Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

segunda-feira, 28 de agosto de 2017

Os 20 anos das bonecas das Spice Girls



Eu li no site do Folha de São Paulo: em julho deste ano, a ex-Spice Girl e atual estilista Victoria Beckham postou em seu Instagram a foto de sua filha caçula Harper Beckham de 6 anos brincando com as bonecas das Spice Girls. "Quando você descobre que a mamãe era uma estrela pop", escreveu a eterna Posh Spice.

E é com esse momento fofura que relembraremos das réplicas do quinteto britânico para meninas. As Spice Girls realmente lançaram muitos  produtos, inclusive desodorantes Impulse, pirulitos da Chupa Chups e, é claro, bonecas no auge do sucesso. Essas bonecas foram lançadas no natal de 1997 e, segundo o site do Folha, foram vendidas mais de 10 milhões de unidades para o mundo inteiro. No Brasil, as bonecas das Spice Girls foram distribuídas pela Guliver. Eu não tenho nenhuma dessas bonecas, mas me lembro de quando eu aluguei a fita do filme "O Mundo das Spice Girls", antes de começar o filme, havia o comercial brasileiro dessas bonecas. Era este vídeo aí.



Fonte: Folha de São Paulo
http://f5.folha.uol.com.br/fofices/2017/07/victoria-beckham-mostra-filha-brincando-com-bonecas-das-spice-girls-quando-voce-descobre-que-a-mamae-era-uma-estrela-pop.shtml

VEJA TAMBÉM: Os 20 anos do filme "O Mundo das Spice Girls"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2017/06/os-20-anos-do-filme-spice-world-o-mundo.html


sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Trilha sonora da novela "Tieta"



O Canal Viva está reprisando desde maio uma das novelas de maior sucesso da TV Globo, "Tieta" (Rede Globo, 1989) de Aguinaldo Silva, Ana Maria Moretzsohn e Ricardo Linhares, baseada no romance "Tieta do Agreste" de Jorge Amado (1912-2001). Na verdade, foi a atriz Betty Faria que, segundo ela, negociou a compra dos direitos para adaptar o livro diretamente com Jorge Amado. A entrada da atriz, que fez o papel da protagonista Tieta na segunda fase, só aconteceu no capítulo 18, já que ela estava trabalhando na novela antecessora das oito horas, "O Salvador da Pátria". "Tieta" divertiu o país com seus bordões e personagens fortes e irreverentes, como a vilã Perpétua, vivida por Joana Fomm, a beata que não tinha aquela santidade toda.

#TietaNoViva


As irmãs Tieta (Betty Faria) renovada e bem-sucedida e Perpétua (Joana Fomm), a carola cheia de inveja e soberba, dentre outros pecados capitais.

Cuidado que o guarda- chuva da Perpétua te acha!


Mas vamos falar da parte musical. O LP do volume 1 da trilha sonora vendeu feito água na época. Se eu não estou errada, foi o segundo álbum da trilha sonora de novela a ser lançado em CD na história, já que a primeira foi "O Salvador da Pátria Internacional". Eu lembro que um conhecido nosso já tinha o CD da "Tieta" e eu, na época aos 7 anos, tava curiosa para saber o que seria aquele disquinho bonitinho e prateado, menor que o compacto simples que tinha um som "limpinho" e de qualidade bem à frente daquele tempo. Não deixaram eu ver, afinal, na mão de criança, já viu, né?


Capa ousada da trilha sonora de "Tieta": de deixar qualquer Cinira arrepiada.


O disco abre com "Meia Lua Inteira" cantada pelo Caetano Veloso e da autoria do desconhecido Carlinhos Brown. E segue com "Tudo o Que Se Quer" cantada em dueto por Emílio Santiago (1946-2013) e Verônica Sabino, cantora e filha do escritor Fernando Sabino (1923-2004). Na verdade a música é uma versão de "All I Ask Of You" do musical "O Fantasma da Ópera" do renomado maestro inglês Andrew Lloyd Webber. Chitãozinho e Xororó resgata um dos clássicos do sertanejo, "No Rancho Fundo", que está no primeiro álbum da dupla em sua então nova gravadora, a PolyGram/Universal Music. O "síndico" Tim Maia (1942-1998) marca presença com a balada "Paixão Antiga" dos irmãos Marcos e Paulo Sérgio Valle. O paraibano Pinto do Acordeon, que fazia parte das apresentações com a trupe de Luiz Gonzaga (1912-1989) e com seu timbre vocal que lembra o eterno "Rei do Baião", aqui na trilha sonora da novela canta um de seus sucessos de sua autoria, "Paixão de Beata (Nénem Mulher)" que foi o tema da beata Cinira, personagem de Rosane Gofman, que se sacudia cada vez que (ou)via alguma saliência. Já na penúltima música do lado A, na fase pré-lambada, Luiz Caldas canta o tema de abertura, "Tieta" _ para quem leu a biografia do Padre Fábio de Melo escrita pelo jornalista Rodrigo Alvarez, dentre outras travessuras no seminário de Rio Negrinho (SC), Fábio e seu colega fizeram outros seminaristas acordarem ao som dessa música! Por falar em abertura, a foto da capa do LP é uma amostra dela: Isadora Ribeiro, na época quando era apenas modelo, se enrosca nua em um tronco de um dos coqueiros e, no fundo, cenário de Mangue Seco, na Bahia (sem falar que, logo depois da novela, Mangue Seco foi um dos locais mais visitados pelos turistas). Na contracapa, o nome da novela escrito na areia da praia que era o logo da trama. Esse logo foi feito em estúdio, em um tanque iluminado artificialmente para simular a claridade provocada pela luz do sol. Outros sucessos principais são o instrumental sombrio "Segredos da Noite", também conhecido como o tema da misteriosa "mulher de branco" que saía à noite para atacar os homens da cidade fictícia de Santana do Agreste, "Coração do Agreste" com Fafá de Belém, "Eu e Você" com José Augusto e grupo Roupa Nova no coro e na base instrumental e Maria Bethânia "djavaneando" com "Tenha Calma". O disco encerra com o tema instrumental da personagem Imaculada, vivida por Luciana Braga, como um aviso de que algo curioso estava por vir.
E veio. No segundo volume da trilha nacional de "Tieta", o disco se inicia com a mesma música, só que na versão com letra de Aldir Blanc e cantada lindamente por Elba Ramalho. Em seguida, Simone canta "Uma Nova Mulher" cuja letra narra na primeira pessoa a fase renovadíssima da personagem Tonha, vivida pela Yoná Magalhães (1935-2015). Os destaques para esta segunda sequência da trilha nacional são "Dancei" com Martinho da Vila, a releitura de "Alguém Me Disse" da Gal Costa, "A Lua e O Mar" que marcou a reunião dos dois dos "novos baianos" Moraes Moreira e Pepeu Gomes, o clássico sertanejo "Luar do Sertão" regravado pela Roberta Miranda em sua primeira aparição em trilha sonora de novela, "Indo e Vindo (One for the Road)" do Paulo Ricardo em seu primeiro trabalho solo e "Doida Pra Te Amar" do Nando Cordel e Amelinha.
Por ocasião da reprise no Vale a Pena Ver de Novo em 1994, foi lançado o CD da trilha sonora especial de "Tieta" reunindo as melhores músicas dos dois volumes lançados originalmente em 1989. Para a capa desta edição foi usada a mesma do volume 2, com a Betty Faria. Em Portugal, com a exibição da novela em 1990, o LP da trilha tinha as mesmas características e foi lançada pela gravadora CBS Portugal/Sony Music (clique aqui)

Capa do LP "Tieta" em Portugal (foto: Brinca Brincando)

Os créditos foram tirados das fotos mais nítidas das capas e etiquetas dos LP's à venda no Mercado Livre e do site Forró em Vinil  (para os créditos ao Pinto do Acordeon e ao grupo 3 do Nordeste)


Tieta - Trilha sonora original da novela
Vários Artistas
(P) 1989 Som Livre



01. MEIA LUA INTEIRA (tema de locação)
Escrita por Carlinhos Brown
Interpretada por Caetano Veloso
(P) 1989 Discos Philips / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

02. TUDO O QUE SE QUER (ALL I ASK OF YOU) (tema de Ascânio e Leonora)
Música de Andrew Lloyd Webber
Letra original de Charles Hart e Richard Stilgoe
Adaptação para o português de Nelson Motta
Interpretada por Emílio Santiago e Verônica Sabino

03. NO RANCHO FUNDO (tema de Osnar)
Escrita por Lamartine Babo e Ary Barroso
Interpretada por Chitãozinho & Xororó
(P) 1989 Discos Philips / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

04. PAIXÃO ANTIGA (tema de Helena)
Escrita por Marcos Valle e Paulo Sérgio Valle
Interpretada por Tim Maia
(P) 1988 BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

05. PAIXÃO DE BEATA (NENÉM MULHER) (tema de Amorzinho e Cinira)
Escrita e interpretada por Pinto do Acordeon
(P) 1989 Polydor Discos / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

06. TIETA (tema de abertura)
Escrita por Boni e Paulo Debétio
Interpretada por Luiz Caldas
(P) 1989 Polydor Discos / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

07. SEGREDOS DA NOITE (Instrumental) (tema da "mulher de branco")
Escrita por Julinho Teixeira e Paulo Debétio

08. CORAÇÃO DO AGRESTE (tema de Tieta)
Escrita por Moacyr Luz e Aldir Blanc
Interpretada por Fafá de Belém
(P) 1989 RCA Victor / BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

09. EU E VOCÊ (tema de Elisa)
Escrita por Renato Barros e Vadinho
Interpretada por José Augusto
(P) 1988 RCA Victor / BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

10. CADÊ O MEU AMOR – (tema de Carmosina)
Escrita por Marcelo Melo e Toinho Alves
Interpretada por Quinteto Violado
(P) 1989 Discos Philips / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

11. AMOR ESCONDIDO (tema de Carol)
Escrita por Raimundo Fagner e Abel Silva
Interpretada por Fagner
(P) 1989 RCA Victor / BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

12. POR VOCÊ, COM VOCÊ 
Escrita e interpretada por Guilherme Arantes
(P) 1989 Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

13. TENHA CALMA (tema de Tieta e Ricardo)
Escrita por Djavan
Interpretada por Maria Bethânia
(P) 1989 Discos Philips / PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

14. IMACULADA (Instrumental) (tema de Imaculada)
Escrita por Ary Sperling


Tieta 2 - Trilha sonora original da novela
Vários Artistas
(P) 1989 Som Livre



01. IMACULADA (tema de Imaculada)
Música de Ary Sperling
Letra de Aldir Blanc
Interpretada por Elba Ramalho, gentilmente cedida pela PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

02. UMA NOVA MULHER (tema de Tonha)
Escrita por Paulo Debétio e Paulinho Resende
Interpretada por Simone
(P) 1989 Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

03. DANCEI (tema de Modesto Pires)
Escrita por Argemiro
Interpretada por Martinho da Vila
(P) 1989 Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

04. ALGUÉM ME DISSE (tema de Elisa)
Escrita por Evaldo Gouveia e Jair Amorim
Interpretada por  Gal Costa, gentilmente cedida pela BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil

05. A LUA E O MAR (tema de locação)
Escrita por Moraes Moreira, Pepeu Gomes e Fausto Nilo
Interpretada por Moraes Moreira e Pepeu Gomes
(P) 1989 WEA Discos (hoje Warner Music Brasil)

06. ÁGUA NA BOCA (tema de Artur da Tapitanga)
Escrita por Marcos Wagner
Interpretada por 3 do Nordeste
(P) 1989 PolyDisc / COMDIL, Comercial de Discos e Tapes do Recife (PE) Ltda.

07. URBANA (Instrumental) (tema de Arturzinho)
Escrita e executada por  Ary Sperling

08. LUAR DO SERTÃO (tema de Laura)
Escrita por Catulo da Paixão Cearense
Interpretada por  Roberta Miranda, gentilmente cedida pelas Gravações Elétricas S.A. / Discos Continental (hoje Warner Music Brasil - Divisão Continental)

09. INDO E VINDO (ONE FOR THE ROAD) (tema de Rosalvo)
Escrita e interpretada por  Paulo Ricardo
(P) 1989 Epic Records /  Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

10. VEM MORENA (tema de Carol)
Escrita por Danilo Caymmi e Paulo Cesar Pinheiro
Interpretada por Nana Caymmi

11. DOIDA PRA TE AMAR (tema de Carmosina)
Escrita por Nando Cordel
Interpretada por Nando Cordel - participação especial de Amelinha [gentilmente cedida pelas Gravações Elétricas S.A. (hoje Warner Music Brasil - Divisão Continental)]
(P) 1989 BMG Ariola Discos (hoje Sony Music Entertainment Brasil

12. SINCERIDADE (SINCERIDAD) (tema de Silvana)
Escrita por Rafael Gaston Perez
Adaptação para o português de João Bosco
Interpretada por João Bosco
(P) 1989 Discos CBS (hoje Sony Music Entertainment Brasil)

13. TOUCAN’S DANCE (instrumental)
Escrita por Dori Caymmi
Executada por Sérgio Mendes
(P) 1989 A&M Records /  PolyGram do Brasil Ltda. (hoje Universal Music Brasil)

14. Pot-pourri instrumental:
a) O COMANDANTE (STAR SPANGLED BANNER) (tema de Dário)
Escrita por John Philip Sousa
Arranjo e adaptação de J. Catarina
b) O BÊBADO (tema de Bafo-de-Bode)
Escrita por J. Catarina
Executada por Banda de Santana do Agreste

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

Myrian Rios volta à TV depois de 16 anos.


"É preciso força para enxugar as lágrimas e recomeçar. Ter fé no impossível e confiar. A dor vai persistir, a diferença está em tentar mais uma vez, e desta vez mais sábia, mais experiente, mais madura, enfim… É hora de recomeçar". Foi com essa mensagem que Myrian Rios postou em sua página oficial no Facebook ao expressar sua tamanha alegria por voltar às telinhas depois de 16 anos. Seu último trabalho foi na novela "O Clone" (rede Globo, 2001) no papel de Anita, assistente do cientista Augusto Albieri (Juca de Oliveira).
Sim, ela vai voltar! E estará na próxima novela infantil do SBT, "As Aventuras de Poliana". A novela é uma história inédita na teledramaturgia que Íris Abravanel escreverá com inspirações no clássico da literatura infanto-junivel "Pollyanna" (aquela do "jogo do contente"), da romancista americana Eleanor H. Porter (1868-1920).

terça-feira, 22 de agosto de 2017

52 anos de Jovem Guarda


Roberto Carlos, Wanderléa e Erasmo Carlos: jovens tardes de domingo.

Hoje eu vou falar de um gênero musical do qual eu gosto muito e foi através da descoberta da existência desse movimento que eu aprendi a gostar de Roberto Carlos, isso em 1995: a Jovem Guarda. Hoje o movimento faz 52 aninhos!
Dia 22 de agosto de 1965, às 16:30h, foi ao ar pela TV Record em São Paulo o programa "Jovem Guarda" apresentado pelo trio Roberto Carlos (o rei e "o brasa"), Erasmo Carlos (o "Tremendão") e a Wanderléa, (a "Ternurinha").
O programa "Jovem Guarda" foi uma criação da agência de propaganda Magaldi, Maia e Prosperi para a grade de programação da TV Record. A demanda veio com a proibição das transmissões ao vivo das partidas de futebol nas tardes de domingo. A princípio, surgiu a ideia de contratar Roberto Carlos e Celly Campello (1942-2003) para apresentarem o programa, mas Celly, casada, recusou-se a voltar à carreira artística. Chamaram então Erasmo Carlos, cantor da música "Festa de Arromba" (de Roberto e Erasmo Carlos, 1965) e Wanderléa para fazerem companhia ao Roberto. "Festa de Arromba" seria o nome do programa inspirado na música do Erasmo, mas o trio alertou que o sucesso da canção iria passar e o título perderia a força. Daí os idealizadores do programa lhe batizaram com o nome "Jovem Guarda" baseado em uma frase do revolucionário russo Vladimir Lenin (1870-1924) na qual dizia "O futuro pertence à jovem guarda porque a velha está ultrapassada".
O programa foi gravado no Teatro Record, na Rua da Consolação em São Paulo. Centenas de jovens que não passavam dos 20 anos lotavam o auditório e foram ao delírio com o trio Roberto-Erasmo-Wanderléa, além de artistas convidados. Em menos de três meses, só em São Paulo a audiência do programa era de três mil espectadores! Roberto Carlos na época já era o fenômeno. Frases como "ei, ei, ei! Roberto é o nosso rei!" ou "asa, asa, asa, Roberto é uma brasa" são entoadas aos gritos pelos fãs.
😍😍😍


Muito além da televisão, um movimento!

Erasmo Carlos, Martinha, Wanderlei Cardoso, Wanderléa, Eduardo Araújo e Roberto Carlos: a turma de arromba.


A Jovem Guarda foi o primeiro maior movimento juvenil do Brasil. Suas principais influências eram o rock and roll do final da década de 1950 e início dos 1960 e o soul da Motown. Grande parte de suas letras tinham temáticas amorosas, adolescentes e açucaradas - algumas das quais, versões de hits do rock britânico e norte-americanos da época. Sem falar também na inspiração nos Beatles, a febre internacional. Inclusive Roberto e Erasmo se apresentavam com terninhos sem gola como o fab-four britânico. Os mais intelectuais até hoje torcem o nariz e acusam diversas vezes a Jovem Guarda de se manter afastada das discussões políticas que sacudiam o Brasil durante os primeiros anos da Ditadura Militar e de desviar a juventude dessa situação. Era considerada música alienada pelo público engajado e setores da crítica mais afeitos primeiramente à bossa nova e, depois, às canções de protesto dos festivais da emergente MPB.
Querelas à parte, a Jovem Guarda impulsionou o lançamento de discos, roupas e diversos acessórios. Todo um comportamento jovem daquele período foi formatado a partir do programa e seus apresentadores. O modo de se vestir (calças colantes de duas cores em formato boca-de-sino, cintos e botinhas coloridas, minissaia com botas de cano alto) bem como as gírias e expressões ("broto", "carango", "legal", "coroa", "barra limpa", "lelé da cuca", "mancada", "pão", "papo firme", "maninha", "pinta", "pra frente", e a clássica "é uma brasa, mora?") viraram referência para muitos adolescentes do período. Roberto Carlos, Erasmo Carlos e Wanderléa também lançavam seus bonequinhos. Com o mega sucesso e apelido de "rei da juventude", Roberto grava seu primeiro filme, "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" dirigido por Roberto Farias.
Além de Roberto, Erasmo e Wanderléa, destacaram-se no movimento artistas como Ronnie Von, Eduardo Araújo e Sylvinha Araújo (1951-2008), Wanderley Cardoso, Jerry Adriani (1947-2017), Martinha, Vanusa, Leno e Lílian, os grupos Golden Boys, Renato e Seus Blue Caps,  Os Incríveis, Os Vips, The Fevers... eram tantos!

O fim

Dia 17 de janeiro de 1968 foi o último programa com Roberto Carlos. Este havia acabado de ganhar o Festival San Remo 1968 defendendo a música "Canzone Per Te" de Sergio Endrigo (1933-2005).  "Jovem Guarda" prosseguiu com Erasmo e Wanderléa, mas não teve o mesmo impacto de quando "o brasa" Roberto Carlos estava com os dois. O programa saiu do ar definitivamente em junho de 1968. 😢

Jovem Guarda para sempre!!

Fonte: Wikipédia


Saudade Não tem Idade

O site oficial do "brasa" Roberto Carlos relembra esses "velhos tempos e belos dias" com curiosidades bem interessantes. Veja!
http://www.robertocarlos.com/novidades/parabens-jovem-guarda/


Ouça esta playlist "brasa" da Jovem Guarda no Spotify idealizada pelo site oficial de Roberto Carlos!
(na versão gratuita, recomendado ouvir pelo computador ou pelo notebook)
https://open.spotify.com/user/robertocarlosoficial/playlist/33wybzbYrAsMtU1LLoybLC

YOUTUBE: Ouça "Os Grandes Sucessos da Jovem Guarda" (volumes 1 e 2), Discos CBS (hoje Sony Music), 1975

Volume 1:
https://www.youtube.com/watch?v=OLl-2Lz5bVw

Volume 2:
https://www.youtube.com/watch?v=4ESkrQSLv4U

"Jovem Guarda" (da coleção "Acervo Especial") - BMG Ariola (hoje Sony Music), 1994
https://www.youtube.com/watch?v=hbhjUsPpn5c



quinta-feira, 17 de agosto de 2017

"Anjo da Guarda" - Tribalistas



"Anjo da Guarda", uma encantadora e moderna canção de ninar conhecida pelo refrão "nana, neném", faz parte do álbum "Tribalistas" do grupo homônimo formado por Carlinhos Brown, Marisa Monte e Arnaldo Antunes. O álbum, lançado em 2002 pela Phonomotor Records (selo criado pela Marisa Monte) e distribuído no Brasil e no exterior pela EMI Music (hoje Universal Music) foi gravado secretamente em treze dias, um para cada canção, na casa de Marisa no Rio. Seu DVD apresenta a gravação das treze faixas do álbum além de diálogos do trio no estúdio, entre uma faixa e outra.





Arnaldo Antunes, Marisa Monte e Carlinhos Brown


"Anjo da Guarda"
Escrita por Antonio Carlos Santos De Freitas, Marisa De Azevedo Monte, Arnaldo Augusto Nora Antunes Filho
Interpretada por Tribalistas (Carlinhos Brown, Marisa Monte e Arnaldo Antunes)
Copyright © EMI Music Publishing, Sony/ATV Music Publishing LLC, Universal Music Publishing Group, BMG Rights Management US, LLC
(P) 2002 Phonomotor Records/ EMI Music Brasil (hoje Universal Music Brasil)

Escureceu, o sol baixou
Anjo da guarda cantarolou
Nana neném
Nana neném
Cacheadinho, anjinho é

De manhã sob o sol
Cada gota de orvalho
A secar, é suor
É suor de trabalho
Nana, neném
Nana, neném
Nana, neném

O estudante, o trabalhador
Sente deixar o cobertor
Pega a marmita
Ronca o motor
Leva a beleza
Que a vida é

De manhã sai da cama
Havaiana no pé
Apostila na mochila
Vira logo o café
Nana, neném
Nana, neném
Nana, neném

quarta-feira, 16 de agosto de 2017

"Pai, Mestre e Amigo" - cantiga para Dom Bosco.

 

Hoje São João Bosco ou Dom Bosco, sdb (1815-1888) faria 202 anos. Italiano, nasceu na cidade de Becchi com o nome de João Melchior Bosco (Giovanni Melchiorre Bosco) no dia 16 de agosto de 1815 e foi aclamado por São João Paulo II (Karol Józef Wojtyła, 1920-2005) como o "Pai e Mestre da Juventude".
João Melchior Bosco foi sacerdote diocesano católico apostólico romano e educador. Desenvolveu a educação infanto-juvenil e o ensino profissional, sendo um dos criadores do sistema preventivo em educação. Dedicou-se também ao desenvolvimento da imprensa católica. 
É o fundador da Pia Sociedade de São Francisco de Sales (1859), conhecida por Salesianos, co-fundador da congregação das Filhas de Maria Auxiliadora, conhecidas por irmãs salesianas e fundador da Associação Internacional dos Cooperadores Salesianos. Foi canonizado em 1º de abril de 1934 pelo Papa Pio XI (1857-1939), sendo o padroeiro dos jovens e dos aprendizes. Seu dia é celebrado em 31 de janeiro, no dia de sua morte aos 72 anos. (fonte: Wikipédia)


Assim dizia Dom Bosco: "uma casa salesiana sem música é como um corpo sem alma". Então vamos direto à música! Uma das canções que eu canto com o grupo nas missas é "Pai Mestre e Amigo" que é a versão em português-brasileiro de "Padre, Maestro ed Amigo", cantiga para Dom Bosco feita por Don Angelo Lagorio em italiano que foi traduzida em vários idiomas.

 

"Pai, Mestre e Amigo" ("Padre, Maestro ed Amico")
escrita por Don Angelo Lagorio, sdb 

Pai de muitos jovens, pai, escuta o nosso grito
De vida a se expressar
Volta Dom Bosco sempre jovem
Que o mundo envelhece sem fé, sem coração

Mestre, és nosso pai e amigo
Com os jovens deste mundo
Queremos caminhar
Abre a Cristo a nossa vida
Anima o compromisso de fé com nosso irmão

Festa, contigo sempre é festa, contigo a vida é canto
Que explode no amor
Hoje em nós ainda vive, o amor que dedicaste
Ao jovem sonhador

Mestre, és nosso pai e amigo
Com os jovens deste mundo queremos caminhar
Abre a Cristo, a nossa vida
Anima o compromisso de fé com nosso irmão



"Padre, Maestro ed Amigo" (versão original em italiano)

segunda-feira, 14 de agosto de 2017

75 Anos de Clara Nunes

Homenagem da Portela em sua fanpage oficial no Facebook


Neste sábado que passou (12 de agosto), Clara Nunes, minha cantora preferida, faria 75 anos. Clara, que faleceu no dia 2 de abril de 1983 em decorrência de complicações em uma cirurgia de varizes, foi uma das mais importantes intérpretes da MPB. Embora ela fosse lembrada como cantora de samba, ela "brilhou também em xote, baião, MPB e musicais inesquecíveis" (Jornal O Globo).
Assim que meus pais conseguiram finalmente comprar o primeiro aparelho de som 3 em 1, isso em 1983, 84, por aí (na época eu ainda era bebê), o primeiro LP que eles compraram foi "Clara Nunes - Sucessos de Ouro" (EMI Music, hoje Universal Music, 1979) que era uma compilação de seus grandes sucessos. Era impressionante uma cantora com uma voz tão angelical interpretar sambas. Mais surpreendente ainda é saber que, em época que samba e mulher cantando o gênero não eram comercialmente viáveis, o álbum "Claridade" de 1975 (aquele de "O Mar Serenou") vendeu 600 mil de cópias.


💖💖💖
Houve poucas homenagens à Clara, mas só de a mídia (re)lembrá-la valeu a pena. O Vídeo Show desta sexta-feira (11 de agosto) fez uma breve homenagem à cantora. Veja no link abaixo:
http://gshow.globo.com/programas/video-show/noticia/clara-nunes-ganha-homenagem-do-video-show.ghtml

Veja também a reportagem do Jornal O Globo:
http://acervo.oglobo.globo.com/em-destaque/clara-nunes-brilhou-em-sambas-xotes-baioes-mpb-musicais-inesqueciveis-21670658

Homenagem do programa "Ponto do Samba" apresentado por Rubem Confete na Rádio Nacional AM do Rio de Janeiro (ao entrar no site, clique no player para ouvir o especial na íntegra)
http://radios.ebc.com.br/ponto-do-samba/2017/08/ponto-do-samba-estreia-em-novo-horario-homenageando-clara-nunes

sexta-feira, 11 de agosto de 2017

Nova Trento (SC) - 125 Anos (8 de agosto)

Santuário da Santa Paulina


Homenagem do Santuário Santa Paulina publicada em sua fanpage oficial no Facebook.

Eu ia postar no dia, mas, devido à semana agitada cheia de serviços domésticos e ensaios para a missa deste fim de semana, só pude agora (11 de agosto). Em 8 de agosto, terça-feira, Nova Trento completou 125 anos de sua emancipação.
Cidade de Nova Trento, Santa Catarina. Outra cidade catarinense onde adoro passear por causa do Santuário Santa Paulina, embora não é sempre que eu vá pra lá. Daqui de Itajaí até Nova Trento são 60 quilômetros, por aí. Uma cidade pequena e modesta cheia de italianidade e religiosidade cuja padroeira é Madre Paulina, ou Amabile Lucia Visintainer (1865 - 1942) como é o seu nome de batismo. Italiana radicada no Brasil, Amabile nasceu em Vigolo Vattaro no dia 16 de dezembro de 1865, migrou-se com a família para Nova Trento, Santa Catarina, se dedicou de corpo e alma a uma vida religiosa e faleceu em São Paulo no dia 9 de julho de 1942. Santa Paulina foi beatificada no dia 18 de outubro de 1991 pelo então Papa João Paulo II (Karol Józef Wojtyła, 1920-2005) por ocasião de sua segunda visita ao Brasil.
A rua Madre Paulina, bairro Vígolo, é um ponto turístico. Adoro também seus restaurantes simples, as lojas de santinhos e artigos católicos, víncolas, produtos coloniais e a livraria principal da religião cristã que fica próxima ao Santuário.
O Santuário Santa Paulina foi construído em 926 dias, sem nenhum acidente, sendo dedicado à Santa Paulina, no dia 22 de janeiro de 2006.

#ParabénsNovaTrento

Eu diante da capela de Nossa Senhora de Lourdes e livraria do Santuário Santa Paulina, na Rua Madre Paulina em Nova Trento.

quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Depois de anos, Myrian Rios revisita os Estúdios Globo


Longe das novelas desde "O Clone" em 2001, Myrian Rios revisitou os Estúdios Globo para a matéria "Por Onde Anda?" no Vídeo Show exibida nesta quarta-feira (2 de agosto). Na companhia com a repórter Marcela Monteiro, a atriz fez a alegria de seus fãs e relembra o concurso de talentos para a TV no programa de Moacyr Franco da TV Globo em 1976 no qual ela venceu, seus tempos de apresentadora do Vídeo Show e fatos bem curiosos, como a primeira vez que se encontrou repentinamente com Roberto Carlos, com quem Myrian se casaria. Atualmente, Myrian Rios faz trabalhos voluntários e é apresentadora do programa radiofônico dominical "Alma Feminina" da rádio católica Catedral FM no qual ela faz suas orações (veja no canal da Myrian Rios Oficial - YouTube) e lançou mais um livro autobiográfico, "Deixa Eu Contar Como Foi".


http://gshow.globo.com/programas/video-show/noticia/myrian-rios-conta-como-conheceu-roberto-carlos-na-ponte-aerea.ghtml

VEJA TAMBÉM: A breve carreira de cantora da Myrian Rios:

http://jotadejeane.blogspot.com.br/2017/04/myrian-rios-cantando-fim-de-semana.html

Mestre Monarco na série "Sob Pressão" da TV Globo


Presidente de honra da Portela e líder da Velha Guarda, Monarco marcou presença na série fazendo papel de um cantor e compositor sambista. O episódio foi ao ar no dia 25 de julho, na estreia.

"Mestre Monarco emocionando e orgulhando no papel de paciente na série Sob Pressão, da Rede Globo. Como diz Tia Surica, ser portelense é uma tranquilidade." - fanpage oficial G.R.E.S. Portela  (Facebook) 💙 👏👏👏




Samba de luto: morreram Guaracy Sete Cordas e Luiz Grande

Na quinta-feira da semana passada, dia 27 de julho, partiram dois grandes nomes do samba: Guaracy Sete Cordas e Luiz Grande.



Guaracy Sete Cordas



Aos 78 anos morreu Guaracy de Castro, o Guaracy Sete Cordas, músico da Velha Guarda Show da Portela. O sambista que estava internado  duas semanas antes no Hospital Quinta D'Or no bairro São Cristóvão, Rio de Janeiro, lutava contra um câncer.
Guaracy Sete Cordas nasceu na comunidade da Boca do Mato, na Zona Norte, logo cedo aprendeu a tocar instrumentos de corda. Iniciou a carreira em programas de rádio e participou de diversos conjuntos regionais. Começou tocando banjo, passou sucessivamente ao cavaquinho, ao violão de 6 cordas e por fim ao violão de 7 cordas, por sugestão do grande Jacob do Bandolim, segundo o livro "A Velha Guarda da Portela", de João Baptista M. Vargens e Carlos Monte.
 O músico tinha amizades com Candeia (1935-1978) e Martinho da Vila (companheiro desde a época da Boca do Mato) e acompanhou nomes como Elza Soares, Bezerra da Silva (1927-2005) e Dona Ivone Lara, entre outros. Entrou para a Velha Guarda Show em 1994, em substituição a Jorge do Violão, a convite de Osmar do Cavaco. Chegou, ainda, a ter canções de sua autoria gravadas por Elza Soares e Núbia Lafayette (1937-2007).
Outro momento importante na carreira foi a gravação do CD "Tudo Azul" (no ano 2000), com a Velha Guarda da Portela, que gerou uma grande turnê nacional e no exterior com a cantora Marisa Monte. Participou também do documentário "O Mistério do Samba", de 2008, dirigido por Lula Buarque de Hollanda e Carolina Jabor, e produzido por Marisa Monte.

(site G.R.E.S. Portela)


Luiz Grande



Um dia após completar 71 anos, Luiz Grande nos deixou, vítima de de complicações decorrentes de um quadro de diabetes, pressão alta e falta de ar.
Integrante do Trio Calafrio desde 2003 com Barbeirinho do Jacarezinho e Marcos Diniz, Luiz Grande era co-autor de sucessos como "Caviar" ("Você sabe o que é caviar? Nunca vi, nem comi, eu só ouço falar") e "Dona Esponja", ambas gravadas por Zeca Pagodinho e "Maria Rita" por João Nogueira (1941-2000).
Filho de empregada doméstica, Luiz Grande nasceu em Copacabana. Foi motorista de táxi e, em seguida, integrou na ala dos compositores do bloco Coração de Meninas, da Saúde (do bairro homônimo do Rio de Janeiro), e mais tarde da Imperatriz Leopoldinense. Seu primeiro samba gravado foi "Meu Recado" em 1976. Seu único CD solo foi lançado em 2005, produzido pelo Candongueiro.

Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil