular, gosta de tocar ukulelê e nunca beijou ninguém. É aquela ideologia questionável e absurda de que adolescente "BV" (boca virgem) é surreal. Seus fiéis companheiros são o seu pai Eduardo (Rafael Infante) e seu único amigo e parceiro musical Bruno, vivido por Daniel Botelho. Sem falar que eu adoro as camisetas que o personagem Bruno usa durante o filme, como a do Bob Dylan na cena do ensaio da valsa e a dos Beatles em que ele canta "I'm Yours" do Jason Mraz no violão. Como também gosto muito do quarto da Bia, com decorações bem musicais e almofadas em formato de fita cassete e aparelho de rádio antigo.
A vida de Bia muda quando seu pai a inscreve em segredo e a contragosto da filha em uma promoção do shopping e acaba ganhando uma grande festa de quinze anos com direito ao vestido de debutante desenhado pela renomada estilista Lethicia Bronstein e ao show da cantora pop Anitta. Mas tem um problema: a garota sonhadora e apaixonada por música não tem muitos amigos para convidar ao evento por ser "invisível" na escola. Ela conta com a ajuda do Bruno e do pai Edu para consertar a situação. É quando o patinho feio deverá passar pela transformação – assinada pelos personagens Kátia (Polly Marinho) e  Joseph Charles (Victor Meyniel), que também funcionam como os alívios cômicos do filme.
Porém, Bia enfrentará vários desafios, como lidar com sua ex-melhor amiga de infância Jéssica (Clara Caldas), a garota mais popular do colégio que morrerá de inveja da festa, já que ela havia enviado vários cupons da promoção também por apreciar a estilista e ser fã de carteirinha da Anitta, e também a dificuldade em lidar com Thiago (Bruno Peixoto), o rapaz de bela aparência física do terceiro ano do colégio o qual Bia vem paquerando. Tudo isso para fazer com que sua noite de 15 anos seja inesquecível.
Acho que depois dessa vou passar a me informar mais sobre as novelas fofas e infantis do SBT, rs rs.

A atriz Larissa Manoela e Lorena Queiroz, estrela da novela "Carinha de Anjo" do SBT que no filme fez o papel da Bia quando criança.

G1:
https://g1.globo.com/pop-arte/cinema/noticia/meus-15-anos-cativa-gracas-ao-carisma-de-larissa-manoela.ghtml

TV Foco
http://www.otvfoco.com.br/saiba-o-que-achamos-do-final-de-meus-15-anos-filme-estrelado-por-larissa-manoela/


Trailer 1



Trailer 2 (com a música "Meu Pacto")



quinta-feira, 26 de outubro de 2017

Antes eu não tinha Instagram... agora eu tenho.

Quando a logo do Instagram era este acima eu nem sonhava em criar uma conta. E só agora, a partir da quinta-feira passada, 19 de outubro de 2017, com a nova logomarca (foto abaixo), eu resolvi criar, embora eu acompanhe e "curto" mais as postagens dos outros do que publico minhas fotos. Mas quem quiser me seguir, o endereço é  instagram.com/jeaneportelense . Ambas as logomarcas são bonitinhas, não? :)


Beyoncé - "Pretty Hurts" ("A Beleza Machuca")




Capa do single "Pretty Hurts" da Beyoncé

Não é novidade alguma dizer que Beyoncé impressiona com a sua bela voz. Aqui eu vou falar de uma música que me comoveu muito e que seria um consolo para nós, mulheres e garotas que estamos "fora dos padrões de beleza" sob a visão dos meios de comunicação ou até mesmo da sociedade.
"Pretty Hurts" é uma música gravada por Beyoncé para o álbum que leva o seu nome lançado em 2014. Co-escrita pela cantora e musicista australiana Sia, famosa por emprestar sua bela voz à música "Titanium"( de Nick L. Van De Wall, Giorgio Hesdey Tuinfor, David Guetta e Sia Kate Furler, 2011) do DJ francês David Guetta, a música é uma forte crítica à ditadura da beleza feminina pregada pela mídia, como também estimula as mulheres serem felizes consigo mesmas, independentemente da sua aparência física. Sia também participa da gravação da música como a backing vocal. (Genius.Com)

A cantora, compositora e musicista Sia.

No videoclipe que trabalha na história da canção mostrando a duríssima rotina das modelos, Beyoncé faz o papel da Miss Third Ward (um bairro de Brooklyn) que se candidata a Miss Universo e se sacrifica para se encaixar na tal perfeição. Só de assistir ao vídeo, a gente fica em choque e, ao mesmo tempo, exausta com tantas exigências impostas às modelos para que elas sejam "impecáveis". Logo no começo, ao se pesar e tirar medidas de seu corpo, a personagem de Beyoncé, linda e em boa forma, é absurdamente criticada pelo treinador do concurso (vivido pelo modelo Shaun Ross) por não estar "na medida certa".  Nos bastidores, muita disputa e brigas banais entre as candidatas. Sem falar nas cenas que fazem alusão aos distúrbios alimentares (bulimia), como na parte em que a cantora texana se debruça sobre um vaso sanitário e leva seu dedo pra dentro da boca e uma modelo figurante ingerindo bolas de algodão, tudo isso para vomitar, uma forma perigosíssima e superficial de emagrecer.
Outra exigência é que uma miss tem que ter uma inteligência invejável, respondendo a perguntas, em algumas vezes incoerentes, sobre assuntos aleatórios. Quando o apresentador do evento, vivido pelo ator Harvey Keitel (de "Pulp Fiction" e "Um Drink no Inferno"), pergunta à Beyoncé, ou melhor, à Miss 3rd Ward qual seria sua ambição na vida, ela tem um colapso e procura por palavras pra responder, um fato bem comum em concursos de miss. O videoclipe se encerra com imagens antigas da pequena Beyoncé agradecendo aos jurados por terem-na escolhido como vencedora de um concurso de música.
Fora do vídeo, Beyoncé expandiu a discussão sobre a definição de beleza e, junto à revista Time, convidou usuários do Instagram postarem fotos e vídeos que captassem o que a palavra "beleza" significa para cada um, utilizando a hashtag #WhatIsPretty, ou seja, "o que é beleza para você". Um assunto que deveria ser discutido sempre.
A seguir, a letra com tradução, videoclipe original e áudio-vídeo com legenda.

Sobre o videoclipe:
Fotografia: Nick Farrell
Produção de filmegem: Ross Levine, Karl Reid e Candice Ouaknine
Edição: Jeff Seelis
Direção: Melina Matsoukas
Atores participantes: Shaun Ross (treinador) e Harvey Keitel (apresentador)
Produção executiva: Kerstin Emhoff e Candice Ouaknine
Direção de fotografia: Jackson Hunt e Darren Lew
Coreografia: Frank Gatson
"Candidatas do concurso": Chloe Grade, Desiree, Naoumie Ekiko, Diandra Forrest, Maggie Geha, Jelena, Kaven, Gabby Kniery Kelsey Lear Lafferty, Veronica M, Renee Mittelstaedt, Jessica Novais, Sarah O, Talie Powell, Jae Ponder, Sarah Sarina, Jessica Sheenan Nikeva Stapleton, Stephanie Starface, Aster Thomas

Sobre a música:
Masterização: James Krausse
Engenheiros de gravação: Rob Suchecki e Ramon Rivas
Mixagem: Stuart White
Gravação: Stuart White
Participação especial: Sia - vocal de apoio (backing vocals)
Gravado em  Kings Landing, Jungle City Studios
Dia do lançamento: 10 de junho de 2014


"Pretty Hurts"
escrita por Beyonce Knowles, Joshua Coleman e Sia Kate Furler
interpretada por Beyoncé
© Kobalt Music Publishing Ltd., Sony/ATV Music Publishing LLC, Warner/Chappell Music, Inc
(P) 2013 (gravação), 2014 (lançamento) Columbia Records / Sony Music Entertainment Group

[Intro: Harvey Keitel & Beyoncé]
Ms. Third Ward, your first question:

Miss Third Ward, sua primeira pergunta:
What is your aspiration in life?
Qual é sua ambição na vida?
Oh, well my aspiration in life would be... to be happy
Ah, bom, a minha ambição na vida seria... ser feliz


Mama said, you're a pretty girl
Mamãe disse: "você é uma menina linda
What's in your head it doesn't matter
O que você tem em sua mente não importa
Brush your hair, fix your teeth
Escove o seu cabelo, corrija seus dentes
What you wear is all that matters
O que você veste é o que realmente vale"
Just another stage
Só mais uma etapa
Pageant the pain away
O concurso afasta a dor
This time I'm gonna take the crown
Desta vez eu vou ganhar a coroa
Without falling down, down
Sem desmoronar

Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Perfection is the disease of a nation
A perfeição é a doença da nação
Pretty hurts, pretty hurts
A beleza machuca, a beleza machuca
Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Tryna fix something
Tentamos consertar algo
But you can't fix, what you can't see
Mas não dá, e o que você não consegue perceber é que
It's the soul that needs the surgery
É a alma que precisa de cirurgia

Blonder hair, flat chest
Cabelo mais loiro, seios pequenos
TV says bigger is better
A televisão diz que quanto maior, melhor
South Beach, sugar free
Dieta de South Beach*, zero açúcar
Vogue says
A revista Vogue diz:
Thinner is better
"quanto mais magra, melhor"

Just another stage
Só mais uma etapa
Pageant the pain away
O concurso afasta a dor
This time I'm gonna take the crown
Desta vez eu vou ganhar a coroa
Without falling down, down, down
Sem desmoronar

Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Perfection is the disease of a nation
A perfeição é a doença da nação
Pretty hurts, pretty hurts
A beleza machuca, a beleza machuca
Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Tryna fix something
Tentamos consertar algo
But you can't fix what you can't see
Mas não dá, e o que você não consegue perceber é que
It's the soul that needs the surgery
É a alma que precisa de cirurgia

Ain't no doctor or pill that can take the pain away
Não há médico ou comprimido que possa curar essa dor
The pain's inside
Essa dor que está em você
And nobody frees you from your body
Ninguém vai tirar de seu corpo
It's the soul, it's the soul that needs surgery
É a alma que precisa de cirurgia
It's my soul that needs surgery
É a minha alma que precisa de cirurgia

Plastic smiles and denial can only take you so far
Sorrisos operados e negações só vão piorar as coisas
Then you break when the fake façade leaves you in the dark
E aí você se deprime quando a falsa aparência te deixa na escuridão
You left a shattered mirror
Você  deixou o espelho quebrado
And the shards of a beautiful past
Com os cacos de um belo passado

Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Perfection is the disease of a nation
A perfeição é a doença da nação
Pretty hurts, pretty hurts
A beleza machuca, a beleza machuca
Pretty hurts
A beleza machuca
Shine the light on whatever's worse
Evidenciamos o que temos de pior
Tryna fix something
Tentamos consertar algo
But you can't fix what you can't see
Mas não dá, e o que você não consegue perceber é que
It's the soul that needs the surgery
É a alma que precisa de cirurgia

When you're alone all by yourself
Quando você está totalmente só
And you're lying in your bed
E se deita em sua cama
Reflection stares right into you
As reflexões já estão dentro de você
"Are you happy with yourself?"
"Você está feliz consigo mesma?"
You stripped away masquerade
Você já jogou fora esta máscara
The illusion has been shed
A ilusão se apagou
Are you happy with yourself?
Você está feliz consigo mesma?
Are you happy with yourself?
Você está feliz consigo mesma?
Yes
Sim

*A dieta de South Beach é uma dieta criada nas praias do sul da Flórida, especificamente em Miami, pelo cardiologista Arthur Agatston, que enfatiza o consumo de bons carboidratos e boas gorduras. (Wikipédia)

Vídeo Oficial



Vídeo legendado (áudio original do álbum)

segunda-feira, 16 de outubro de 2017

Nos deixou o sambista Ataulpho Alves Júnior



Ataulpho Alves Júnior faleceu na noite deste domingo, 15 de outubro, vítima de um infarto. Ele morreu em seu apartamento onde morava com a família na Glória, Zona Sul do Rio de Janeiro. O enterro deve ser ocorrido  no Jardim da Saudade em Sulacap, bairro localizado na região do Realengo na Zona Oeste do município do Rio. O cantor havia completado 74 anos no dia 5 de agosto.

Ataulpho Alves Júnior é filho do cantor e compositor Ataulpho Alves (1909-1969). Amadrinhado artisticamente pela cantora Elizeth Cardoso (1920-1990) ele começou sua carreira em 1963 no Teatro Record em São Paulo e trabalhou com o pai até a morte deste, em 1969. Porém seu sucesso só aconteceu na década de 1970, com o sucesso "Os Meninos da Mangueira" da autoria de Rildo Hora e Sérgio Cabral Pai lançado tanto em compacto quanto no LP "Ataulpho Alves Júnior" (RCA Victor, hoje Sony Music, 1976). No ano seguinte, gravou "Feira Livre", também da dupla Sérgio Cabral Pai e Rildo Hora para a trilha sonora da novela "Dona Xepa" (Rede Globo, 1977). A partir dos anos 1980, Ataulpho Jr. foi sobrevivendo em discos e shows em tributo ao pai.
Eu não cheguei a conhecê-lo pessoalmente, mas ele e a esposa, a Maria Luiza (Malu) foram meus amigos de redes sociais. À noite, quando finalmente consegui acessar à internet, a princípio, eu não acreditei quando eu vi na primeira página de notícias o que aconteceu com Ataulpho Jr. até que fui para o site de buscas para confirmar. À Malu e à família, que Deus lhes dê conforto. Ataulpho Jr, fique com Deus.


Diário de Pernambuco:
http://www.diariodepernambuco.com.br/app/noticia/viver/2017/10/16/internas_viver,726818/morre-o-sambista-ataulpho-alves-junior-aos-74-anos.shtml

Blog do Mauro Ferreira (G1)
http://g1.globo.com/musica/blog/mauro-ferreira/post/sai-de-cena-athaulfo-alves-junior-o-cantor-dos-meninos-da-mangueira.html

G1
https://g1.globo.com/rio-de-janeiro/musica/noticia/morre-no-rio-cantor-ataulpho-alves-junior.ghtml


Ataulpho Jr. em tribiuto ao pai cantando "Meus Tempos de Criança" em 1976



Ataulpho Jr. cantando "Vida da Minha Vida" (escrita pelo pai, Ataulpho Alves) no programa Sr. Brasil da TV Cultura em 2015



Ataulpho Jr. - "Os Meninos da Mangueira" (de Rildo Hora e Sérgio Cabral Pai) - 1976





quinta-feira, 12 de outubro de 2017

Matilda (filme de 1996) #DiaDasCrianças


"Matilda" ("Matilda", TriStar Pictures, 1996) é um dos filmes infantis que eu mais amo ver. E um dos clássicos da Sessão da Tarde da TV Globo.
O filme que recentemente virou peça musical, é baseado no livro de 1988 escrito pelo britânico Roald Dahl (1916-1990), o mesmo de "Charlie e a Fábrica de Chocolate" (1964) que inspirou os filmes "Willy Wonka and the Chocolate Factory" (Warner Bros., 1971) e "Charlie and the Chocolate Factory" (Warner Bros., 2005), ambos intituladas no Brasil como "A Fantástica Fábrica de Chocolate". Estrelado por Danny deVito (que também trabalha como diretor e narrador), Rhea Perlman, Pam Ferris (que fez o papel da tia Marge em "Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban") e a menina Mara Wilson como protagonista, "Matilda" até hoje encanta gerações.



Matilda Wormwood (Mara Wilson) é uma criança brilhante e fã de literatura com apenas 6 anos. Ela é filha de pais ignorantes, Harry (Danny DeVito), vendedor de carros de péssima qualidade a preços absurdos, e Zinnia (Rhea Perlman), a dona de casa que só vive na mordomia. A garotinha descobre que tem poderes mágicos e faz acontecer uma série de coisas inusitadas em casa, especialmente quando seus pais se irritam com ela e seu irmão (Brian Levinson) a provoca. Os pais e o irmão nunca percebem que Matilda é muito inteligente e está a ponto de ir à escola. Matilda vivia da casa para a livraria e da livraria para a casa, até que Harry vende um de seus carros para Agatha Trunchbull (Pam Ferris), uma diretora linha-dura que controla a escola onde posteriormente Matilda é matriculada pelo pai. Em meio a tanta ditadura de Agatha no colégio, Matilda encontra conforto na amável e dedicada professora Honey (Embeth Davidtz) que tenta ajudá-la o máximo possível.


Leia também no site M de Mulher: Por onde andam os atores de "Matilda"
https://mdemulher.abril.com.br/famosos-e-tv/por-onde-andam-os-atores-de-matilda-o-filme-queridinho-dos-anos-90/

Leia também uma matéria da BBC Brasil muito interessante sobre a atriz Mara Wilson publicada no ano passado,  quando lançou sua autobiografia:
"De estrela mirim a jovem com depressão: atriz conta como sofreu com ditadura da beleza em Hollywood"
http://www.bbc.com/portuguese/geral-37444513?ocid=wsportuguese.ppc.social.facebook.sponsored-post.AEP-Brasil-MenWomen-Matilda.18-34.Ad1.mktg


Trailer 1



Trailer 2

"À Senhora Aparecida" - Padre Zezinho #300Anos



Este ano faz 3 séculos que Nossa Senhora Aparecida foi encontrada pelos pescadores do Rio Paraíba do Sul perto de Guaratinguetá, São Paulo. Em memória disso, foi criado o Ano Mariano, que iniciou-se no dia 12 de outubro de 2016 foi encerrado ontem, 11 de outubro.
Existe uma música do Padre Zezinho que eu só conheci há pouco tempo que se chama "À Senhora Aparecida" gravada originalmente em 1982 para o seu disco "Qualquer Coisa de Novo" (EDP, hoje Paulinas-COMEP, 1982). A música fala desde a aparição da imagem até a inauguração do Santuário.



"À Senhora Aparecida"
escrita e interpretada por Padre Zezinho, scj.
(P) 1982 EPD, Edições Paulinas Discos (hoje Paulinas-COMEP, Comunicação Musical Editora Paulinas)
Venho cantar meu canto, cheio de amor e vida
Venho louvar aquela a quem chamo "Senhora de Aparecida"
Venho louvar Maria, Mãe do Libertador
Venho louvar a Virgem de cor morena, por seu amor
Venho louvar a Virgem de cor morena por seu amor

Quero lembrar os fatos que aconteceram naquele dia
Quando por entre as redes, aquela imagem aparecia
Vendo surgir das águas a tosca imagem de negra cor
Agradeceram todos à Mãe de Cristo por tanto amor

Quero entender o culto que começou desde aquele dia
Muitos não compreendem, dizendo ser uma idolatria
Mas neste simbolismo daquela imagem, de negra cor
Chega-se com Maria ao santuário do Salvador

Torno a lembrar os fatos que agora tocam a tanta gente
Esta senhora humilde, de cor morena, se fez presente
Numa nação, aonde imperava a mancha da escravidão
Nossa Senhora escura nos diz que o Cristo nos quer irmãos

Hoje que eu vejo gente voltar contente de Aparecida
Penso na minha igreja com os pequenos comprometida
Penso nas diferenças que ainda ferem o meu país
Peço que a Mãe do Cristo conduza o povo ao final feliz

Hoje eu me fiz romeiro sem ilusão e sem utopia
Fui visitar a casa que construíram pra Mãe Maria
E, no meu jeito simples de entender esta devoção
Virgem morena eu disse: "Conduz meu povo à libertação"

quarta-feira, 4 de outubro de 2017

Quando digo que eu sou cantora... (parte 2)

Quando eu digo que sou cantora...
(clique na imagem para melhor visualização)


Os 50 anos do filme "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura"



Bodas de ouro, meio século. Este ano faz 50 anos que foi gravado o "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" (Produções Cinematográficas RF Farias Ltda., 1967), o primeiro da trilogia de filmes protagonizados por Roberto Carlos no auge do sucesso. Como eu venho dizendo, foi com este filme que me tornei fã do Rei e que eu vi pela Rede CNT na noite do dia 4 de outubro de 1995 (SIM, hoje é 4 de outubro, rs rs!), quando eu tinha 13 aninhos, contrariando o status quo de que adolescente só deveria curtir o que é do seu tempo e só consegui comprar com a mesada o CD relançado da trilha sonora em 1998, aos 16 anos. Ao saber do relançamento dos filmes do Roberto Carlos em DVD em 2001, comprei o aparelhinho só pelos filmes. Loucura, mesmo. 😁


Capa do DVD


"A primeira superprodução estrelada por Roberto Carlos seguiu o mesmo estilo de 'Help!' (United Artists, 1965) grande sucesso dos Beatles. Nele, os truques cinematográficos da época não foram poucos e nem as namoradinhas, que ao todo eram sete. Neste filme de ação, Roberto Carlos entrou mesmo em ritmo de aventura, em que teve que brigar com muita gente_os bandidões"
Livro "Roberto Carlos Por Ele Mesmo", de Lázaro Martins (Martin Claret, 1994)



Sinopse

Roberto Carlos faz um filme, quando se vê perseguido por bandidos internacionais que queriam levá-lo para os Estados Unidos. Os bandidos o seguem em loucas correrias pela cidade, na estrada do Corcovado, em situações de perigo. (Adoro Cinema)
Além de Roberto Carlos, o filme foi estrelado por José Lewgoy (1920-2003) no papel do bandido francês Pierre, Reginaldo Farias, irmão de Roberto Farias, no papel do diretor cinematográfico, e a sumida Rose Passini, que fez a vilã Brigitte.

Sobre o filme



"O filme foi feito em cores em 1967, meia-sete.", disse Roberto Farias, o diretor da trilogia dos filmes do Rei no extra do DVD do primeiro dos três longas, "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura", corrigindo o erro dos que confundem o ano de produção, 1967, com a data do lançamento, que foi no começo do ano seguinte, 1968. Na época, Roberto Carlos, o astro do movimento Jovem Guarda, já era o artista mais prestigiado pela juventude e ninguém, nem mesmo o próprio cantor, sabia como seria a reação dos fãs com o filme. Foi pensando nisso que, segundo o diretor, o roteiro, feito por ele e Paulo Mendes Campos (1922-1991) foi elaborado para que não houvesse fatos que desagradassem ou frustrassem o público, ou seja, evitando que o mocinho, no caso o Roberto, amasse alguém, beijasse alguém e fosse sofrido fisicamente, diferentemente do rei do rock americano Elvis Presley (1935-1977) quando este estreou em vários filmes.
"Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" foi gravado em São Paulo, Copacabana (Rio de Janeiro) e Nova Iorque (Estados Unidos).
Em tempos em que não existiam os recursos tecnológicos para os efeitos especiais em filmes no Brasil, "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" foi um trabalho perigosamente ousado. O Rei não gostava de ser substituído por dublês, então as cenas mais arriscadas foram feitas por ele mesmo, como correr sobre a muralha do Cristo Redentor onde havia o precipício e passar com o helicóptero no túnel naquela famosa cena do passeio aéreo que mostra o Rio de Janeiro de antigamente ao som de "Namoradinha de Um Amigo Meu" (de Roberto Carlos, 1966) e "Canzone Per Te" (de Sergio Endrigo e Sergio Bardotti, 1967), a canção que Roberto defendeu e venceu no Festival San Remo na Itália em 1968. A Detran do Rio de Janeiro isolou a rua para que realizassem a cena do helicóptero passando pelo túnel que foi gravada duas vezes (clique aqui para ver a cena). As apresentações empolgantes de Roberto Carlos com a sua banda RC-5 diante dos pôsteres das cenas do filme foram gravadas no Teatro Record em São Paulo diante das fãs convidadas para o show. Só para o telespectador se sentir lá. 😍


Roberto Carlos correndo sobre a muralha do Cristo Redentor, no Rio de Janeiro. Qualquer passo errado era um acidente fatal!


Um passeio com o Rei no helicóptero sobre Copacabana, Rio de Janeiro

Passando com helicóptero por baixo do túnel. Por pouco a hélice não encostou na parede.

Roberto Carlos no Cabo Kennedy, nos Estados Unidos, na cena do lançamento do foguete espacial.


O show do "brasa" Roberto Carlos!


Trilha sonora




A trilha sonora de "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" teve o mesmo sucesso que o filme com canções de destaque como "Eu Sou Terrível" (de Roberto Carlos e Erasmo Carlos), a clássica "Como É Grande O Meu Amor Por Você",  "Quando" e "Por Isso Corro Demais", as últimas três escritas por Roberto.
O LP foi lançado em novembro de 1967 e gravado entre 16 e 18 de agosto, com exceção da faixa "Eu Sou Terrível", gravada em outubro, quando finalmente a briga de um ano entre Roberto e Erasmo Carlos, os autores da canção, esfriou. A última faixa, "Só Vou Gostar de Quem Gosta de Mim" (de Rossini Pinto), foi gravada nas sessões do disco do ano anterior e lançada em compacto simples em março de 67.
O disco teve a participação de inúmeros músicos de estúdio, incluindo naipe de metais, quarteto de cordas, flauta, gaita, além da base ter sido feita por alguns membros de Renato e seus Blue Caps e alguns músicos do RC-5 e da banda de Lafayette. O tecladista Lafayette teve contribuição decisiva e brilhante em quase todas as faixas, substituindo eventualmente o órgão hammond por piano e cravo.
O LP foi eleito em uma lista da versão brasileira da revista Rolling Stone como o 24º melhor disco brasileiro de todos os tempos.


Contracapa do LP

"Roberto Carlos em Ritmo de Aventura"
Roberto Carlos
(P) 1967 Discos CBS, Columbia Broadcasting System / Companhia Brasileira de Som (hoje Sony Music Entertainment Brasil)
Ouça o álbum pelo Spotify (para a versão gratuita, recomendado pelo computador ou notebook): https://open.spotify.com/album/3KeKUu9wPs4UblQt710AVl
Ou pelo YouTube: https://www.youtube.com/watch?v=cyDbJ5o8yLg

1- Eu Sou Terrível
Escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos

2- Como É Grande O Meu Amor Por Você
Escrita por Roberto Carlos

3- Por Isso Corro Demais
Escrita por Roberto Carlos

4- Você Deixou Alguém A Esperar
Escrita por Edson Ribeiro

5- De Que Vale Tudo Isso
Escrita por Roberto Carlos

6- Folhas De Outuno
Escrita por Francisco Lara  e Jovenil Santos

7- Quando
Escrita por Roberto Carlos

8- É Tempo De Amar
Escrita por José Ari e Pedro Camargo

9- Você Não Serve Pra Mim
Escrita por Renato Barros

10- É Por Isso Que Estou Aqui
Escrita por Roberto Carlos

11- O Sósia
Escrita por Getúlio Côrtes

12- Só Vou Gostar De Quem Gosta De Mim
Escrita por Rossini Pinto


Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil