Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

sexta-feira, 30 de junho de 2017

Meghan Trainor - "Me Too"



Depois de ter feito sucesso com a politicamente correta "All About That Bass" (de Meghan Trainor e Kevin Kadish, 2014), Meghan Trainor volta com a a empolgante "Me Too" do seu álbum "Thank You", o segundo da cantora em um grande selo, Epic Records, da Sony Music.
A música e o vídeo são do ano passado, 2016, mas eu só a ouvi pela primeira vez este mês (junho) durante a ida de carro à Florianópolis com a minha mãe e meu irmão. E me parece que vai ser mais popular graças à novela das sete "Pega-Pega" que estreou no mesmo mês, já que a música faz parte da sua trilha sonora.
O vídeo foi publicado em 9 de maio do ano passado pela VEVO, mas foi removido no mesmo dia por insatisfação da cantora americana devido à manipulação digital em seu corpo, deixando a sua cintura mais fina do que o normal. "Eu não aprovei o vídeo e mesmo assim se espalhou pelo mundo, e aí eu me senti envergonhada", disse. Um outro vídeo sem esses retoques por Photoshop foi publicado no dia seguinte.
Seguem a letra e o vídeo!


"Me Too"
Escrita por Meghan Elizabeth Trainor, Jason Joel Desrouleaux, Eric Frederic, Jacob Kasher Hindlin e Peter Anders Svensson
Copyright © Sony/ATV Music Publishing LLC, Universal Music Publishing Group, Downtown Music Publishing
(P) 2016 Epic Rcords / Sony Music Entertainment Group

Who's that sexy thang I see over there?
Quem é aquela coisinha sexy que eu estou vendo aí?
That's me, standin' in the mirror
Sou eu, diante do espelho
What's that icy thang hangin' 'round my neck?
O que é esse troço frio ao redor do meu pescoço?
That's gold, show me some respect (oh ah)
É ouro, me mostre um pouco de respeito

I thank God every day (uh huh)
Eu agradeço a Deus todos os dias
That I woke up feelin' this way (uh huh)
Por eu ter me acordado me sentindo assim
And I can't help lovin' myself
E eu não consigo evitar de me amar
And I don't need nobody else, nuh uh
E eu não preciso de mais ninguém, não, não!

If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu

I walk in like a dime piece
Eu entro como se eu fosse uma garota fatal
I go straight to VIP
Eu vou direto para a área VIP
I never pay for my drinks
Eu nunca pago as minhas bebidas
My entourage behind me
Com a minha equipe do meu lado
My life's a movie, Tom Cruise
Minha vida é como um filme do Tom Cruise
So bless me, baby, achoo!
Então, saúde, querido, atchim!
And even if they tried to
E mesmo que tentem
They can't do it like I do
Não conseguirão chegar onde eu cheguei

I thank God every day (uh huh)
Eu agradeço a Deus todos os dias
That I woke up feelin' this way (uh huh)
Por eu ter me acordado me sentindo assim
And I can't help lovin' myself
E eu não consigo evitar de me amar
And I don't need nobody else, nuh uh
E eu não preciso de mais ninguém

If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu

Ow
(Turn the bass up)
(Aumente o volume dessa batida)
Turn the bass up
Aumente o volume dessa batida
Ow
(Turn the bass up)
(aumente o volume dessa batida)
Let's go
Vamos lá!

I thank God every day (uh huh)
Eu agradeço a Deus todos os dias
That I woke up feelin' this way (uh huh)
Por eu ter me acordado me sentindo assim
And I can't help lovin' myself
E eu não consigo evitar de me amar
And I don't need nobody else, nuh uh
E eu não preciso de mais ninguém

If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
If I was you, I'd wanna be me too
Se eu fosse você, eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu
I'd wanna be me too
eu também ia querer ser eu



segunda-feira, 26 de junho de 2017

Os 20 anos do filme "Spice World - O Mundo das Spice Girls"

O filme é considerado a grande bomba pelo roteiro pueril e bizarro. Mas e daí?


Na mesma semana em que a Melanie C, a Sporty Spice, faz sua breve passagem ao Brasil, eu vou relembrar de um certo filme estrelado pelo grupo Spice Girls do qual a cantora foi integrante. Um grupo que eu curtia muito durante a minha adolescência. 😍
E não é a primeira vez que a cantora vem ao Brasil. No auge do sucesso, as Spice Girls fizeram uma rápida visita a Manaus, capital do Amazonas, em dezembro de 1997.
Meses antes, aproveitando essa fase do mega-estrelato, a girlband inglesa formada por Victoria Adams (hoje Victoria Beckham), Geri Halliwell, Emma Bunton, Melanie B e Melanie C foi levada às telas do cinema. O mesmo aconteceu com os Beatles que estrelaram em "A Hard Day's Night" (no Brasil, intitulado como "Os Reis do Iê, Iê, Iê", United Artists, 1964) em meio à beatlemania e, no Brasil, com Roberto Carlos que protagonizou "Roberto Carlos Em Ritmo de Aventura" (Produções Cinematográficas RF Farias, 1968) no auge da jovem guarda e do seu reinado no movimento musical brasileiro. Mesmo que "O Mundo das Spice Girls" ("Spice World", Columbia Pictures, 1997) fosse pueril e sem conteúdo, teve uma boa arrecadação comercial e foi o segundo filme  mais visto na Inglaterra naquele ano, perdendo para o blockbuster "Titanic" (Twentieth Century Fox e Paramount Picture, 1997). Nem isso ameniza o fato de o filme sido mal recebido pelos críticos e até mesmo pelos fãs. Tanto que "Spice World" recebeu algumas indicações ao irônico troféu Framboesa de Ouro, incluindo pior filme, e só "venceu" o de pior atriz para todas as Spice Girls.
O que "Spice World", "A Hard Day's Night" e "Roberto Carlos Em Ritmo de Aventura" têm em comum? São filmes bobinhos e nonsense estrelados por cantores sensações do público infanto-juvenil em suas respectivas épocas fazendo papel deles mesmos em seus frenéticos cotidianos. Sem falar que "A Hard Day's Night" foi indicado a dois Oscars, a de melhor trilha sonora pelo produtor, o "quinto beatle" George Martin (1926-2016) e melhor roteiro original. Contudo, eu vi e adoro os três. Os motivos de eu assistir-lhes com muitíssimo prazer são: saudosismo e o fato de eles serem protagonizados por cantores que eu adoro.
Eu gostei, sim. E não venha com pose de "erudito" me xingar.
No caso das Spice Girls, embora elas fossem as popstars sexualizadas, a maior parte de seu público eram crianças e adolescentes, então foi exigido que "Spice World" tivesse um roteiro levíssimo para que fosse adequado para todas as idades. Esse roteiro foi da autoria de Jamie Curtis e Kim Fuller, irmão de Simon Fuller, o empresário das Spice Girls que fez uma breve participação no longa. Talvez a inexperiência da dupla fosse o motivo de a qualidade do filme ter sido inferior.
Em 1998, pouco tempo depois das filmagens, as Spice Girls aos poucos começaram a perder seu tempero: Simon Fuller foi demitido por decisão unânime das cinco garotas. Em maio do mesmo ano, um choque maior: Geri Halliwell, a Ginger Spice, saiu do grupo em meio a rumores da briga com a Melanie B.



Sinopse

Cinco dias antes de seu primeiro show ao vivo em Londres no todo-poderoso teatro Royal Albert Hall, as Spice Girls vivem incríveis aventuras a bordo do Spicebus (ônibus) e muita confusão às voltas com seu enlouquecido e ganancioso empresário  Clifford (Richard E. Grant, irmão do ator Hugh Grant) e a assistente Deborah (Claire Rushbrook), um arrogante diretor que quer fazer um documentário sobre o grupo mas só dá bola fora, um ambicioso produtor de Hollywood que só pensa em dinheiro, um poderoso dono de jornal louco para cavar um escândalo e aumentar as vendas, e o misterioso "Chefe" vivido por Roger Moore (1927-2017) que só se comunica por mensagens cifradas. Ainda por cima, Nicola (Naoko Mori), a melhor amiga das Spice está grávida e quer que todas elas sejam madrinhas do bebê.


Thanks for spicing up my adolescence.

"Spice World"
no Brasil: "O Mundo das Spice Girls"
em Portugal: "Spice World - O Filme"
Um filme de Bob Spiers
País:  Reino Unido
Idioma Original: Inglês
Gênero: Comédia/Aventura/Musical
Tempo de Duração: 93 min
Lançamento: 1997
Reino Unido: 26 de dezembro
Espanha: 17 de dezembro
Suíça: 24 de dezembro
Islândia: 26 de dezembro.
Estúdios: Columbia Picture. Spice Girls/Fragile Films em associação com Icon Entertainment International e Polygram Filmed Entertainment
Produtor: Uri Fruchtmann e Barnaby Thompson
Co-produtor: Peter McAleese
Figurino: Kate Carin
Montagem: Andrea MacArthur
Cenografia: Grenville Horner
Cinematografia: Clive Tickner, B.S.C.
Produtor executivo: Simon Fuller
Escritor: Kim Fuller e Jamie Curtis
Diretor: Bob Spiers

Filmagens: Entre 8 de julho e 1 de agosto de 1997


Videoclipe da música "Too Much" (de Spice Girls, Andy Watkins e Paul Wilson) do CD "Spice World" (Virgin Records / Universal Music, 1997), o segundo CD das Spice Girls. O vídeo é intercalado com as cenas do filme "Spice World".



Vídeo: trailer do filme "Spice World - O Mundo das Spice Girls"




Veja também matérias interessantes sobre "Spice World" em outros sites:

A Escotilha
Folha de São Paulo (matéria de 1998)
Adoro Cinema

terça-feira, 20 de junho de 2017

Os 20 anos de "Hoje É Dia de Festa", o álbum do Zeca Pagodinho

Capa do CD "Hoje é Dia de Festa" do Zeca Pagodinho



Depois de uma boa volta por cima com os sucessos "Samba Pras Moças" (de Roque Ferreira e Grazielle Ferreira) do álbum homônimo de 1995 e "Verdade" (de Carlinhos Santana e Nelson Rufino) do álbum "Deixa Clarear" de 1996, Zeca Pagodinho repete o êxito lançando "Hoje é Dia de Festa", o seu décimo primeiro álbum de sua carreira e o terceiro tanto na gravadora PolyGram/Universal quanto sob a produção de Rildo Hora. O álbum completa duas décadas este ano! Entre seus grandes sucessos estão "O Dono da Dor", "Posso Até Me Apaixonar" da autoria de Dudu Nobre que também participa tocando cavaco e banjo só que nas músicas "Água no Côco" e "Faixa Amarela", esta que foi feita despretensiosamente sob a jaqueira da casa do Zeca em Xerém, "Lama nas Ruas" da autoria do sambista em parceira com o Almir Guineto que nos deixou no início de maio desse ano, "Prova de Amor" (não confundindo com "Uma Prova de Amor" do álbum homônimo de 2008)  e o clássico "Com Que Roupa" de Noel Rosa (1910-1937) gravado ao lado de Caetano Veloso para a segunda sequência do projeto ao vivo "Casa de Samba" lançado no mesmo ano pela PolyGram/Universal e produzido também pelo Rildo. Meu pai comprou esse CD do "Casa de Samba 2" na época e eu, a intrometida, embora eu não fosse muito fã de samba como hoje, o tomava e o ouvia no meu quarto com o meu micro system da Aiwa que eu havia ganhado nos meus 15 anos e cantarolava junto feito doida lendo a letra da música no encarte , rs rs. Ouvir um CD no meu quarto ou na sala de TV com fone de ouvido era a minha diversão de sexta-feira à noite.
Voltando ao "Hoje É Dia de Festa" que eu só comprei em 2006 na edição relançada pela Universal Music a preço de banana, para a capa do CD totalmente amarela com foto de Wilton Montenegro com o Zeca Pagodinho bem alegre, o renomado Elifas Andreato inseriu ilustrações de J. Carlos (1884-1950), o maior cronista visual da vida carioca. "A capa deste CD é dedicada a J. Carlos, José Carlos de Brito e Cunha, o mais brilhante desenhista da imprensa brasileira em todos os tempos. (...) Foi colaborador das revistas O Tico-Tico, O Malho, Fon-Fon, Para Todos..., além de dirigir a revista Careta desde a sua fundação em 1908, na qual realizou trabalho admirável de cronista da vida carioca e brasileira da época. Seus desenhos registraram as guerras, as mazelas políticas, as agruras do povo, a vida da alta sociedade e, principalmente, a festa do carnaval carioca. Por isso, este CD de festa e samba deixa impressa a lembrança de seu imenso talento", relatou Elifas Andreato no encarte do CD.

O caricaturista J. Carlos (1884-1950)




Reproduções dos desenhos de J. Carlos publicados originalmente na revista "O Careta" para o encarte do CD do Zeca Pagodinho

HOJE É DIA DE FESTA
Zeca Pagodinho
(P) 1997 Mercury Records / Polygram do Brasil (hoje Universal Music Brasil)
Ouça o CD na íntegra pelo YouTube (https://www.youtube.com/watch?v=xXAEzrec6SI)
ou pelo Spotify ( https://open.spotify.com/album/4CGL4rqypX9EGhPcXcDqlp )

1- O Dono da Dor 
escrita por Nelson Rufino
arranjo: Rildo Hora

2- Posso Até Me Apaixonar
escrita por Dudu Nobre
Arranjo e regência: Rildo Hora

3- Faixa Amarela
escrita por Jessé Pai, Luiz Carlos, Beto Gago e Zeca Pagodinho
Arranjo e regência: Paulão Sete Cordas

4- Hoje é Dia de Festa
escrita por Efson
Arranjo e regência: Mauro Diniz

5- Coco de Catolé
escrita por Joel Menezes e Beto Sem Braço
Arranjo e regência: Leonardo Bruno

6- A Sogra
escrita por Zé Roberto
Arranjo e regência: Rildo Hora

7- Prova de amor
escrita por Arlindo Cruz, Sombrinha e Marquinhos PQD
Arranjo e regência: Rildo Hora

8- Lama nas Ruas
escrita por Almir Guineto e Zeca Pagodinho
Arranjo e regência: Leonardo Bruno

9- Parabólica
escrita por Luiz Grande, Barbeirinho do Jacarezinho e Marcos Diniz
Arranjo e regência: Rildo Hora

10- Água no Coco
escrita por Maurição e Luiz Carlos da Vila
Arranjo e regência: Paulão Sete Cordas

11- Não Foi Ela
escrita por Wilson Moreira e Nei Lopes
Arranjo e regência: Rildo Hora

12- Presença Incerta
escrita por Alcino Correia e Monarco
Arranjo e regência: Pulão Sete Cordas

13- Nega Dadivosa
escrita por Luiz Cláudio Picolé, Serginho Procópio e Bandeira Brasil
Arranjo e regência: Mauro Diniz

14- Com Que Roupa
escrita por Noel Rosa
participação especial de Caetano Veloso
Faixa gravada ao vivo para o disco "Casa de Samba 2" (PolyGram/Universal Music, 1997) em março de 1997 nos jardins do baixo PolyGram, na Barra da Tijuca, Rio de Janeiro.
Arranjo e regência: Rildo Hora


Participações:
*Ari Bispo, Oswaldo Cavalo, Richahs, Zélia Bastos dos Santos, Affonsina Pires (Dinorah), Ircéa Gomes, Isabel Gomes, Patrícia Hora, e Maestro Leonardo Bruno: coro nas músicas 1, 2, 6, 7, 8, 9, 10, 11 e 13.
*Velha Guarda da Portela (coro nas faixas 3 e 12):
Hildemar Diniz (Monarco), Jilçária Cruz Costa (Tia Doca), Oto Enrique Trepte (Casquinha), Argemiro Patrocínio, Iranette Ferreira Barcellos (Tia Surica), Eunice Fernandes da Silva (Tia Eunice), Osmar e David
*Coro na faixa 14 (CD "Casa de Samba 2 Ao Vivo"):
Maestro Leonardo Bruno, Marcio Lott, Jorge Alexandre, Xico Pupo, Cláudia Telles, Patrícia Hora, Jurema de Cândia, Kika Tristão e Viviane Godoy.
*Rildo Hora: gaita (realejo/harmônica) nas faixas 1 e 2
*Misael da Hora: piano acústico nas faixas 7 e 9 e teclado na faixa 9
*Arlindo Cruz: banjo nas faixas 1, 4, 7 e 11.
*Grupo Fundo de Quintal:
Ubirajara Félix do Nascimento (Bira Presidente): pandeiro nas faixas 1, 2, 4, 5, 6, 7, 8, 9, 11, 12 e 13)
Ubirany Nascimento: repique de mão nas faixas 1, 2, 4, 5, 6, 7, 9, 11, 12 e 13 e caixinha na faixa 8
*Dudu Nobre: cavaco e banjo nas faixas 3 e 10
*Sivuca: acordeon na faixa 5
*Cordas nas músicas 1, 7, 8 e 11:
Giancarlo Pareschi, João Daltro de Almeida, Barnardo Bessler, Paschoal Perrota, Walter Hack, Ricardo Amado Silva, Marie Christine Bessler e Alfredo Vidal: violinos
Jesuína Noronha Passarato e Frederick Stephany: violas
Márcio Eymard Mallard e Jorge Kundert Ranevsky: cellos

Ficha técnica:
Produzido por Rildo Hora
Direção artística: Max Pierre
Gerência artística:Rodrigo Lopes
Supervisão de estúdio: Barney
Produção musical: Rildo Hora
Assistente: Paulo Roberto Pereira Araújo (Paulão Sete Cordas)
Controle de gravação:Chico Donadoni
Gravado, masterizado e mixado nos Estúdios Companhia dos Técnicos
Técnicos de gravação: Luiz Carlos T. Reis, Flávio Senna, Vanius Marques e Luiz Rodrigues
Supervisor e assistente técnico: J. Sartori (Magro)
Técnico de Mixagem:Flávio Senna
Assistente de mixagem: Pedro Motta
Auxiliares de Estúdio: Neno, Aton, Marcio Sinistro, Douglas, Fábio e Luiz Carlos Jr.
Técnicos de masterização: Ricardo Essucy  e Vanius Marques
Capa: Elifas Andreato
Fotos: Wilton Montenegro
Arte e restauração de imagens: Bento H. Andreato, Sandro Schutze, Dennis Vecchione e Alex Nascimento
Ilustrações externas: adaptação dos desenhos originais de J. Carlos publicados na revista "Careta"
Coordenação gráfica: Geysa Adnet e Gê Alves Pinto




"The Very Best of Andrew Lloyd Webber" (1994)



No post anterior eu falei sobre a minha primeira apresentação de cantora amadora no colégio onde eu estudava e que a música era "Don't Cry For Me Argentina" que eu aprendi a cantá-la ouvindo um curioso CD "The Very Best of Andrew Lloyd Webber" (Polydor Limited/ PolyGram Records, hoje Universal Music, 1994) emprestado por uma colega de sala (clique aqui). E agora, empolgada com a lembrança, neste post eu vou falar... do CD!
"The Very Best of Andrew Lloyd Webber" é um álbum de compilação de grandes sucessos das peças musicais produzidas na Inglaterra e nos Estados Unidos da autoria do músico inglês Andrew Lloyd Webber. Os co-escritores das canções incluem Don Black, Tim Rice, Charles Hart, entre outros.
As mais conhecidas do álbum são "Memory" do musical "Cats" gravada por Elaine Paige em 1981, "Don't Cry For Me Argentina" de "Evita" gravada por Sarah Brightman, na época casada com Lloyd Webber, em 1992, "Amigos Para Siempre" gravada por Sarah Brightman e José Carreras que foi tema dos Jogos Olímpicos de Barcelona, Espanha, em 1992 e "All I Ask Of You" gravada por Sarah Brightman e Cliff Richard em 1987, a canção que aqui no Brasil muita gente conhece pela versão em português intitulada "Tudo o Que Se Quer" gravada por Emílio Santiago (1946-2013) e Verônica Sabino para a trilha sonora da novela "Tieta" (Rede Globo, 1989) que está sendo reprisada no Canal Viva. O curioso é que na edição original desse CD do Andrew Lloyd Webber a parte interna do encarte na qual estão as fotos dos artistas participantes era em cores (só agora que eu descobri no site do Mercado Livre mexicano, o "Mercado Libre" - clique aqui), enquanto na edição brasileira era em preto-e-branco.  Neste CD estão a cantora Barbra Streisand, a atriz Glenn Close, famosa pelo papel de Cruela Cruel no filme "101 Dálmatas", o cantor australiano Jason Donovan e Sarah Brightman que ganhou notabilidade mundial ao cantar "Amigos Para Siempre" em dueto com o tenor espanhol José Carreras e, em 1996, ao gravar com Andrea Bocellli em italiano e em inglês (com o título de "Time To Say Goodbye") a segunda versão de "Con Te Partirò".
Outras músicas que eu também adoro são "Take That Look Off Your Face" e "Tell Me On a Sunday" (ambos do musical "Tell Me On a Sunday") gravada por Marti Webb em 1980, "I Don't Know How To Love Him" (de "Jesus Cristo Superstar") gravada por Sarah Brightman  em 1992, "Sunset Boulevard" (do musical "Sunset Boulevard" inspirado no filme homônimo que no Brasil é intitulado como "Crepúsculo dos Deuses" - clique aqui para ver o post sobre o filme) gravada por Michael Ball em 1993... impossível ficar citando, né? :D Segue a lista das faixas do CD!

Veja também: post sobre "Don't Cry For Me Argentina" (do musical "Evita")
http://jotadejeane.blogspot.com/2017/06/dont-cry-for-me-argentina-do-musical.html

Post sobre "Jesus Cristo Superstar"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2011/04/o-rockn-roll-do-nosso-senhor.html

Post sobre "Crepúsculo dos Deuses" ("Sunset Boulevard")
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2017/05/crepusculo-dos-deuses-sunset-boulevard.html


Andrew Lloyd Webber


"The Very Best of Andrew Lloyd Webber"
Vários Artistas
(P) 1994 The Really Useful Group Ltd. / Polydor Limited / PolyGram Records, UK (hoje Universal Music Group, UK)
(P) 1994 PolyGram do Brasil (hoje Universal Music Brasil)
Ouça o CD na íntegra pelo YouTube >> https://www.youtube.com/watch?v=u3I4bC4t0No
(recomendado ouvir pelo computador ou notebook, já que pelo celular o áudio-vídeo é bloqueado)

1-  Memory
musical: "Cats"
Letra de  Trevor Nunn, inspirado no poema de Thomas Stearns Eliot (1888-1965)
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Elaine Paige
Produzido por Andrew Lloyd Webber
(P) 1981 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

A cantora-atriz inglesa Elaine Paige no papel da gata Grizabella na peça "Cats"


2- The Music Of The Night
musical: "O Fantasma da Ópera" ("The Phantom of the Opera")
Letra de Charles Hart e Richard Stilgoe
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por  Michael Crawford
Produzida por Andrew Lloyd Webber
(P) 1986 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

3- Take That Look Off Your Face
musicais: "Tell Me On a Sunday", 1980 / "Song & Dance", 1982
Letra de Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Marti Webb
Produzida por Andrew Lloyd Webber
(P) 1980 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group


Compacto simples de "Take That Look Off Your Face" da cantora Marti Webb (1980)

A atriz e cantora inglesa Marti Webb com Don Black (à esquerda) e Andrew Lloyd Webber em 1984


4- Any Dream Will Do
musical: "Joseph and the Amazing Technicolor Dreamcoat"
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Tim Rice
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Jason Donovan
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1991 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

5- Don't Cry For Me Argentina
musical: "Evita"
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Tim Rice
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Sarah Brightman
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1992 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

Sarah Brightman e Andrew Lloyd Webber em foto recente.


6- Love Changes Everything
musical: "Aspects Of Love"
Letra de Charles Hart e Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Michael Ball
Produzida por Andrew Lloyd Webber
(P) 1989 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

7- I Don't Know How To Love Him
musical: "Jesus Cristo Superstar" ("Jesus Christ Superstar")
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Tim Rice
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Sarah Brightman
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1992 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

8- The Perfect Year
musical: "Sunset Boulevard"
Letra de Christopher Hampton e Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Dina Carroll (cortesia da A&M Records)
Produzida por Nigel Lowis, de 1st Venue Management
(P) 1993 A&M Records / Universal Music Group

9- The Phantom Of The Opera
musical: "O Fantasma da Ópera" ("The Phantom Of The Opera")
Produção Executiva: Andrew Lloyd Webber
Letra de Mike Batt e Richard Stilgoe
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Sarah Brightman & Steve Harley
Produzida por Mike Batt
(P) 1986 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

10- Oh, What A Circus
musical: "Evita"
Letra de Tim Rice
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por David Essex (cortesia da Phonogram Ltd., London - hoje Universal Music Group)
Produzida por Mike Batt
(P) 1978 Phonogram Ltd., London (hoje Universal Music Group, UK)


Capa do single "Oh, What a Circus" do David Essex do musical "Evita" no qual ele faz o papel de Ché.


11- Tell Me On A Sunday
musicais: "Tell Me On a Sunday", 1980 / "Song & Dance, 1982
Letra de Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Marti Webb
Produzida por Andrew Lloyd Webber
(P) 1980 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

12- Close Every Door
musical: "Joseph and the Amazing Technicolor Dreamcoat"
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Tim Rice
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Phillip Schofield
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1992 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

13- With One Look
musical: "Sunset Boulevard"
Engenheiro de som Robin Sellars
Letra de Christopher Hampton e Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Barbra Streisand (gentilmente cedida pela Sony Music Entertainment Group)
Produzida por Andrew Lloyd Webber, Barbra Streisand e Nigel Wright
(P) 1993 Sony Music Entertainment Inc.

14- All I Ask Of You
musical: "O Fantasma da Ópera" ("The Phantom Of The Opera")
Letra de Charles Hart e Richard Stilgoe
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Cliff Richard & Sarah Brightman
Produzida por Andrew Lloyd Webber
(P) 1987 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

15- Sunset Boulevard
musical: "Sunset Boulevard"
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Christopher Hampton e Don Black / Colaboração de Amy Powers
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Michael Ball
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1993 Polydor Ltd. (UK) / The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

16- As If We Never Said Goodbye
musical: "Sunset Boulevard"
Letra de Christopher Hampton e Don Black / Colaboração de Amy Powers
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Glenn Close
Produzida por Andrew Lloyd Webber, Nigel Wright e Robin Sellars
(P) 1993 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

Glenn Close no papel da atriz decadente Norma Desmond em "Sunset Boulevard"


17- Next Time You Fall In Love
musical: "Starlight Express"
Engenheiro de som: Robin Sellars
Letra de Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por Reva Rice e Greg Ellis
Produzida por Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1993 The Really Useful Group Ltd. / Universal Music Group

18- Amigos Paras Sempre (Friends For Life)
Regentes: David Caddick e Harry Rabinowitz
Engenheiros de som: Keith Grant e Robin Sellars
Letra de Don Black
Música de Andrew Lloyd Webber
Interpretada por José Carreras e Sarah Brightman
Produzida por  Andrew Lloyd Webber e Nigel Wright
(P) 1992 The Really Useful Group, Ltd. / Universal Music Group

Editoras:
Faixa 1: The Really Useful Group / Faber Music Ltd.
Faixas 2, 4, 6, 8, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 17 & 18: The Really Useful Group Ltd.
Faixas 3 & 11: The Really Useful Group Ltd. / Dick James Music Ltd.
Faixas 5 & 10: Evita Music Ltd.
Faixa 7: MCA Music Ltd.

Créditos: site Discogs

"Don't Cry For Me Argentina" (do musical "Evita")



Cartaz oficial do musical "Evita" no Teatro Prince Edward em 1978 em Londres, Inglaterra.

Hoje, dia 20 de junho, faz 20 anos que eu fiz a minha primeira apresentação como cantora amadora, no auditório do colégio onde eu estudava. Foi neste mesmo lindo 1997 (Que tempo bom! Que adolescência boa!), aos 15 anos, que eu descobri que eu cantava e fui chamada assim do nada para abrir a Noite da Poesia na qual alunos do colégio recitavam poesias de grandes autores. Para me apresentar, a coordenadora do colégio me emprestou um vestido azul para encarnar a Evita Perón, já que a música que eu cantei foi "Don't Cry For Me Argentina" (de Andrew Lloyd Webber e Tim Rice). Uma colega da sala me deu a letra certinho, embora a minha pronúncia fosse fajuta, mas eu tinha uma noção rasa do inglês. Outra colega me emprestou um CD curioso, "The Very Best Of Andrew Lloyd Webber" (Polydor Limited/ PolyGram Discos, hoje Universal Music, 1994) (clique aqui para o post sobre o CD) com a canção interpretada pela atriz e cantora soprano inglesa Sarah Brightman para eu pegar direitinho e prestar atenção na pronúncia. Afinal, era a época em que a versão cinematográfica do musical "Evita" dirigida por Alan Parker e estrelada por Madonna e Antonio Banderas estava em cartaz nos cinemas. Foi a partir daí que eu comecei a me interessar por obras de Andrew Lloyd Webber, o mago dos musicais na West End na Inglaterra, seu país de origem, e na Broadway nos Estados Unidos  mas, em tempos em que somente os "ricos" (💵 💵💵) podiam ter o computador em casa para acessar a internet, o máximo de informação que eu conseguia foi através deste CD emprestado. Nesse período de preparativos, meus pais compraram na saudosa CD Company em Balneário Camboriú o CD (edição simples) da trilha sonora de "Evita" (Warner Bros./ Warner Music, 1996) que estava em lançamento. Com o perdão pela vaidade, naquela noite daquela sexta-feira, 20 de junho de 1997, hoje em dia eu diria que eu me senti como a cantora inglesa Adele em noite de premiação. 😁


"Evita" é uma peça musical com música de Andrew Lloyd Webber e letras de Tim Rice. Foi inspirado no documentário do diretor argentino Carlos Pasini-Hansen, "Queen of Hearts" (1972), baseado na vida e morte de Eva Perón (1919-1952) e sua influência na história argentina a partir da ascensão ao poder de seu marido Juan Perón (1895-1974) como presidente do país.
Sabe aquela frase que diz:"mirou no que viu, acertou no que não viu"? Pois é. Tim Rice criou um personagem, o Ché, para servir como um narrador do musical. Embora ele tenha descoberto apenas depois que  Ché Guevara (1928-1967) era argentino (porém radicado em Cuba) e não era sua intenção original de o personagem basear-se-lhe, no entanto, quando o produtor teatral Harold Prince mais tarde se envolveu com o projeto, ele insistiu que os atores que representarem Ché tenham o guerrilheiro argentino-cubano como modelo. Na adaptação para o filme de 1996, o personagem vivido por Antonio Banderas voltou às suas raízes mais anônimas. Este também foi o caso do revival de Londres em 2006.

Assim como "Jesus Cristo Superstar " (clique aqui para ver um post que eu fiz sobre JCSS) , outra peça da dupla Webber-Rice, o musical começou como um álbum conceitual de ópera-rock lançado em 1976 pela MCA Records/ Universal Music, e seu sucesso levou a produções em Londres em 1978, ganhando o prêmio Laurence de Melhor Musical, e na Broadway, nos Estados Unidos, um ano depois, onde ele foi o primeiro musical britânico a receber o Prêmio Tony de melhor musical.
"Don't Cry for Me Argentina" (em português: Não Chore Por Mim Argentina) é a canção mais conhecida da peça musical. Cantada pela personagem principal, Eva Perón, foi originalmente intitulada como "It's Only Your Love Returning", antes de Rice ter colocado o título atual, este que é baseado num epitáfio na placa da sepultura de Eva Perón no cemitério La Recoleta, em Buenos Aires. A música foi gravada primeiramente por Julie Covington em estúdio no ano de 1976 e interpretada por Elaine Paige nos palcos em 21 de junho de 1978, quando a peça estreou em Prince Edward Theatre.



Capa do compacto simples "Don't Cry For Me Argentina" de Julie Covington (com a canção "Rainbow High" no lado B, também do musical "Evita") MCA Records/ Universal Music, 1976

A cantora britânica Julie Covington: visual à Elis Regina.

A atriz e cantora Elaine Paige no papel de Evita no palco de Prince Edward Theatre em 1978

David Essex no papel de Ché no musical "Evita" em 1978.


A popstar americana Madonna gravou sua versão da canção para o seu papel no filme de 1996 "Evita" (Hollywood Pictures/ Cinergi Pictures Entertainment), considerado o mais importante da carreira da cantora. Esta versão foi lançada em dezembro do mesmo ano como o segundo single da trilha sonora de "Evita". Antes do filme, a "rainha do pop" já havia cantado " Don't Cry For Me Argentina" em seu show exclusivamente em Buenos Aires da turnê "The Girlie Show" em 1993.

Capa do single "Don't Cry For Me Argentina" interpretada por Madonna para a versão cinematográfica do musical "Evita".


Além de Julie Covington em 1976, Sarah Brightman em 1992 e Madonna em 1996, a canção foi gravada por The Carpenters em 1977 solada pela Karen Carpenter (1950-1983), Olivia Newton-John em 1977, Shirley Bassey em 1978, Joan Baez em 1980, Donna Summer (1948-2012) em 1981, Sinead O'Connor em 1992, Chris Colfer e Lea Michele em 2010 na série "Glee" no episódio Special Education" e a brasileira Claudya na versão em português em 1983. A ex-pussycat doll Nicole Scherzinger cantou "Don't Cry For Me Argentina" em 2013 no musical em homenagem aos 40 anos de carreira de Andrew Lloyd Webber.

Veja também: post sobre o CD "The Very Best of Andrew Lloyd Webber"
http://jotadejeane.blogspot.com/2017/06/the-very-best-of-andrew-lloyd-webber.html
Post sobre "Jesus Cristo Superstar"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2011/04/o-rockn-roll-do-nosso-senhor.html


"Don't Cry For Me Argentina"
escrita por Andrew Lloyd Webber e Tim Rice

It won't be easy, you'll think it strange
Não vai ser fácil, você vai achar estranho
When I try to explain how I feel
Quando eu tentar explicar como eu me sinto
That I still need your love after all that I've done
Que eu ainda preciso do seu amor depois de tudo que eu fiz
You won't believe me
Você não vai acreditar em mim
All you will see is a girl you once knew
Tudo que você verá é uma garota que você já conheceu
Although she's dressed up to the nines
Embora ela esteja bem vestida às nove
At sixes and sevens with you
às seis e às sete diante de você
I had to let it happen, I had to change
Eu tive que deixar acontecer, eu tive que mudar
Couldn't stay all my life down at heel
Eu não podia ficar a vida inteira na miséria
Looking out of the window, staying out of the sun
Vendo tudo pela janela distante do sol
So I chose freedom
Então eu escolhi a liberdade
Running around trying everything new
Correndo por aí, experimentando tudo que era novo
But nothing impressed me at all
Mas nada me impressionou
I never expected it to
Eu nunca esperei por isso

Don't cry for me Argentina
Não chore por mim, Argentina
The truth is I never left you
A verdade é que eu nunca a deixei
All through my wild days
Durante os meus dias errantes
My mad existence
Minha louca existência
I kept my promise
Eu mantive a minha promessa
Don't keep your distance
Mas não se mantenham distantes

And as for fortune, and as for fame
E quanto à fortuna e à fama
I never invited them in
Eu nunca as incluí
Though it seemed to the world
Embora parecesse ao mundo
They were all I desired
que eram tudo o que eu desejava
They are illusions
São ilusões
They're not the solutions they promised to be
Não são soluções que garantiram ser
The answer was here all the time
A resposta esteve aqui o tempo todo
I love you and hope you love me
Eu amo você e espero que você me ame

Don't cry for me Argentina
Não chore por mim Argentina

Don't cry for me Argentina
Não chore por mim, Argentina
The truth is I never left you
A verdade é que eu nunca a deixei
All through my wild days
Durante os meus dias errantes
My mad existence
Minha louca existência
I kept my promise
Eu mantive a minha promessa
Don't keep your distance
Mas não se mantenham distantes

Have I said too much?
Falei demais?
There's nothing more
Não há mais nada
I can think of to say to you
que eu consiga pensar em lhe dizer
But all you have to do is look at me
Porém tudo que há de fazer é olhar pra mim
To know that every word is true
E saber que cada palavra é verdadeira.


quinta-feira, 8 de junho de 2017

Post de aniversário do Padre Zezinho - "Um Certo Galileu"



No dia em que Padre Zezinho completa mais um ano de vida (8 de junho), eu posto aqui uma das minhas músicas preferidas dele pela riqueza poética e melódica: "Um Certo Galileu" gravada originalmente para o seu álbum homônimo lançado em 1975 (clique aqui) e com letra ampliada em 2010 a pedido da Igreja Católica, já que a canção terminava com a morte de Jesus Cristo. "Como eu sou um compositor obediente, depois de 40 anos cantando, os bispos, três ou quatro deles me disseram 'você matou Jesus e deixou Jesus morto'. Falei 'o quê?' 'Você fez Um Certo Galileu e termina com a morte. Cadê os outros dogmas?' Aí eu parei, pensei e rezei.", disse o sacerdote durante a gravação do seu DVD "45 Anos de Canção Ao Vivo" (Sony Music, 2011) antes de cantar a canção com uma estrofe a mais. A mesma canção na versão estendida foi gravada pela cantora Joanna para o disco "Em Nome de Jesus - Joanna Interpreta Padre Zezinho" (Sony Music, 2011).
Eu ouvia algumas músicas do Pe. Zezinho quase todo dia de manhã em 1992, quando eu estava fazendo a catequese, pela antiga Rádio Clube de Itajaí, ( hoje Rádio Bandeirantes AM 1350 kHz) . A cada dia, a rádio executava uma música dele, entre elas, "Um Certo Galileu". Segundo o Wikipédia, atrás do clássico "Sol Nascente, Sol Poente" (1990) pela canção "Oração Pela Família", "Um Certo Galileu 1" (sendo que a segunda sequência foi lançada em 1981) é o segundo disco mais vendido da carreira de Padre Zezinho nos formatos LP e CD. Por causa da vendagem alta, em 1990, Pe. Zezinho ganhou um disco de ouro pelo álbum.


Capa do LP "Um Certo Galileu" de 1975

"Um Certo Galileu" 
escrita e interpretada por Padre Zezinho, scj.
(P) 1975 EPD, Edições Paulinas Discos (hoje Paulinas/COMEP, Comunicação Musical Editora Paulinas)
Link do vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=Dudwfn09yhI


Um certo dia, à beira mar
Apareceu um jovem galileu
Ninguém podia imaginar
Que alguém pudesse amar do jeito que ele amava
Seu jeito simples de conversar
Tocava o coração de quem o escutava

E seu nome era Jesus de Nazaré
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
O fenômeno do jovem pregador
Que tinha tanto amor

Naquelas praias, naquele mar
Naquele rio, em casa de Zaqueu
Naquela estrada, naquele sol
E o povo a escutar histórias tão bonitas
Seu jeito amigo de se expressar
Enchia o coração de paz tão infinita

E seu nome era Jesus de Nazaré
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
O fenômeno do jovem pregador
Que tinha tanto amor

Em plena rua, naquele chão
Naquele poço e em casa de Simão
Naquela relva, no entardecer
O mundo viu nascer a paz de uma esperança
Seu jeito puro de perdoar
Fazia o coração voltar a ser criança

E seu nome era Jesus de Nazaré
Sua fama se espalhou e todos vinham ver
O fenômeno do jovem pregador
Que tinha tanto amor

Um certo dia, ao tribunal
Alguém levou o jovem galileu
Ninguém sabia qual foi o mal
E o crime que ele fez; quais foram seus pecados
Seu jeito honesto de denunciar
Mexeu na posição de alguns privilegiados

E mataram a Jesus de Nazaré
E no meio de ladrões puseram sua cruz
Mas o mundo ainda tem medo de Jesus
Que tinha tanto amor...

[ESTROFE INCLUÍDA EM 2010]
Vitorioso! Ressuscitou!
Após três dias à vida Ele voltou
Ressuscitado, não morre mais
Está junto do Pai pois Ele é o Filho Eterno
Mas Ele vive em cada lar
E onde se encontrar um coração fraterno

Proclamamos que Jesus de Nazaré
Glorioso e triunfante, Deus conosco está!
Ele é o Cristo e a razão da nossa fé
E um dia voltará!


Veja também: "Por Causa de Um Certo Reino" - Padre Zezinho e Padre Jonas Abib

Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil