Portela

Portela
Vamos comemorar que a campeã voltou! Portela!!! #PortelaCampeã
"O que é de verdade ninguém mais hoje liga: isso é coisa da antiga" - Ney Lopes e Wilson Moreira

Olá!!!Seja bem-vindo!!

Elsa (Frozen) ♥

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

LISTAS - Retrospectiva 2015: os 6 melhores CD's do ano do Blog Jota de Jeane

2015 acabando e é chegado o momento para os melhores álbuns do ano do Blog Jota de Jeane. Os que foram (ou não foram) analisados aqui no meu blog merecem entrar nesta lista!

1- A PEDRA PRECIOSA
"Eu e Minha Filha", Rildo Hora e Patrícia Hora
(Independente)

Para matar a saudade do Rildo Hora cantor. E o que é melhor: em companhia da filhota Patrícia (Linda) Hora. O CD mais aguardado daqui do blog traz composições de Rildo em parceria com grandes nomes como Fausto Nilo, Ronaldo Bastos, Martinho da Vila, Dona Ivone Lara e o saudoso Luiz Carlos da Vila, interpretadas por ele em duo com a filha. Infelizmente não é em todo o lugar que se encontra este CD. Aqui em Santa Catarina, então, nem em sonhos. (snif, snif!...) Mas eu tive o privilégio de receber de presente do próprio Rildo Hora :) ♥

"Rildo Hora e Patrícia Hora - 'Eu e Minha Filha' "
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/12/rildo-hora-e-patricia-hora-eu-e-minha.html

2- O TERREIRO FINO
"Antes do Mundo Acabar" -  Zélia Duncan
(Biscoito Fino)


Eu ouvi este CD pelo Spotify no computador. A cantora, compositora, corredora e agora também colunista do Jornal O Globo que participou no CD "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora caiu no samba com este álbum elogiadíssimo. Para os fãs de samba de qualidade, como eu. Vale a pena!


3- A PRATA VALIOSA
"25" - Adele
(XL Recordings / Sony Music)

Único álbum internacional da lista. A queridinha da música inglesa nos impressiona com mais um CD cheio de músicas emociantes e bem produzidas de sua discografia. God save the queen.

"Eu ouvi: '25' de Adele é tão bom quanto '21'"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/11/eu-ouvi-25-de-adele-e-tao-bom-quanto-21.html

4- ABENÇOADO
"Deus no Esconderijo do Verso" - Pe. Fábio de Melo
(Sony Music)



Dez músicas de sua autoria e quatro regravações da MPB, todas que transmitem mensagem. Assim é o CD "Deus no Esconderijo do Verso", do Pe. Fábio de Melo. O álbum também se destaca pelas participações de grandes nomes da música brasileira, como Elba Ramalho, Fagner, Ninah Jo, Alcione, Fafá de Belém e Nana Caymmi.

"Padre Fábio de Melo e Zeca Pagodinho: os melhores álbuns de MPB de 2015 que eu ouvi até agora"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/07/padre-fabio-de-melo-e-zeca-pagodinho-os.html

5- O MAIS HUMANO
"Ser Humano" - Zeca Pagodinho
(Universal Music)



Num ano cheio de desumanidades e tragédias como 2015, Zeca Pagodinho lançou este CD no momento certo. O álbum tem a mesma beleza e criatividade que a dos outros da discografia do sambista desde que Rildo Hora assumiu a produção há 20 anos. "Quero ver sempre no teu rosto essa felicidade / O teu sorriso iluminado que me faz tão bem". Pois é. É disso que o mundo precisa.

"Padre Fábio de Melo e Zeca Pagodinho: os melhores álbuns de MPB de 2015 que eu ouvi até agora"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/07/padre-fabio-de-melo-e-zeca-pagodinho-os.html


6- E O ESTRATOSFÉRICO
"Estratosférica" - Gal Costa
(Sony Music)


Outro CD que foi um sucesso de crítica. Gal Costa pop/roqueira/eletrônica empolgou demais! 

"Gal Costa - 'Estratosférica' (2015)"
http://jotadejeane.blogspot.com.br/2015/09/gal-costa-estratosferica-2015.html

domingo, 27 de dezembro de 2015

Gilson Peranzzetta e Amoy Ribas homenageiam Rildo Hora com "Fator RH"



Foi postado no YouTube pelo próprio pianista Gilson Peranzzetta a regravação de "Fator RH" (autoria de Gilson Peranzzetta) para o CD "Repercutindo" (Fina Flor, 2015), trabalho dele em parceria com o percussionista Amoy Ribas lançado este ano. O baião instrumental é um tributo ao músico pernambucano Rildo Hora e o arranjo realmente faz jus à origem do homenageado, como também à forma de como este produz as músicas. A gravação original foi feita em 1993 para o álbum "Vera Cruz" (Visom) em dupla com o saxofonista Mauro Senise. Ouça que é bem bacana! 👍

sábado, 26 de dezembro de 2015

Até logo, Pe. Edvaldo Nogueira!


Eu e o Pe. Edvaldo, maio de 2015.

Depois de 3 anos administrando o Parque Dom Bosco de Itajaí, Santa Catarina, Pe. Edvaldo Nogueira da Silva, SDB (Salesiano de Dom Bosco), se despede da nossa comunidade. É que ele assumiu neste fim de ano a Paróquia Dom Bosco de Guarapuava, cidade paranaense que fica a 252 quilômetros da capital, Curitiba, para substituir o Pe. Renato dos Santos que será o novo diretor do principal Jornal da Igreja e do Vaticano,  "L'Osservatore Romano", e da impressão dos demais documentos oficiais do Papa e da Santa Sé.
Pe. Edvaldo, sdb nasceu no dia 29 de agosto de 1983 em Massaranduba, Santa Catarina. Cursou o 1º e 2º anos do Ensino Médio no Aspirantado Salesiano (colégio interno) em Ascurra (SC) em 1999 e 2000 e concluiu o 3º ano no Aspirantado São Domingos Sávio em Curitiba (PR). Logo após o período de Noviciado, fez curso de Filosofia em Viamão (RS) e exerceu a etapa formativa do Tirocínio no Colégio Salesiano Dom Bosco, em Santa Rosa (RS). Sua Profissão Perpétua foi emitida no dia 26 de dezembro de 2009 na comunidade Nossa Senhora Auxiliadora, em sua cidade natal, retornando a São Paulo para prosseguir seu curso de Teologia no Instituto Pio XI que ele havia começado um ano antes. Em 12 de fevereiro de 2011 foi ordenado diácono da Igreja pela imposição das mãos de Dom Hilário Moser, sdb, bispo de Tubarão (SC). Pelo mesmo bispo, recebeu a ordenação sacerdotal no dia 11 de dezembro do mesmo ano, em Massaranduba.
Com toda certeza, "ele vai deixar saudades pelo trabalho com crianças, adolescentes e jovens, além de celebrar missas, casamentos e participar de momentos na sociedade, como também pelo seu carisma e carinho com todos, além do dom da palavra,a bênção de Deus" (Jornal Família Paroquial, Bittencourt Editora, dezembro de 2015).
O que temos pra hoje é saudade. Te agradecemos por tudo, Pe. Edvaldo! Você é um dos verdadeiros devotos de São João Bosco. E que Deus guie você nessa nova caminhada.

Fonte:
Paróquia Santa Teresinha
Jornal Paroquial
Padre Edvaldo em seu aniversário no Parque Dom Bosco em Itajaí (SC) (foto: Facebook PDB)


terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Rildo Hora e Patrícia Hora - "Eu e Minha Filha"

Capa do CD "Eu e Minha Filha" (pintura de Lusinete da Hora)

Quem acompanhou, viu que o lançamento do CD "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora foi o mais falado aqui no meu blog durante um mês ou pouco mais. Pois bem: exatos 11 dias antes do Natal (manhã de segunda-feira, 14 de dezembro de 2015), Papai Noel chegou mais cedo à minha casa. Explicando melhor, recebi pelo correio o CD mandado pelo próprio músico Rildo Hora de lá do Rio de Janeiro. \o/ De brinde, autografo dele e da filha Patrícia Hora. \o/ \o/ Abri o encarte de manhã, mas só pude escutar com tranquilidade à noite (com salgadinho Doritos que eu amo). Ao ouvir, me senti no show de lançamento de "Eu e Minha Filha" que houve no dia 11 de novembro no Teatro Maison de France, no centro do Rio de Janeiro (eu nunca fui ao Rio, tampouco pra fora do Sul do Brasil). É a primeira vez em 35 anos que o gaitista, arranjador e produtor musical grava um disco cantando (eu ainda não tive a oportunidade de ouvir o álbum "Rildo Hora e Sérgio Cabral" lançado pela RCA Victor, atual Sony Music, em 1980). Os das décadas seguintes foram trabalhos instrumentais. Talento como cantor ele também tem, quem o ouviu cantando, sabe muito bem. Não foi à toa que Rildo Hora entrou pra minha lista das vozes preferidas da música em uma postagem de 2012 (clique aqui). O mais recente CD também marca como o primeiro da carreira da filha Patrícia Hora, que canta desde os 14 anos. Porém, engana-se quem acha que é a primeira vez que a lindinha sola em um disco. No álbum "Poeta da Cidade" de Martinho da Vila, a voz feminina da faixa "Três Apitos" é dela. Como também é o primeiro CD que eu tenho do meu músico pernambucano preferido aqui em casa em Itajaí, Santa Catarina! Como se vê, a família Hora está unida neste disco maravilhoso: Lusinete da Hora, esposa do Rildo, fez a pintura para capa do CD. Misael da Hora, o filho do Rildo e Lusinete, toca piano e teclado em algumas faixas. E Ziraldo, o caçula, é o empresário do pai e da irmã.

O papai maestro e a filha gata: Rildo Hora e Patrícia Hora na noite de autógrafos do lançamento do álbum "Eu e Minha Filha" (foto de Cristina Granato / Reprodução Facebook)

Algumas músicas do CD eu já tinha ouvido ou conhecido em versões originais. Uma das primeiras músicas que ouvi da autoria da dupla Rildo Hora e Sérgio Cabral pai foi "Visgo de Jaca", originalmente na voz de Martinho da Vila através do álbum "Canta, Canta, Minha Gente" (RCA, atual Sony Music, 1974). Em 2009, este samba-bossa foi gravado pela cantora Céu. "Anda, Sai Dessa Cama" foi lançado primeiramente nas vozes do grupo MPB-4 para o projeto infantil "Você Não Me Pega" (clique aqui). "O Beijo Que Te Dei" (ou)vi através de um vídeo caseiro com o Rildo tocando violão e a Patrícia cantando publicado no YouTube que, infelizmente, foi excluído, mas, por sorte, eu copiei pro meu pen-drive.  Foi a primeira vez que vi a gata solando! ♡♡♡. A letra desta música, conforme a Patrícia havia me dito em uma rede social usando a conta do pai, serviu de inspiração para a pintura da capa do CD feita pela esposa do Rildo, Lusinete da Hora. Se fosse aposta, eu acertaria, pois foi o que eu imaginei desde o começo. "Perfume e Flor" eu escutei quando eu fiz uma loucura de ir ao computador da sala na madrugada de sábado de aleluia para domingo de Páscoa de 2011 pela internet (eu nem sonhava em ter um smartphone) para ouvir uma reprise de um programa da Rádio Nacional AM lá do RJ não lembro qual era o nome, mas que passava originalmente aos sábados ao meio-dia e reprisava à meia-noite. Naquele sábado de feriadão,  Rildo Hora e Patrícia Hora eram os convidados principais desse programa e, do repertório, cantaram "Perfume e Flor" em dueto na canção, apenas em suas vozes e violão. Não deu para ouvir o programa inteiro à tarde, porque eu tinha que almoçar e lavar a louça, mas de madrugada eu o ouvi todinho, na maior tranquilidade. E é claro, "Meninos da Mangueira" que eu já conhecia com Ataulpho Alves Jr.
Agora falando de algumas outras músicas do CD. Fã de poemas, Rildo Hora musicou "Verdade", poesia de Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Esta versão melódica abre o disco e imagino que também abre o show graças à construção bem criativa do arranjo. Já pensou que bacana?
O curioso está em "Canção de Amor Dos Beatles" (de Rildo Hora e Ronaldo Bastos). O arranjo tem um clima daquela fase mais madura e eclética do quarteto britânico e a letra faz lembrar os versos de "In My Life" (de John Lennon e Paul McCartney). Mezzo-soprano, Patrícia Hora encerra a canção em grande estilo: ela faz um vocalize e finaliza atingindo a nota Si 5!
Ainda falando na Patrícia: chega o momento do CD em que os holofotes são apontados para ela. Além de "O Beijo Que Te Dei", a cantora sola "A Mulher Madura" (de Rildo Hora e Affonso Romano de Sant'Anna).
Inspirações nordestinas, a origem do músico, não faltam neste disco. Provas disso são as faixas "Gotas de Sal" (por que não?) da autoria de Rildo Hora e Zélia Duncan, com a brilhante participação desta, a já citada "Perfume e Flor" (de Rildo Hora e Luciana Cardoso), "Belinha" (de Rildo e Humberto Teixeira) que tem uma abertura "jobiniana" e "Vida Disparada" (de Rildo e Fausto Nilo).
É logico que samba e choro não poderiam ficar de fora. Além dos citados no começo do texto, estão "Coração Apaixonado" (de Rildo Hora e Dona Yvonne Lara), "Chorinho Reluzente" (de Rildo e o saudoso Luiz Carlos da Vila), a lindíssima "Quando" (de Rildo e Nelson Sargento) e o sambão "Quem Me Ensinou" (de Rildo Hora e Nei Lopes).
O CD "Eu e Minha Filha" é lançado de forma independente e não é em qualquer lugar que se encontra (snif, snif...). Inclusive houve um visitante que me perguntou nos comentários em um dos posts daqui do blog onde se encontrava o CD. Na Livraria da Travessa e Livraria Cultura (nenhuma das duas existe aqui em Santa Catarina). A distribuição está sendo feita pela empresa cultural Sonora. - Tel: (21) 2524-9846. E-mail: contato@sonoramusica.com.br
Já está disponível no Spotify e na Rdio o CD "Eu e Minha Filha" em streaming. É só se cadastrar usando a sua conta no Facebook (Pelo computador, ambos os sites são gratuitos. Pelo aplicativo no celular tem que desembolsar uma graninha pra ouvir à sua escolha).

E não para por aí: conforme eu li no Jornal O Dia, ainda haverá mais 2 CD's da série "Eu E Minha Filha"!

Anna  (do filme de animação "Frozen" da Disney )

Para descontrair um pouco... fiz este meme  abaixo como prova de o quanto eu gostei do CD!
(por coincidência esta foto foi da cena em que o personagem Chaves se apaixonou à primeira vista pela xará da filha do Rildo Hora. Adoro esse episódio!)


E viva a cultura carioca do qual eu sou fã, especialmente pelo samba! Valeu, Rildo e Patrícia! Valeu, Rio de Janeiro, aquele abraço! Me encantei pacas por vocês!!! ♥ ♥ ♥ ♥ ♥


"Eu e Minha Filha"
Rildo Hora e Patrícia Hora
(P) 2015 Independente

1- "Verdade"
Música de Rildo Hora
poema de Carlos Drummond de Andrade
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Copyright Carlos Drummond de Andrade
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano e teclados: Misael da Hora
Baixo acústico: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Flautas, clarinete e saxs (naipe): Dirceu Leite

2- "Visgo de Jaca"
escrita por Rildo Hora e Sérgio Cabral
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora Universal Music Publishing MGB Brasil Ltda.
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Teclado: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Cuíca e tamborim: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos
Flautas e saxs (naipe): Dirceu Leite

3- "Anda, Sai Dessa Cama"
escrita por Rildo Hora e Martinho da Vila
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa)/ Universal Publishing
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Cuíca e pandeiro: Pretinho da Serrinha
Flauta, flautim e clarinete: Dirceu Leite

4- "Coração Apaixonado"
escrita por Rildo Hora e Yvonne Lara
vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Warner Chappell
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Flauta: Dirceu Leite

5- "Gotas de Sal"
escrita por Rildo Hora e Zélia Duncan
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
Participação especial de Zélia Duncan, gentilmente cedida pela Duncan Discos
editora RH Música (Nowa) / Duncan Edições Musicais (DC Consultoria)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Vocais: Patrícia Hora
Teclados, órgão e efeitos eletrônicos: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano

6- "Canção de Amor dos Beatles"
escrita por Rildo Hora e Ronaldo Bastos
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / 3 Pontas (Dubas)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Teclados e cama: Misael da Hora
Baixo acústico: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Vocal e vocalise: Patrícia Hora
Trompete em Ré e flugel: Nelson Oliveira

7- "Perfume e Flor"
escrita por Rildo Hora e Luciana Cardoso
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano e teclados: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Violão de aço: Zé Carlos
Vocal: Rildo e Patrícia Hora

8- "O Beijo Que Te Dei"
escrita por Rildo Hora e Lysias Enio
Vozes: Patrícia Hora (solo) e Rildo Hora
editora RH Música (Nowa) / Nowa
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Merlino
Teclado (cama): Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano

9- "A Mulher Madura"
escrita por Rildo Hora e Affonso Romano de Sant'Anna
Voz: Patrícia Hora (solo)
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Fernando Marlino
Teclado (cama): Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos

10- "Belinha"
escrita por Rildo Hora e Humberto Teixeira
Vozes: Rildo Hora (solo) e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Piano: Misael da Hora
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Sanfona: Kiko Horta
Vocal: Patrícia Hora

11- "Chorinho Reluzente"
escrita por Rildo Hora e Luiz Carlos da Vila
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Cavaquinho: Henrique Cazes
Piano: Fernando Merlino
Baixo: Jamil Joanes
Bateria: Camilo Mariano
Tamborim: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos
Flugel: Nelson Oliveira (solo)

12- "Quando"
escrita por Rildo Hora e Nelson Sargento
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Direto
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Violão solo (intro): Rildo Hora
Violão de 7 cordas: Carlinhos 7 Cordas
Cavaquinho: Henrique Cazes
Caixinha: Pretinho da Serrinha
Guitarra: Zé Carlos

13- "Quem Me Ensinou"
escrita por Rildo Hora e Nei Lopes
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Fina Flor (Universal Music Publishing)
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Cavaquinho: Henrique Cazes
Piano: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Pandeiro e xique-xique: Pretinho da Serrinha
Flautas, flautim, clarinete e sax tenor: Dirceu Leite

14- "Vida Disparada"
escrita por Rildo Hora e Fausto Nilo
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora RH Música (Nowa) / Sony/ATV
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão: Rildo Hora
Teclado: Misael da Hora
Baixo: Jorge Helder
Bateria: Camilo Mariano
Guitarra: Zé Carlos
Sanfona: Kiko Horta
Vocal: Patrícia Hora e Rildo Hora

15- "Os Meninos da Mangueira"
escrita por Rildo Hora e Sérgio Cabral
Vozes: Rildo Hora e Patrícia Hora
editora Universal Music Publishing MGB Brasil Ltda.
Arranjo e Regência: Rildo Hora
Violão e realejo (gaita): Rildo Hora
Piano: Misael da Hora
Cavaquinho: Zé Carlos
Surdo, pandeiro, tamborim, caixinha e cuíca: Pretinho da Serrinha

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Há 20 anos:Meu primeiro CD do Roberto Carlos


Há 20 anos, o movimento Jovem Guarda havia completado 30 anos. Eu, pré-adolescente de 13 anos, gostava um pouco de década de 1960 (ah, por causa da moda, das músicas, etc.) e comecei a me interessar pela carreira de Roberto Carlos devido à comemoração do trigésimo aniversário do primeiro movimento juvenil brasileiro. Nessa mesma época, na primeira semana de outubro de 1995, assisti a 3 filmes antigos protagonizados pelo cantor exibidos pelo canal CNT e foi com "Roberto Carlos em Ritmo de Aventura" que comecei a virar fã pra valer do Roberto. É que eu ainda não conhecia aquela sua imagem de roqueiro lindinho e vital. Quem tinha a minha idade curtia Raimundos, Mamonas Assassinas, Skank, pagode... e eu também tava nessa onda e com muito prazer. E me tornei numa garotinha  precoce ao curtir um cantor que não é da minha geração. Esquisito, mas me deixei levar. Foi aí que o Roberto Carlos virou ídolo da minha pré-adolescência. No dia 18 de dezembro de 1995, eu e minha família fomos a Lojas Americanas no Shopping Newmarkt em um dos raros passeios em Blumenau e meu pai comprou pra mim o CD do Roberto Carlos que havia acabado de ser lançado.
O disco abre com a boa "Amigo Não Chore Por Ela". "Na letra, um sujeito constrangido, tenta abrir os olhos do amigo que sofre por conta de uma mulher que fez com ele o mesmo que [princesa] Diana fez com o príncipe Charles", ironizava a Revista Veja (edição 1421, de 6 de dezembro de 1995). Em seguida, as politicamente corretas "O Charme dos Seus Óculos" que valoriza as mulheres míopes e "O Coração Não Tem Idade". A religiosa "Quando Eu Quero Falar com Deus", segundo a mesma edição da Veja, seria uma resposta à canção "Se Eu Quiser Falar com Deus" (1981) do Gilberto Gil, já que este tentou oferecer a música ao Roberto. O cantor agradeceu, mas nunca a gravou.
A sexta faixa do álbum, "Romântico", tem uma introdução memorável que eu adoro, bem digna da abertura de "Detalhes". E "Quase  Fui Lhe Procurar" pela qual me apaixonei e só três anos mais tarde que descobri que era uma regravação de uma das músicas do álbum do jovem Roberto Carlos "O Inimitável" (Discos CBS, atual Sony Music, 1968).


foto da contracapa do LP/CD: Roberto Carlos ignora seu transtorno obsessivo compulsivo com o boné preto.

"Roberto Carlos"
Roberto Carlos
(P) 1995 Amigo Records/  Columbia Records / Sony Music Entertainment Brasil

1- Amigo Não Chore por Ela
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

2- O Charme dos Seus Óculos
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

3- O Coração Não Tem Idade
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

4- Pra Ficar Com Você
escrita por Mauro Motta e Carlos Colla
Editora Almo Music / BMG Arabella
Arranjo: Eduardo Lages

5- Quando Eu Quero Falar com Deus
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Eduardo Lages

6- Romântico
escrita por Erasmo Carlos e Roberto Carlos
Editora Amigos / Ecra, Erasmo Carlos Realizações Artísticas Ltda. (Sony Music)
Arranjo: Charlie Calello / Eduardo Lages

7- Nunca te Esqueci
escrita por Paulo Sergio Valle e Eduardo Lages
Editora EMI
Arranjo: Eduardo Lages

8- Quase Fui Lhe Procurar
escrita por Getúlio Côrtes
Editora EMI
Arranjo: Tutuca Borba

9- Sonho de Amor
escrita por Fernando de Souza, Mário Avellar e Edilson Campos
Editora Sony Music
Arranjo: Fernando de Souza

Produzido por Mauro Motta


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Rildo Hora e Patrícia Hora - "Canção de Amor dos Beatles"



Publicado no YouTube pelo próprio Ronaldo Bastos a sexta faixa do álbum "Eu e Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora: "Canção de Amor dos Beatles", da autoria de Ronaldo e de Rildo Hora.
♫"Fez o meu coração bater mais forte e só não foi capaz de não me acordar..."♫ :) ♥




https://www.youtube.com/watch?v=7xzJ40Vorus

Um beijo, Risqué!





Eu e o disco de vinil da Risqué nas unhas :)

Em agosto, a Risqué lançou sua coleção primavera/verão 2016: é a série Risqué Colecionistas com seis novas cores inspiradas no universo dos colecionadores. Dentre essas cores, está o DISCO DE VINIL! "Um furta-cor metalizado com reflexos dourados que lembram aqueles LP’s que se tornaram relíquias", diz o anúncio no site da Risqué. É óbvio que eu que sou fã de vinil comprei.


Outras cinco cores são "Meus Souvenirs" (que é um pink bem bonitinho e chamativo, adoro), "Grandiosas Miniaturas" (um laranja-coral, aquele mais suave), "Viagens em Postais" (um azul esverdeado), "Livros Inesquecíveis" (um azul escuro que também adoro) e "Fotos que Adoro" (um nude, cor de pele).
Um beijão a você, Risqué, por se lembrar de nós, os amantes do bolachão! ♥




segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Para todas as plataformas digitais:o EP "Olhos Teus" de Leo Russo!



Desde Sexta-feira (27/22/2015) está em todas as plataformas digitais o EP "Olhos Teus" do cantor e compositor Leo Russo. Este primeiro trabalho do Leo em uma importante gravadora, a Biscoito Fino, vai muito além do samba. Conferimos!
"Olhos Teus (Língua dos Olhos)" tem uma introdução enganosa com um violão em valsa seresteira, exatamente como se ouve e vê em vídeo produzido pela web série "No Quintal". E, para a nossa surpresa, ao longo da música, o choro ganha uma roupagem de balada mpbista modernizada, com direito a violinos. Uma canção que tem de tudo para ser executada no programa "Expresso MPB" da Rádio MPB FM lá do Rio de Janeiro que eu adoro ouvir pelo aplicativo e pelo computador aqui em Itajaí (SC).
Em "Leva o Jornal", o fofo (em parceria com a Gisa Nogueira) disse tudo o que tinha que dizer. Eu diria que é uma melô para quem, como eu, está de saco cheio de ver tanta crueldade em timeline do Facebook (por que não? rs rs!)
Com arranjo de Julinho Teixeira e a gaita de Rildo Hora, músico preferido de uma certa "blogueira" que vos fala, "Mais Uma Taça" é um foxtrote bem sensual e malicioso a la "A História de Lily Braun" de Chico Buarque e Edu Lobo. E por falar neles, com este novo trabalho, o Leo recebeu a bênção de ambos, dentre de outros gigantes da MPB. Ele merece!
"Se Eu Não Vejo Você (Dane-se O Mundo)" é um sambinha bem criativo que chama a atenção pela tensão crescente e mudanças de tom ao longo da música. Pura inspiração "buarquiana", não é?
O EP "Olhos teus" já disponível em todas as plataformas digitais. À venda no iTunes: http://tinyurl.com/olhosteusitunes . Porém, se você, assim como eu, não faz compras pela internet por não possuir cartão de crédito, você pode ouvir gratuitamente pela Spotify ou pelo Rdio, inscrevendo-se um um desses dois canais usando a conta do Facebook.
E viva a música carioca! Rio de Janeiro, Leo, aquele abraço!


Leo Russo comenta "Se Eu Não Vejo Você (Dane-se o Mundo)"




"Olhos Teus" segundo o Chico Buarque



Na íntegra: "Se Eu Não Vejo Você (Dane-se o Mundo)"






quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Feliz aniversário, Irmã Kelly Patrícia



Hoje (26 de novembro) é o aniversário da freira e cantora Irmã Kelly Patrícia. Dona de uma voz maravilhosa, ela é uma das minha influências musicais. Só passei a acompanhar a carreira dela a partir do ano de 2011, através do programa Direção Espiritual (TV Canção Nova) do Pe. Fábio de Melo, quando ele falou dela e de sua maneira simples de se apresentar nos shows e de não se preocupar com a presença de palco. Eu pensei: "opa, me identifico muito com ela!". Eu também sou bem assim quando eu, como cantora, canto em missas e em festas.
Muitas felicidades a ela e que ela prossiga com este trabalho maravilhoso de evangelizar, inclusive através da música.

Irmã Kelly Patrícia nasceu no dia 26 de novembro de 1971 em Fortaleza, Ceará. Junto da irmã Jane Madeleine, é madre fundadora do Instituto Hesed, uma comunidade nova de espiritualidade carmelitana criada em 30 de novembro de 1997. Como cantora, seus maiores sucessos são "Regaço Acolhedor", "Passarinho", "Prisioneiro do Amor" e "Via Sacra"
Com treze anos de idade, em 1984, Kelly Patrícia conheceu a ordem do Carmelo, mas não a seguiu de imediato. Ela começou sua carreira na música cristã aos 15 anos tocando e cantando na Paróquia Jesus, Maria e José em Fortaleza. Em 1990, ao compreender a sua vocação, ingressa na ordem do Carmelo.
Já com diversas composições de poesias de santos como Santa Teresinha, São João da Cruz e Santa Teresa, em 1991 decide gravar suas músicas e lança, de maneira independente, a fita cassete "Chama Viva do Amor", feito para homenagear o quarto centenário da morte de São João da Cruz. Era voltado apenas para religiosos e distribuído em carmelos no Brasil, porém, devido à repercussão, a freira é convidada pela Comunidade Shalom a gravar um vídeo interpretando as canções do álbum, e um novo cassete, que foi lançado em 1992, "Sol do Amor". Em 1994, Irmã Kelly Patrícia lança o terceiro cassete, "Como num Deserto", trabalho com o qual ela começou a apresentar-se em todo o Brasil em congressos nacionais, TVs, paróquias e eventos diversos. No ano seguinte gravou o quarto cassete: "Cumpra-se Senhor".
Em 1996, com os muitos pedidos para que ela gravasse um CD, foi lançado "Melhores Momentos", uma seleção de músicas gravadas nos quatro trabalhos iniciais. Posteriormente, em outubro desse ano, faz uma peregrinação a santuários marianos na Europa, e fica em retiro na Itália até 15 de dezembro de 1996. Durante esse tempo, conhece Jane Madeleine, com quem começa a se comunicar até que ambas decidem viver juntas uma vida contemplativa no Sítio Santa Maria dos Anjos, em Fortaleza, o que se dá em 30 de novembro de 1997, comumente dada como de início do Instituto Hesed.

Capa do primeiro CD da Irmã Kelly Patrícia, "Melhores Momentos", coletânea de músicas escolhidas de fitas cassete.

Dois anos depois, lança o CD "Passos no Silêncio", conhecido pela canção "Shema Yisrael". Em dezembro de 2000, por ocasião do jubileu de 2000 anos da encarnação de Jesus Cristo, lança outro CD, "Et Verbum" (palavras tiradas do início da frase "e o Verbo se fez carne e habitou entre nós..."), que traz o sucesso "Prisioneiro do Amor". No final de 2002, lança "Em Uma Noite Escura", que contém a faixa "Via Sacra", que ganhou, inclusive, videoclipe, produzido pela TV Canção Nova.
Em 2003, Kelly Patrícia grava e lança dois álbuns de oração: "Ofício da Imaculada", com orações cantadas, e "O Santo Rosário", CD duplo, rezado e cantado, por ocasião do ano do Rosário. Em julho de 2004, lança "Só Deus Basta" e atinge também o exterior do país, realizando missões na Europa e Estados Unidos. Em junho de 2007, lança, pela Canção Nova, o CD "Viver de Fé". Grava, ainda, no mesmo ano, seu terceiro CD de oração, "Terço da Misericórdia", com músicas e meditações do Terço da Divina Misericórdia.
Em dezembro de 2009, lança "Verbi Sponsa – A Esposa do Verbo", álbum conceitual cujas composições tratam do amor apaixonado de Deus pela humanidade e por cada um em particular e que Ele mesmo compara ao amor do esposo por sua esposa. As composições foram tiradas do livro bíblico do "Cântico dos Cânticos", de outros autores e de santos da Igreja ligados à espiritualidade carmelita. No show de seu lançamento, realizado no Centro de Convenções Edson Queiroz, em Fortaleza, foi gravado o primeiro DVD da cantora: A Esposa do Verbo.
Em 2010, grava um CD dedicado ao público jovem: "Busca de Deus", com letras da autoria de Ir. Kelly Patrícia, das Sagradas Escrituras e dos escritos do santos. Neste trabalho, com arranjos modernos de pop rock, rock e ritmos afins, de forma ousada, a religiosa fala da busca de todo ser humano por Deus. Apesar de muitas vezes seguir por caminhos errados, na sua essência, ele busca a Deus. É um CD que fala dos desejos, das incertezas e procura indicar o caminho que leva ao encontro com Deus. Em dezembro do mesmo ano, no espetáculo de lançamento, grava seu segundo DVD, de mesmo nome. Em 2011, é escolhida pela Comissão Organizadora da JMJ Madri 2011 e aprovada pela CNBB para participar do festival cultural da Jornada, no qual apresentou o espetáculo do DVD "Busca de Deus". Em maio de 2011, é premiada com o Troféu Louvemos o Senhor nas categorias de melhor cantora do ano e melhor gravação do ano, com o álbum "Busca de Deus". Também nesse ano, recebe disco de ouro da gravadora Canção Nova pelo CD "Viver de Fé", de 2007. Seu mais recente álbum foi "Filhos da Luz", lançado em 2013.

fontes:
Wikipedia
Instituto Hesed
Comunidade Hesed (Tripod)

Irmã Kelly Patrícia no Halleluya Festival em Fortaleza, Ceará.


Mensagem do Instituto Hesed de aniversário à Irmã Kelly Patrícia pelo Facebook

"Chama Viva de Amor", da primeira fita cassete de Irmã Kelly Patrícia (1991)
Letra inspirada na poesia de São João da Cruz
Música de Irmã Kelly Patrícia




"O Amado" (do DVD "Verbi Sponsa")
de Ir. Kelly Patrícia, Cleide Perdigão E Francisco Sales
trecho do Livro do Cântico dos Cânticos (5,2--6,3)




Irmã Kelly Patrícia (participação do Pe. Antônio Maria) - "Prisioneiro do Amor"
escrita por Nicodemos Costa




"Tranquila" (do DVD "Busca de Deus")
escrita por Ir. Kelly Patrícia



"Busca de Deus" do DVD Homônimo lançado em 2010
Letra inspirada na poesia de Santa Teresa de Jesus
Música de Irmã Kelly Patrícia



Clipe oficial da música "Tentação"  
Letra: Ir. Kelly Patricia, Ir. Jane Madeleine e Ir. Rita Izabel
Música: Ir. Kelly Patricia




Clipe oficial da música "Não Estou Só" (do CD "Filhos da Luz", 2013)
Letra inspirada na poesia de Santa Teresinha
Música de Irmã Kelly Patrícia

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Santa Catarina de Alexandria

A protetora e padroeira do nosso Estado Brasileiro!


Vida de Catarina

Catarina nasceu em 288 (Depois de Cristo) em Alexandria, hoje Egito. Era filha do ilustre Rei Costus e de D. Sabinela, nobres descendentes diretos dos reis e governantes do país. Desde muito cedo demonstrou uma inteligência clara e brilhante. Teve como mestres os sábios de Alexandria e, tão rápidos, foram seus progressos, que, aos 13 anos, era mestra das sete artes: eloquência, poesia, música, arquitetura, escultura, plástica e coreografia. Com a morte do pai, ela se mudou com a mãe para a Cilícia. Durante aquele tempo conheceu Ananias, um velho sacerdote amável e comunicativo. Ananias transmitiu a Catarina os mistérios do Cristianismo.
Dona Sabinela já era cristã batizada, e desejava o mesmo para a sua filha, além de um bom casamento que trouxesse segurança e proteção.
Numa determinada noite, mãe e filha, tiveram um sonho bastante significativo no qual a Santíssima Virgem Maria apresentava o Menino Jesus a Catarina, e este, tomando da mão de Catarina, colocava em seu dedo um anel de ouro, anel de compromisso. Maria pedia a Catarina que seja batizada. Quando Catarina despertava do sono, percebeu o anel em seu dedo! Desejosa em cumprir o que prometera em sonho, Catarina procurou ainda mais, instruir-se nas verdades da fé, e, assim sendo, recebeu o Santo Batismo. Dona Sabinela e a filha confiaram o reino a um governador e voltaram à Alexandria.
Com a morte de sua mãe, Catarina transformou sua residência num lar de acolhida e escola de formação Cristã. A nossa jovem era capaz de confundir os maiores filósofos de Alexandria e arredores.
Com o passar do tempo, Catarina tornou-se cada vez mais conhecida e despertou a atenção do Imperador de Alexandria, Maximino II, que era um grande perseguidor dos cristãos.

Aos 18 anos, Catarina aceitou o desafio de debater com 20 sábios e os converteu para a fé cristã deixando Maximino II enfurecido. O imperador ordenou que os homens fossem queimados e Catarina encaminhada para a masmorra. Após ser chicoteada, humilhada e espancada, Catarina permaneceu presa durante dois anos no local.

Maximino desejou desposá-la, mas como ela não aceitou, condenou-a ao suplício da roda, que consistia em um conjunto de quatro rodas, que giravam em sentido contrário às outras com lâminas em formas de garras.

Essa passagem na vida de Catarina é considerada prova da fé e devoção a Cristo, pois conta-se que Catarina fez uma oração e um raio destruiu as rodas, matando os soldados que a carregavam. Ela nada sofreu.

Ainda mais enfurecido com o acontecido, o imperador ordenou que ela voltasse à prisão. Por 12 dias Catarina ficou sem água nem comida. Nesse período a jovem permaneceu fiel à sua crença e negou-se a se entregar como esposa ao imperador. Foi então que Maximino ordenou a decapitação de Catarina no dia 25 de novembro de 307.

Padroeira do Estado

Os fatos e lendas de como a Santa Catarina de Alexandria se tornou padroeira do Estado se perdem na história. Uma das teses mais fortes é a de que quando os primeiros descobridores passaram por aqui, em 1526, deram o nome Ilha de Santa Catarina.

— Cogitou-se também a hipótese de que o nome seria em homenagem à mulher do navegador Sebastião Caboto — conta o padre Ney Brasil Pereira, autor do livro Santa Catarina de Alexandria.

No Estado ela se tornou padroeira oficial somente em 1922, após o pedido do Arcebispo da época, Dom Joaquim, para que Papa Pio XI expedisse o decreto.

fontes:
Diário Catarinense
Blog Márcio Antônio Reiser

segunda-feira, 23 de novembro de 2015

Os 60 anos da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Itajaí

Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Itajaí (foto: Baixaki)

BODAS DE DIAMANTE

 Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento: 60 anos de inauguração (1955-2015)


Comemoramos neste dia 15 os 60 anos de inauguração da nossa belíssima Igreja Matriz. Projeto arquitetônico de Simão Gramlich. Estilo gótico basilical e romântico, com 60 metros de comprimento e 30 metros de largura. As torres maiores medem 50 metros de altura. O pedreiro responsável foi Manoel Morgado, que utilizou a quantia de 700 mil tijolos. O início das obras foi em 19 de fevereiro de 1941, sendo então pároco Padre José Locks.
O término das obras ocorreu em 14 de novembro de 1955, sendo pároco o Padre Vendelino Hobold. Sua inauguração aconteceu no dia 15 de novembro de 1955, cuja solenidade foi presidida pelo Excelentíssimo Reverendíssimo Dom Joaquim Domingues de Oliveira, arcebispo metropolitano de Florianópolis.
A decoração artística das paredes internas e teto é Aldo Locatelli e Emílio Sessa. Conta com quatro sinos, fundidos em aço, em Bockener na Alemanha, pesando 200, 300, 500 e 1.020 quilogramas. Seu forro é de estuque, composto de chapas de serragem com cimento. Os vitrais foram executados pela Vidraçaria Peniker, de Porto Alegre (RS), e Conrado Vitrais, de São Paulo (SP).
A estátua de "Moisés descendo do Sinai", colocada sobre o baldaquino do púlpito, é uma obra do famoso escultor de Pomerode (SC) Ervin Curt Teichmann. Os altares, em número de seis, cobertos de mármores diversos, nacionais e estrangeiros, foram fornecidos pela Organização e Vendas de Objetos Litúrgicos, da cidade de São Paulo (SP).
Obras importantes já foram executadas como recuperação das estruturas de sustentação da cobertura e teto com a colocação de vigas metálicas e troca das telhas de amianto por telhas de alumínio, obra executada pela Semofer da cidade de Itajaí (SC). Houve também restauração do teto e paredes internas. Os vitrais foram restaurados pela empresa Conrado Vitrais de São Paulo (SP).
Outras melhorias continuam ocorrendo até o presente momento. Aliás, a manutenção da Igreja Matriz é necessariamente contínua. Temos que preservá-la. (...) Ela é um belíssimo templo, considerado um símbolo de nossa cidade e um marco na arquitetura religiosa de Santa Catarina.

Texto de Áurea Araújo Silva Francisco para o Jornal Família Paroquial (Itajaí-SC), ano XVIII, edição 246, novembro de 2015. Bittencourt Editora.

Interior da Igreja Matriz do Santíssimo Sacramento de Itajaí (foto: Guascatur)

domingo, 22 de novembro de 2015

Falta pouco: Lançamento do EP "Olhos Teus" do Leo Russo



Na próxima sexta-feira (27/11), Leo Russo vai lançar o EP "Olhos Teus" com quatro músicas de sua autoria em todas as plataformas digitais. Este é o primeiro trabalho do artista depois de assinar o contrato com uma importante gravadora, a Biscoito Fino. Além da canção-título, vem "Mais Uma Taça", (com a participação de Rildo Hora na gaita), "Leva o Jornal",  de Leo Russo e Gisa Nogueira, e "Se Eu Não Vejo Você (Dane-se O Mundo)", dele em parceria com Ronaldo Jr. O EP é produzido pelo Lúcio Fernandes e pelo  próprio Leo e o seu segundo álbum ficará para 2016.


Video: "Olhos Teus" - Leo Russo 


O primeiro grande sucesso dos Raimundos

Relembrando meus tempos de pré-adolescente:foto da capa do disco "Raimundos", 1994.

"Selim" foi o primeiro grande sucesso de 1994 da banda brasiliense Raimundos que conseguiu tocar sem pudor algum em emissoras de rádio de maior audiência nas quais só tocavam samba ou dance music. Sem pudor, porque a letra conta sobre o desejo do narrador de se tornar os objetos usados por uma mulher em locais mais... íntimos: banco de bicicleta (selim) e uma calcinha.
Segundo o Digão, guitarrista da banda Raimundos, o então vocalista Rodolfo Abrantes inicialmente não queria gravar a música porque "achou muito brega. Gravou, mas morrendo de vergonha"(Wikipedia). A canção fechava a edição original do álbum que levava o nome da banda, lançado pelo selo Banguela Records, criado pela banda paulista Titãs.

"Selim"
escrita por Cristiano Telles e Raimundos
interpretada por Raimundos
(P) 1994 Banguela Records / Warner Music Brasil

Eu ouvi: "25" de Adele é tão bom quanto "21"

capa do CD "25" de Adele.

Depois de quatro anos sem lançar um disco, Adele retorna com o mais aguardado álbum "25". Um trabalho emocionante e otimista! A queridinha da Inglaterra nos presenteia com "Hello" (cujo videoclipe é recordista em visualizações em menos de 24 horas), a balançada "Send My Love (To Your New Love)" e a sombria e ótima "I Miss You". "Water Under The Bridge" e "River Lea" ganharam um arranjo à pop oitentista. "Love in The Dark" tem um clima de "Set Fire To The Rain" (do álbum "21", XL Recordings/Columbia Records/Sony Music, 2011), porém sem bateria. As saudosistas "When We Were Young" e "Million Years Ago" fazem com que a gente talvez fique com lágrimas nos olhos e esta última, graças ao violão singelo, tem aquele gostinho de seu primeiro álbum, "19" (2008), que no Brasil foi lançado de forma tímida. Mais uma para chorar, "All I Ask" também se encaixaria como uma luva na voz de um de seus compositores, o Bruno Mars. Ao ouvir o piano dramático nesta faixa, me veio à cabeça a canção "When I Was Your Man", um dos grandes sucessos de Mars (adoro esse rapaz!). E o CD termina com o lado mamãe-coruja de Adele, "Sweetest Devotion", faixa dedicada ao Angelo, o filho da cantora com Simon Konecki, que nasceu em 2012. Até o ano que vem não se sabe se, assim como"21", o "25" receberá indicações a vários prêmios da música, mas, graças à qualidade vital deste disco, a nação da rainha Elizabeth já tem a rainha da sua música.
O "25" foi lançado mundialmente nesta sexta-feira (20 de novembro de 2015) em CD, download digital e disco de vinil pela XL Recordings / Columbia Records / Sony Music. A edição Deluxe em CD foi lançado nos Estados Unidos pelos mesmos selos e, no Japão, pela Universal Music.
Ouça a prévia de cada uma das faixas, clicando aqui (site FansBR!).

"25"
Adele
(C) 2015 XL Recordings / Columbia Records / Sony Music Entertainment Group
(P) 2015 Sony Music Entertainment (Brasil)
créditos: Wikipedia

1. "Hello"  
escrita por Adele Adkins e Greg Kurstin
produzida por Greg Kurstin

2. "Send My Love (To Your New Lover)"  
escrita por Adele Adkins, Max Martin e Shellback
produzida por Max Martin e Shellback

3. "I Miss You"  
escrita por Adele Adkins e Paul Epworth
produzida por Paul Epworth

4. "When We Were Young"  
escrita por Adele Adkins e Tobias Jesso, Jr.
produzida por Ariel Rechtshaid

5. "Remedy"  
escrita por Adele Adkins e Ryan Tedder
produzida por Ryan Tedder

6. "Water Under the Bridge"  
escrita por Adele Adkins e Greg Kurstin
produzida por Greg Kurstin

7. "River Lea"  
escrita por Adele Adkins e Brian "Danger Mouse" Burton
produzida por Danger Mouse

8. "Love in the Dark"  
escrita por Adele Adkins e Samuel Dixon
produzida por Samuel Dixon

9. "Million Years Ago"  
escrita por Adele Adkins e Greg Kurstin
produzida por Greg Kurstin

10. "All I Ask"  
escrita por Adele Adkins, Bruno Mars, Philip Lawrence e Christopher Brody Brown
produzida por The Smeezingtons (Bruno Mars, Philip Lawrence e Ari Levine)

11. "Sweetest Devotion"  
escrita por Adele Adkins e Paul Epworth
produzida por Paul Epworth

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Adele divulga "When We Were Young" do novo álbum "25"


Foi divulgado hoje (17/11/2015) o vídeo de mais uma faixa do CD "25" da Adele, "When We Were Young". O clipe foi gravado ao vivo no estúdio The Church de Londres e dirigido por Paul Dugdale, que já havia trabalhado com a cantora na gravação do DVD e Blu-ray "Adele - Live at the Royal Albert Hall". O primeiro sucesso divulgado de "25", "Hello", teve uma média de 1 milhão de visitas por hora durante todos os dias e bateu o recorde de "Bad Blood" da Taylor Swift de clipe mais visto em 24 horas.  O álbum "25" chegará às lojas nesta sexta-feira (20/11/2015).



https://youtu.be/DDWKuo3gXMQ

quinta-feira, 12 de novembro de 2015

O programa Sem Censura recebeu Rildo Hora e Patrícia Hora


Quem perdeu ou quer ver de novo o programa Sem Censura do dia 6 de novembro, surgiu uma oportunidade: a própria TV Brasil, como faz com as suas atrações, disponibilizou no YouTube o vídeo do episódio na íntegra.  Dentre os entrevistados do programa apresentado por Leda Nagle, estão o maestro Rildo Hora e a cantora Patrícia Hora que falaram do CD “Eu e Minha Filha” que será lançado ainda este mês. A entrevista é a partir de 1 hora do vídeo.

Atualizado no dia 22 de novembro: o video foi excluído do YouTube, mas o  episódio na íntegra pode ser visto no site do programa. Acesse:

http://tvbrasil.ebc.com.br/semcensura/episodio/saiba-mais-sobre-o-cancer-de-prostata

segunda-feira, 26 de outubro de 2015

Dorina Ponto Samba vai continuar!


Depois de mais de um ano fora da programação da Rádio Nacional do Rio, o programa Dorina Ponto Samba, apresentado pela cantora Dorina, está de volta, só que agora na Rádio Globo (FM 98,1 / AM 1220 e na internet, http://radioglobo.globoradio.globo.com/ ), às terças-feiras a partir das 21:30 horas, num quadro dentro do programa "Toda Noite" com apresentação de Zeca Marques.
".Por amar o samba e amar o que faço, aceitei o convite do Zeca Marques e da Rádio Globo de fazer um quadro do meu programa ‘Dorina Ponto Samba’, dentro do programa ‘Toda Noite’ apresentado por Zeca Marques. Então, aguardem que farei entrevistas e vou gravar um pouco de cada roda de samba que acontece na cidade." , revela a cantora. Bate palma aí!

Rildo Hora divulga a capa do CD "Eu e Minha Filha"



Esta pintura será a capa do CD "Eu E Minha Filha" de Rildo Hora e Patrícia Hora. O próprio Rildo em seu profile no Facebook diz:
"Óleo sobre tela, capa do CD autoral: 'Eu e minha filha' Patrícia Hora. Pintura de Lusinete da Hora [esposa do Rildo]".
Em sua conta na rede social, ele também divulga o repertório do álbum: "cantaremos 'Visgo de Jaca', 'Os Meninos da Mangueira' (ambos de autoria de Rildo e Sérgio Cabral pai), 'Gotas de Sal' (autoria de Rildo Hora e Zélia Duncan) e muitas parcerias importantes... ".
E mais:
"musiquei o poema 'Verdade' (de Carlos Drummond de Andrade), Sérgio Cabral, Dona Ivone Lara, Zélia Duncan que participa do disco, Ronaldo Bastos, Affonso Romano de Sant´Anna,Humberto Teixeira, Luiz Carlos da Vila, Luciana Cardoso, Nelson Sargento, Nei Lopes e Fausto Nilo. Muitos outros que eu gostaria de tê-los conosco estarão comigo no volume 2, que pra nós já começou...Zelação!", diz o músico.
É só esperar pra ouvir.
Relembrando que, para quem pode ir, o show de lançamento será dia 11 de NOVEMBRO, quarta - feira, às 20 hs no Teatro Maison de France, no centro do Rio de Janeiro, RJ. A entrada é gratuita com CD de brinde, informações inbox no profile do Rildo Hora - https://www.facebook.com/rildo.hora ).

sábado, 24 de outubro de 2015

Profissão Mulher (filme de 1982)

A atriz Simone Carvalho em cartaz de divulgação do filme.

Em uma madrugada do dia 17 (sexta-feira) para 18 de abril (sábado) deste ano, assisti ao filme "O Gosto do Pecado" (1980) no programa Sessão Interativa pelo Canal Brasil (Sky canal 55) dirigido pelo Cláudio Cunha e estrelado pela sua então esposa, a atriz Simone Carvalho. Dois dias mais tarde, um choque: o diretor paulista faleceu em Porto Alegre, Rio Grande do Sul, em decorrência de um infarto. Cláudio Cunha era conhecido por protagonizar a peça humorística "O Analista de Bagé" que entrou para o Guinness Book como peça que ficou mais tempo em cartaz e o Cunha como o ator que ficou há mais tempo num mesmo personagem. De passagem, assisti pelo YouTube ao outro filme de sua direção postado por ele próprio três meses antes de sua morte: "Profissão Mulher" de 1982 (era justamente o filme concorrente de "O Gosto do Pecado" para o telespectador escolher entre ambos para ver na Sessão Interativa). Nos comentários, Cláudio Cunha revelou: "Minha produção mais ambiciosa. O filme ficou dois anos preso na Censura. Liberado em instância superior, mutilado - aqui vocês vão ver na integra - enfrentou no seu lançamento o filme japonês 'O Império dos Sentidos' [filme de 1976 dirigido por Nagisa Oshima], liberado sob mandado de segurança com cenas de sexo explícito. Quebrei literalmente!". Quem viu "O Império dos Sentidos" sabe que, ao lado do filme brasileiro, seu teor pornográfico é altíssimo. Vai entender essa Censura!
"Profissão Mulher" é baseado num livro da jornalista e escritora Márcia Denser, "O Animal dos Motéis", lançado em 1981. O livro é dividido em oito episódios, em um deles, cita alguns trechos das músicas de Roberto Carlos, como "Desabafo" (1979) e "Café da Manhã"(1978), ambas da autoria de Roberto e Erasmo Carlos (acho que já me despertou o interesse em ler esse livro, hehe!). Para quem não sabe, entre o final dos anos 70 e início dos anos 80, o cantor, no auge do seu sucesso _ e de seu reinado na música brasileira_, foi chamado de "o rei dos motéis" pelo conteúdo erótico em algumas de suas músicas.

Márcia Denser, escritora e jornalista.


Márcia Denser em 2015, numa entrevista para TV Senado.


Mas voltando ao filme. Ele conta a história de quatro mulheres que trabalham na agência de publicidade: as modelos Sandra (Wilma Dias) e Luiza (Simone Carvalho), a diretora de criação Natália (Patrícia Scalvi) e a secretária subserviente Vera (Lady Francisco), todas fracassadas no amor.

A deslumbrante Simone Carvalho em cena no papel de Luíza.

A bela e conturbada Natália (Patrícia Scalvi)

Destaque para a Casa Simpatia, bar localizado na histórica avenida Rio Branco, 92, no centro do Rio de Janeiro, onde a personagem Natália "enche a cara" e conhece seu parceiro.


A balzaquiana Sandra (Wilma Dias), que sofre a famosa "crise dos trinta", é paquerada por um rapaz de 19 anos, mas não se entrega no amor.
Luíza (Simone Carvalho) está interessada no bonitão Dias (Mário Cardoso), mas este não lhe dá muita confiança, pois o rapaz, interesseiro, está afim de Neuza (vivida pela Marlene, a eterna rainha do rádio), dona da agência onde Luíza trabalha. No fim, em seu apartamento, Neuza leva o Dias (o "sempre o mesmo pateta" como Luíza, frustrada, o apelida) para a cama.

Dias (Mário Cardoso)

Natália (Patrícia Scalvi em sua excelente interpretação) é diretora de criação que encontra no álcool a solução para afogar sua vida de desamores. Em um bar (quem é carioca reconhece que este bar era a saudosa Casa Simpatia, localizada no centro do Rio de Janeiro), ela encontra um representante de bebidas (Otávio Augusto) que se torna seu parceiro sexual. Na segunda noite, o parceiro falha e Natália "finaliza o desejo sozinha". Desiludidas com os homens, as colegas Natália e Luíza se reencontram e formam um casal homoafetivo.

Patrícia Scalvi no papel da alcoólatra Natália (na foto, sendo contida pelo personagem de Otávio Augusto): quebrando tudo.

A secretária Vera (Lady Francisco) é uma solteirona vilipendiada pelos colegas de trabalho, cria sozinha sua sobrinha Patrícia (Márcia Porto) e tem o hábito secreto e inusitado do sexo solitário com água fervente da chaleira. Enquanto isso, Patrícia conhece Telmo (vivido pelo eterno galã Cláudio Marzo que nos deixou em março deste ano) e tem um caso com ele na praia [este trecho é praticamente uma versão erótica da famosa cena do filme "A Um Passo da Eternidade" ("From Here to Eternity", Columbia Pictures, 1953)]. Ao se abrir com a tia, Patrícia é agredida fisicamente pela Vera, que enlouquece.

O charmoso Cláudio Marzo (1940-2015). Vale lembrá-lo, né?


POR ONDE ANDAM OS ATORES DE "PROFISSÃO MULHER":

Simone Carvalho


Simone Carvalho em maio deste ano, em entrevista para o Jornal Extra.

Aos 18 anos estreou no cinema com o filme "Amada Amante"  (1978) do diretor Cláudio Cunha, com quem ela se casaria, e a partir daí fez mais filmes eróticos sob a direção do então marido, entre eles, "Profissão Mulher". Fez algumas novelas e já foi capa da Playboy duas vezes. Em 1997, Simone havia se convertido à igreja da Comunidade Cristã da Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro, foi diplomada Bacharel em teologia na "Academia Teológica da Graça de Deus", dirigida pelo bispo R. R. Soares e tinha sido ordenada pastora da Comunidade Vida Cristã, também na Barra da Tijuca. Porém, há dez anos, Simone trocou a igreja evangélica pelo judaísmo. Em maio desse ano, Simone Carvalho admitiu ao Jornal Extra que sente vontade de voltar a atuar, muito por conta das teledramaturgias bíblicas da TV Record. Estamos na torcida.

Wilma Dias
Atriz e dançarina, Wilma Dias é conhecida como a moça que saia dançando de dentro de uma banana descascada na abertura do programa humorístico "Planeta dos Homens", da TV Globo em 1976. Wilma Dias faleceu no dia 10 de abril de 1991 aos 36 anos, vítima de infarto do miocárdio no Hospital São Lucas, em Copacabana, Rio de Janeiro.

Patrícia Scalvi


Foto recente de Patrícia Scalvi postada em sua conta no Twitter (sempre linda, né?)

A atriz paulista era uma das musas do erotismo no cinema brasileiro na década de 1980. Patrícia Scalvi hoje é dubladora e diretora de dublagem. Admirada pelo diretor Pedro Almodóvar que está sempre curioso como ficaria seus longas na versão brasileira, Patrícia marcou presença nas dublagens de dois filmes do cineasta espanhol, “A Má Educação” (freira) e “Tudo Sobre Minha Mãe” (a protagonista). E mais: ela também dirigiu a redublagem dos seriados “Chaves” e “Chapolin” para o DVD e emprestou sua voz à Elvira, A Rainha das Trevas.

Márcia Porto
Márcia Porto, que aparece no filme exibindo seu corpo exuberante, começou sua carreira como modelo e manequim, posou para as revistas Playboy e Ele Ela e participou do programa "Viva o Gordo" e das novelas globais "Voltei Pra Você" (1983-1984) e "Um Sonho A Mais" (1985), sua última aparição na TV. A partir daí nunca mais se ouviu falar nela. Segundo o blog Elenco Brasileiro, ela morou em Los Angeles e, mais tarde, em Nova Iorque. Márcia tem 55 anos.

Mário Cardoso

Mário Cardoso, sempre o mesmo galã.

Mário Cardoso, o galã que fez o papel de Dias, o "sempre o mesmo pateta" em "Profissão Mulher", é ator português radicado no Brasil. Desde a década de 1990, trabalha como dublador e diretor de dublagem (a voz do Professor Utonium da série de animação "As Meninas Superpoderosas" é dele). Seu mais recente trabalho na TV foi na novela "Amor e Revolução" no SBT em 2011.

Lady Francisco

Lady Francisco trabalhou recentemente nas novelas "Geração Brasil" (2014) e "Saramandaia" (2013). Ela também participou da novela "Chamas da Vida" (2009) na TV Record que em breve será reprisada nas tardes de segunda a sexta. Atualmente, Lady Francisco é uma das protagonistas da série "República do Peru" que já está no ar na TV Brasil (Sky canal 166).

TRILHA SONORA ORIGINAL

Capa do compacto simples "Profissão Mulher" com Maria Creuza e Rildo Hora.
(a ampliação da "plaquinha" no busto da Simone Carvalho foi por minha conta, rs rs!)


A canção principal, "Profissão Mulher", é composta pela consagrada dupla Luiz Guedes (1949-1997), primo do cantor e compositor Beto Guedes, e Thomas Roth, cantor, músico e atual jurado de programas de calouros do SBT (o duo também era conhecido pela canção "Ela Sabe Demais", sucesso do ano de 1983, lembram?). Maria Creuza (sou fã!) era a intérprete do tema cujo arranjo é de ninguém menos que Rildo Hora. A trilha sonora com a música foi lançada obscuramente em compacto simples pela RCA Victor (hoje Sony Music), no qual, no lado A está versão cantada pela Maria Creuza e, no lado B, a versão instrumental executada pela gaita do Rildo. Isso sem falar que também foi o músico pernambucano preferido desta certa "blogueira" que vos fala que regeu e executou um tema instrumental que se ouve ao longo do filme.

Fontes:
YouTube - Cláudio Cunha Produções
Trash 80's
Wikipédia
Jornal Extra
Blog "Diário de Um Cinéfilo"
Banco de Conteúdos Culturais
Cinemateca Brasileira (Ministério da Cultura)

Hello, people! Adele voltou!



Depois de um longo tempo de ostracismo, nesta quinta-feira, 22 de outubro, a cantora britânica Adele divulgou o videoclipe da canção "Hello" de seu novo álbum, "25" que sairá no dia 20 de novembro conforme foi previsto. "Hello" foi escrita por Adele e pelo músico Greg Kurstin, este que, além de ter trabalhado com as cantoras Lily Allen, P!nk, Sia, Kylie Minogue, Katy Perry, Rita Ora e com o grupo Foster the People, foi parceiro da cantora Inara George, formando o duo The Bird and the Bee. O mais impressionante é que, na música, Adele fez o que ela nunca havia feito antes: atingir a nota mais alta de seu registro vocal, o sol sustenido 5, na segunda vez em que ela canta "ooh, anymore" em 4 minutos e 25 segundos do vídeo.
O clipe, dirigido pelo canadense Xavier Dolan, foi gravado no interior de Montreal, no Canadá, e tem a participação do ator Tristan Wilds no papel do ex-namorado da cantora.
E mais: foi divulgada também a lista das faixas de "25", o primeiro álbum da Adele em quatro anos, lançado pelo selo independente XL Recordings e distribuído pela Sony Music.

1. "Hello" (Adele Adkins and Greg Kurstin)
2. "Send My Love (To Your New Lover)" (Adele Adkins, Max Martin and Shellback)
3. "I Miss You" (Adele Adkins and Paul Epworth)
4. "When We Were Young" (Adele Adkins and Tobias Jesso Jr.)
5. "Remedy" (Adele Adkins and Ryan Tedder)
6. "Water Under the Bridge"' (Adele Adkins and Greg Kurstin)
7. "River Lea" (Adele Adkins and Brian Burton)
8. "Love In the Dark" (Adele Adkins and Samuel Dixon)
9. "Million Years Ago" (Adele Adkins and Greg Kurstin)
10. "All I Ask" (Adele Adkins, Bruno Mars, Philip Lawrence and Christopher "Brody" Brown)
11. "Sweetest Devotion" (Adele Adkins and Paul Epworth)

Fontes:
G1
Vagalume

VÍDEO: "Hello"
escrita por Adele Adkins e Greg Kurstin
interpretada por Adele
(P) 2015 XL Recordings / Sony Music Entertainment Group

Hello, it's me
I was wondering if after all these years
You'd like to meet, to go over everything
They say that time's supposed to heal ya
But I ain't done much healing

Hello, can you hear me?
I'm in California dreaming about who we used to be
When we were younger and free
I've forgotten how it felt before the world fell at our feet

There's such a difference between us
And a million miles

Hello from the other side
I must've called a thousand times to tell you
I'm sorry, for everything that I've done
But when I call you never seem to be home

Hello from the outside
At least I can say that I've tried to tell you
I'm sorry, for breaking your heart
But it don't matter, it clearly doesn't tear you apart anymore

Hello, how are you?
It's so typical of me to talk about myself
I'm sorry, I hope that you're well
Did you ever make it out of that town
Where nothing ever happened?

It's no secret
That the both of us are running out of time

So hello from the other side
I must've called a thousand times to tell you
I'm sorry, for everything that I've done
But when I call you never seem to be home

Hello from the outside
At least I can say that I've tried to tell you
I'm sorry, for breaking your heart
But it don't matter, it clearly doesn't tear you apart anymore

Ooooohh, anymore
Ooooohh, anymore
Ooooohh, anymore
Anymore

Hello from the other side
I must've called a thousand times to tell you
I'm sorry, for everything that I've done
But when I call you never seem to be home

Hello from the outside
At least I can say that I've tried to tell you
I'm sorry, for breaking your heart
But it don't matter, it clearly doesn't tear you apart anymore



https://www.youtube.com/watch?v=YQHsXMglC9A

Festa de Lançamento do "Clube do Samba" (Fantástico, 1979)

"Meninos da Mangueira" - Ataulpho Jr. e Diogo Nogueira no programa "Samba da Gamboa" na TV Brasil